Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

quarta-feira, março 27, 2013

Soda cáustica em lotes do suco AdeS

Uma falha no processo de higienização fez com que a Unilever Brasil recolhesse lotes do produto AdeS maçã 1,5 litro. Segundo nota divulgada na quarta-feira, 13 de março, a falha causou alteração no produto devido ao envase de embalagens com solução de limpeza da máquina, que pode provocar queimadura. O lote em questão tem iniciais AGB, foi fabricado em 25 de fevereiro de 2013 e é válido até 22 de dezembro de 2013.

Os consumidores que tiverem produtos desse lote não devem consumi-lo e devem entrar em contato com o SAC (0800/707/0044), das 8h às 20h, ou sac@ades.com.br.

Os produtos do lote com problema foram distribuídos nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná. Até o momento, oito pessoas relataram problema pelo SAC e, segundo a Unilever, cinco já receberam atenção médica adequada e estão sendo acompanhados, dois não aceitaram e um não relatou danos físicos.

CONSUMIDORES INGERIRAM O SUCO
Pelo menos catorze pessoas consumiram alguma unidade do lote contaminado com produto de limpeza do suco AdeS de maçã. Segundo a Unilever, dona da marca, os clientes foram atendidos por meio do Serviço de Atendimento do Consumidor (SAC) da empresa e doze deles receberam cuidados médicos e passam por acompanhamento. Dois consumidores que relataram o problema à empresa não quiseram ser atendidos.

FISCALIZAÇÃO
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) solicitou que a Vigilância de Minas Gerais realize inspeção no local de fabricação do produto.

ANVISA SUSPENDE VENDA DE LOTES DE TODOS SABORES DO SUCO
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou em 18 de março, a suspensão da fabricação, distribuição, venda e consumo, em todo o Brasil, de lotes de 25 sabores dos sucos de soja AdeS. Os lotes foram produzidos em uma das 11 linhas de produção da fábrica da Unilever em Pouso Alegre (MG). Todos os lotes suspensos são de iniciais AG.  Em vez do suco, as caixas tinham sido envasadas com soda cáustica, o que pode causar queimaduras. Dessas, 36 caixas já foram recolhidas.

Segundo a Anvisa, embora a fabricante tenha relatado falha no processo de higienização das máquinas e problemas específicos no lote do suco de maçã, a agência decidiu suspender os lotes de todos os sabores produzidos na linha de produção em que foi identificada a falha até que tenha "mais informações sobre a verdadeira extensão do problema". A agência informou que a ação é "preventiva" e que o caso está em investigação.
Foram suspensas as vendas das embalagens de um litro de abacaxi, cereais com mel, chá verde com tangerina, chá verde com limão, chocolate clássico, chocolate com coco, frapê de coco, laranja, maçã, manga, maracujá, melão, morango, original, pêssego, shake morango, uva, vitamina banana, zero frapê de coco, zero laranja, zero maçã, zero original, zero pêssego, zero vitamina banana e zero uva. A medida atingiu ainda as embalagens promocionais de um litro (pague 900ml e ganhe outros 100ml) de laranja, uva e maçã. Também estão suspensas as vendas de 1,5 litro de maçã, uva, laranja e original. Em todos os casos, são as embalagens da série AG.

Em nota, a Unilever afirmou que iniciou o cumprimento das determinações da Anvisa, com a retirada do mercado das unidades da linha de produção interditada pela agência. Afirmou, ainda, que vai fornecer as informações necessárias para revogar a interdição. Segundo a Unilever, essa linha de produção está desativada e a distribuição ao mercado dos sucos fabricados nela não ocorre desde o dia 13.

MULTA
A Unilever pode ser multada em até R$ 7,7 milhões pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pela Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) do Ministério da Justiça (MJ), pela comercialização de embalagens do suco de maçã AdeS de 1,5 litro impróprias para o consumo. Depois de uma reunião de mais de duas horas com representantes da fabricante, na sede do MJ, a gerente-geral de alimentos da Anvisa, Suzany Moraes, afirmou que a empresa relatou falha humana e em equipamentos no episódio que levou ao envasamento de soda cáustica num lote de 96 caixas de suco de maçã, distribuídas em São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná. Dessas, 36 foram recolhidas.

Segundo a gerente-geral de alimentos da Anvisa, Suzany Moraes, por parte da Anvisa, a multa pode chegar a R$ 1,5 milhão, se forem constatadas falhas no processo produtivo ou ausência das chamadas "boas práticas de fabricação". Já o Ministério da Justiça pode aplicar uma sanção de até R$ 6,2 milhões, se forem confirmadas violações às normas estabelecidas no Código de Defesa do Consumidor (CDC). O diretor do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), Amaury Oliva, disse que, até o momento, a Unilever tomou a medida prevista em lei, de anunciar o recall, após receber reclamações de consumidores que teriam sofrido queimadoras após ingerir o alimento.

CASOS REGISTRADOS DE QUEIMADURA
■ A polícia de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, confirmou que na noite do último dia 8, uma semana antes do anúncio do recall da Unilever, uma dona de casa registrou, no 4º Distrito Policial da cidade, um boletim de ocorrência por lesão corporal, relatando que o filho de 17 anos sofreu queimadura e sangramento na boca após tentar beber suco de maçã AdeS. Segundo a advogada Renata Moreira da Costa, que representa a família, o adolescente precisou de atendimento médico após o incidente. Ela afirmou também que a consumidora, ao constatar a gravidade do problema, avisou à Vigilância Sanitária e entrou em contato com o Serviço de Atendimento ao Cliente da Unilever. Logo que colocou a bebida na boca, ele sentiu forte queimação na língua e na garganta, e cuspiu. A boca chegou a sangrar e a mãe, preocupada, levou o rapaz ao hospital. Agora, ele está se recuperando, mas não é impossível que fique com alguma sequela, como perda do paladar - informou Renata.

■ Na capital paulista, André Miranda, pai de um bebê de oito meses, também suspeita de que seu filho tenha sido vítima do AdeS contaminado com soda cáustica. A criança apresenta lesões, próximas à boca e em outras partes do corpo,que foram identificadas como queimadura ou urticária na emergência do hospital e pelo pediatra. Ele tomou, pela primeira vez, um suco AdeS neste fim de semana e no domingo as lesões apareceram. Como a única coisa diferente na dieta dele foi o AdeS os médicos acharam que seria a causa mais provável. Mas como o sabor era morango e, num primeiro comunicado, a empresa falava apenas no suco de maçã, não fizemos relação e nem ligamos para o SAC - conta Miranda, lamentando não ter guardado a embalagem para confirmar a suspeita.

VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE MG CONFIRMA PRESENÇA DE SODA CÁUSTICA
 A Secretaria de Saúde de Minas Gerais concluiu que houve falha no momento em que o líquido foi colocado na embalagem (envasamento) de 96 unidades de suco de soja AdeS, sabor maçã, na fábrica da Unilever Brasil em Pouso Alegre (390 km de Belo Horizonte). As unidades, segundo relatório divulgado pelo órgão no final da tarde de sexta-feira (22 de março), foram afetadas por hidróxido de sódio a 2,5% --soda cáustica diluída.

De acordo com o relatório, as equipes das duas vigilâncias sanitárias apontaram que a falha se deu durante o processo de envasamento da unidade de 1,5l do suco de maçã, no lote AGB 25, realizado no último dia 25 de fevereiro e com validade até 22 de dezembro deste ano.

Conforme a inspeção, o estoque de suco no tanque que alimentava a linha de envase estava reduzido, situação característica de fim do processo de envazamento e do momento em que ocorre a limpeza automática –procedimento chamado de CIP (Clean in Place).

De acordo com o relatório, 96 caixas de suco de 1,5 litro receberam hidróxido de sódio em vez de suco. Diz o relatório: "No entanto, o equipamento foi acionado novamente para o processo de envase. A solução de hidróxido de sódio a 2,5% é utilizada nesse processo de limpeza, e, considerando que existiam ainda embalagens na linha, foram envasadas 96 unidades com hidróxido de sódio, e não do (sic) suco alimento em soja --AdeS, sabor maçã de 1,5l. A empresa não constatou o desvio e o produto foi disponibilizado ao mercado".

MEDIDAS DE ENVASAMENTO IMPOSTAS À UNILEVER
A Secretaria de Saúde de Minas Gerais apontou cinco procedimentos que devem ser adotados pela Unilever e que foram colocados como condições para que a empresa possa voltar à produção da linha afetada.

Entre as medidas necessárias, estão;
1) a revisão completa "de todos os equipamentos, sensores, software do processo AdeS",
2) o aumento do número de amostras coletadas durante o processo de envase;
3) a alteração do período de retenção dos produtos acabados antes da liberação ao mercado; 
4) a revisão e implementação "de procedimento de liberação da produção após o sistema de higienização"
5) e a introdução "de dossiê diário de liberação de qualidade – liberação formal com assinatura dos gerentes."

HOUVE UMA CADEIA DE ERROS
Foi uma combinação de falha humana e mecânica.
■ Primeiramente, o operário não detectou o final da produção de um lote.
■ Depois, colocou o equipamento para funcionar de novo.
■ E o equipamento permitiu o envaze de uma solução de limpeza.
■ Por fim, o próprio operário percebeu o erro, e não recolheu os produtos.

50 UNIDADES CONTAMINADAS AINDA CIRCULAM
A Unilever Brasil informou que pelo menos 50 unidades de suco AdeS contaminadas pela solução de limpeza ainda estão em circulação em cidades dos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná. De acordo com o fabricante, 46 das 96 unidades atingidas pelo recall no último dia 14 foram retiradas do mercado.

A UNILEVER RECONHECE ERROS E PEDE DESCULPAS A CLIENTES
O envase de 96 unidades de suco AdeS com uma solução de soda cáustica foi resultado de uma combinação de falha humana e mecânica que durou 80 segundos, O operário não detectou o final da produção de um lote e colocou o equipamento para funcionar de novo. E o equipamento permitiu o envase de uma solução de higienização, disse  o presidente da Unilever, com Fernando Fernandez.
Temos que pedir desculpas. O AdeS no Brasil tem uma história de 15 anos que não merece um problema como esse. É a primeira vez em seus 83 anos no Brasil que a Unilever encara um problema de saúde pública, afirma Fernandez, que diz ter redobrado procedimentos de segurança.
Quatro mil pessoas, entre vendedores e operadores de estoque, foram mobilizadas para rastrear em três Estados (São Paulo, Rio e Paraná) as 96 unidades contaminadas -46 foram localizadas.

DEMORA PARA DIAGNOSTICAR O PROBLEMA
Após ter sido notificada por sua Central de Atendimento ao Consumidor, a Unilever demorou quatro dias para diagnosticar o problema.
A empresa recebeu e-mail de um cliente de Ribeirão Preto reclamando de ardência na boca no dia 7. Tentou contato no dia seguinte, mas só conseguiu localizar o consumidor e combinar o recolhimento do produto no dia 9.
A coleta foi feita no dia 11, e a análise, no dia 12. O anúncio público do recall e a retirada do produto das gôndolas viria no dia 13.

REGISTROS: CINCO CASOS DE ALIMENTOS COM PROBLEMAS DE FABRICAÇÃO

1) AdeS com gosma - novembro de 2012
O mesmo suco AdeS, que recentemente teve um lote interditado, foi vítima de outra polêmica, dessa vez com forte colaboração das redes sociais. A consumidora Ursula de Almeida postou uma foto onde mostrava uma "gosma" que havia saído de uma embalagem do produto. A foto gerou mais de 226 mil compartilhamentos no Facebook e obrigou empresa a se manifestar sobre o assunto. A Unilever analisou o lote do produto e disse que não verificou nenhuma irregularidade. Segundo a empresa, a embalagem pode ter recebido microfuros devido a transporte ou armazenamento inapropriados, o que pode levar à formação de bolor ou fungo.

2) Heinz com pelo de rato - Fevereiro de 2013
A Associação Brasileira de Defesa do Consumidor - Proteste encontrou pelos de roedor no lote 2C30 do Tomato Ketchup Heinz, de 397 gramas. Segundo a entidade, os pelos foram detectados após análise microscópica em amostras compradas em um supermercado de São Bernardo do Sul, no interior paulista, no fim do ano passado. A Proteste pediu à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a retirada preventiva do mercado do lote, mas o órgão considerou os laudos insatisfatórios. A Heinz negou as irregularidades e questionou os testes.

3) Chocolate com larvas - fevereiro e março de 2012
Em 2012, a Kraft Foods Brasil foi condenada a pagar indenização a três consumidores que encontraram larvas em chocolates Shot e Ouro Branco. No Rio de Janeiro, o problema rendeu indenização de R$ 30 mil a uma cliente.
No Estado de São Paulo, dois casos renderam uma indenização de R$ 5 mil cada. Em São Carlos, um cliente percebeu que uma barra do chocolate Shot continha larvas. O consumidor chegou a procurar um pronto-socorro por ter passado mal após a ingestão do produto.
Em São José dos Campos, uma cliente processou a Kraft após sua filha ter apresentado quadro de indisposição intestinal. A criança havia consumido um chocolate Ouro Branco.

4) Toddynho com detergente - setembro de 2011
A PepsiCo foi multada em R$ 420 mil após um lote de Toddynho ter causado ardência e irritação na mucosa de consumidores do Rio Grande do Sul. Análises indicaram um pH de 13,3 alcalino em cerca de 80 unidades do produto, considerado muito alto para um alimento. A empresa afirmou que, durante limpeza de equipamentos na fábrica, "uma das linhas envasou algumas embalagens" com uma mistura de água e detergente.

5) Molho de tomate com sapo - março de 2013
Uma moradora de Franca, no interior paulista, se deparou com um objeto estranho ao despejar o conteúdo de molho de tomate numa panela em seu interior. A dona de casa Solange Aparecida Borges procurou a Vigilância Sanitária. O objeto estranho foi identificado como sendo um sapo, mas os fiscais sanitários disseram que pouco poderiam fazer porque a embalagem já havia sido aberta. Segundo a empresa, o que pode ocorrer é entrar ar na embalagem, até mesmo quando ela já se encontra dentro do carrinho no supermercado. "Aí o ar causa bolor gerando um aspecto estranho", disse um funcionário. A hipótese de o corpo estranho ser um pedaço de sapo foi descartada pela empresa.

Fontes: O Globo, Gazeta do Povo, Folha de São Paulo, O Estado de São Paulo e UOL Noticias, 14 de março a 20 de março de 2013
  
Comentário
A empresa demorou 4 dias para diagnosticar o problema. Deixou por conta do SAC. A empresa não estava preparada para a crise que ocorreria.

A linha de produção de indústrias de bebidas vendidas em caixinha geralmente usa equipamento fornecido pela empresa de embalagens. No Brasil, a sueca Tetra Pak e a suíça SIG Combibloc dominam o mercado. Para garantir os padrões de qualidade, as fabricantes das máquinas dão uma série de recomendações às empresas.

Quando é preciso parar a produção de um produto e começar o envase de outro, de outro sabor, por exemplo, a máquina (de produção de bebidas em caixinha) precisa ser parada e passar por um processo de limpeza, no qual são usados produtos químicos como cloro e soda cáustica. Só fica resíduo se essa limpeza for mal feita ou em desacordo com as instruções do fabricante do equipamento.

Quarentena do produto
Além disso, a "flexibilização" das normas de produção pode explicar os problemas. A empresa dona do equipamento recomenda que o primeiro lote produzido depois da limpeza da máquina passe por uma espécie de "quarentena" de uma semana, de 72 horas ou de no mínimo 48 horas.
Parte desse primeiro lote, deve ir para laboratório para ser analisado. Nesse período, o produto fica em estoque e em observação.

Sistema CIP (Clean in place) – Limpeza em circuito fechado em equipamentos de esterilização e envase de produtos
 Na indústria de alimentos que envasam produtos líquidos como leite, sucos, cerveja e outras bebidas, O sistema CIP é um método usado nestas plantas de processamento de alimentos para a limpeza das máquinas de envase e equipamentos de processamento, como os tubos sanitários, tanques, tanques assépticos e trocadores de calor, etc. circulando-se e recirculando-se automaticamente detergentes e soluções de enxágue ate a limpeza total e sanitização em circuito fechado, ou seja, sem a mínima remoção de componentes do sistema para esta tarefa. O processo de lavagem consiste em diversos ciclos de lavagens que são recirculados através dos tanques, bombas, das válvulas e do outros equipamentos no fluxo do processo. Por tanto, trata-se de um sistema inteligente que faz ajustes contínuos nas operações de modo a garantir os mais elevados níveis de desempenho, com um sistema de automação com IHM e PLC de ultima geração, que reduz com precisão o risco de erro humano, sem nunca comprometer os níveis de segurança dos alimentos. Sendo necessário somente um ou dois detergentes para a limpeza. Possuindo em alguns casos 14 programas de limpeza totalmente ajustados às demandas de tempo, temperatura, concentração, fluxo e volume, etc. que poderão ser reprogramados segundo as necessidades de produção da indústria.  A limpeza CIP é um sistema concebido para limpar 100% o interior de equipamentos, tubulações e tanques de armazenamento, através da remoção de resíduos de alimentos e bactérias.

Marcadores: ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@12:47 PM

0 comments

sábado, março 23, 2013

Dia Mundial da Água: aumento da demanda e contaminação preocupam

Temática deste ano é a Cooperação pela Água; relatório da ONU aponta que demanda vai crescer 55% até 2050

A disputa pela água exige atenção cada vez maior. Em 40 anos, a demanda deve crescer mais de 50%. Enquanto isso, os recursos hídricos do planeta estão sendo contaminados. É o que, neste Dia Mundial da Água, 22 de março, lembram o relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre a gestão da água e Carlos Eduardo Morelli Tucci, referência mundial no assunto.

A data foi estipulada por recomendação da ONU, durante a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, conhecida como Rio-92. Desde então, define-se um tema anual com o intuito de abordar os problemas relacionados aos recursos hídricos. Neste ano, a temática é a “Cooperação pela Água”.

O tema não representa apenas este dia. A ONU definiu 2013 como o Ano Internacional de Cooperação pela Água. A intenção é conscientizar a população mundial a respeito dos desafios do gerenciamento da água do planeta e da necessidade de um esforço global para enfrentar o problema. A má utilização da água no mundo é, justamente, um dos pontos básicos da 4ª edição do relatório da ONU sobre o desenvolvimento dos recursos hídricos. O texto, que ainda aponta questões como pressões do clima, crescimento demográfico e aumento da demanda por energia e alimentos, foi apresentado na abertura do 6º Fórum Mundial da Água, em Marselha, na França, no ano passado.

De acordo com o relatório, a demanda mundial por água vai crescer cerca de 55% até 2050. Enquanto isso, o crescimento demográfico nos próximos 40 anos está estimado em dois a três bilhões de pessoas. Tucci, doutor em Recursos Hídricos pela Colorado State University e professor do Instituto de Pesquisas Hidráulicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), explica o problema. “Existem dois riscos: o risco de escassez por aumento da demanda (maior quantidade de usuários e demanda) e da escassez de qualidade devido à contaminação da água disponível”.

Conforme o professor, a demanda cresce não apenas devido ao aumento da população, mas também por causa de mudança de hábitos, incremento da renda e outros fatores. “Não é a água que pode faltar, mas o aumento de demanda que faz com que a mesma quantidade seja disputada por um maior número de usuários, além da redução da disponibilidade pela contaminação”, explica o professor.

A ÁGUA NÃO ACABA
A impressão que se tem quando se lê algumas manchetes alarmistas é de que a água de fato está acabando e de que seu consumo pode extingui-la. Na verdade, através de um fenômeno chamado Ciclo Hidrológico, a quantidade de água na Terra é praticamente a mesma há milhões de anos. Águas do mar e dos continentes evaporam, formam nuvens, voltam à terra (chuva, neve), escorrem para rios, lagos e subsolo e, finalmente, retornam ao mar. Como se perde a água, então? Com a poluição e a contaminação dos recursos hídricos.

CONSUMO
Esses recursos são consumidos por diversos setores. Segundo Tucci, o maior é a agricultura irrigada, que utiliza 70% da água, seguida pela indústria (20%) e pela população (10%). O cenário é o seguinte: uma pessoa deve beber 2 litros de água por dia, mas são necessários de 2 mil a 5 mil litros de água para produzir sua alimentação diária, de acordo com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura.

REGIÕES
Nem sempre a região de maior demanda é a de maior oferta de água. “O semiárido, com 10% da área do país, é uma região carente de disponibilidade. As áreas metropolitanas, com grande concentração de população, têm alta demanda de água em pouco espaço, o que, associado à contaminação das fontes de água por esgoto, produzem grande pressão quanto à escassez quantitativa e qualitativa da água”, alerta. Em um futuro cenário de escassez de água, o Aquífero Guarani é apontado por muitos como uma alternativa interessante. Nas regiões onde está aflorante, ele já é utilizado, como no interior de São Paulo, Mato Grosso do Sul e fronteira do Rio Grande do Sul. Mas Tucci ressalta que o uso depende de condicionantes físicos, como proximidade da demanda e profundidade do aquífero para ser economicamente explorável. “Na parte central, pode estar a mais de 1500 metros de profundidade, aumentando o seu custo de uso”, afirma.

PREVISÕES
A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) estima que, até 2025, 2/3 da população mundial seja afetada, de alguma forma, por falta de água potável. Mas esse tipo de previsão não é unanimidade. “Cada região pode ter suas fortalezas e fraquezas em função da disponibilidade e usuários”, pontua Tucci. O doutor em Recursos Hídricos também justifica as correntes divergentes de pensamento sobre o tema. “Os que dizem que o cenário não é catastrófico provavelmente estão mirando regiões onde existe muita água e com poucos conflitos. Já os outros estão mirando as regiões problemáticas. Portanto a resposta geral é pouco informativa, e o assunto deve ser associado sempre a uma região específica ou a uma bacia hidrográfica”, afirma.

VALOR
O Dia Mundial da Água busca prevenir esse cenário estimado para 2025. Apesar de iniciativas e campanhas como essa, a água ainda é pouco valorizada pela sociedade. Para Tucci, a população está acostumada a pagar pouco e a desperdiçá-la, sem se importar em ver um rio ou riacho contaminado. No Brasil, menos de 40% do esgoto é tratado. “Como qualquer produto, a água somente será valorizada quando, nesta região específica do usuário, ocorrer falta de água ou ela estiver contaminada. Por isso, o preço deve ser ajustado a uma gestão racional, já que não existe órgão mais sensível do que o bolso”, sentencia.  Fonte: Terra Noticias - 22 de Março de 2013

Comentário:
De acordo com a Organização das Nações Unidas, cada pessoa necessita de 3,3 m³/pessoa/mês (cerca de 110 litros de água por dia para atender as necessidades de consumo e higiene). No entanto, no Brasil, o consumo por pessoa pode chegar a mais de 200 litros/dia.

Gastar mais de 120 litros de água por dia é jogar dinheiro fora e desperdiçar nossos recursos naturais.

VEJA ALGUMAS DICAS DE COMO ECONOMIZAR ÁGUA  E DINHEIRO - SEM PREJUDICAR A SAÚDE E A LIMPEZA DA CASA E A HIGIENE DAS PESSOAS.

NO BANHEIRO
Banho de 15 minutos? Olha o Nível!
O banho deve ser rápido. Cinco minutos são suficientes para higienizar o corpo. A economia é ainda maior se ao se ensaboar fecha-se o registro. A água que cai do chuveiro também pode ser reaproveitada para lavar a roupa ou qualquer outra atividade da casa. Para isso, deve-se colocar um balde ou bacia embaixo para armazenar aquela água.

HORA DO BANHO
Banho de ducha por 15 minutos, com o registro meio aberto, consome 135 litros de água. Se fechamos o registro, ao se ensaboar, e reduzimos o tempo para 5 minutos, o consumo cai para 45 litros.
No caso de banho com chuveiro elétrico, também em 15 minutos com o registro meio aberto, são gastos 45 litros na residência. Com os mesmos cuidados que com a ducha, o consumo cai para 15 litros.

AO ESCOVAR OS DENTES
Se uma pessoa escova os dentes em cinco minutos com a torneira não muito aberta, gasta 12 litros de água. No entanto, se molhar a escova e fechar a torneira enquanto escova os dentes e, ainda, enxaguar a boca com um copo de água, consegue economizar mais de 11,5 litros de água.

LAVAR O ROSTO
Ao lavar o rosto em um minuto, com a torneira meio aberta, uma pessoa gasta 2,5 litros de água. A dica é não demorar.
O mesmo vale para o barbear. Em 5 minutos gastam-se 12 litros de água. Com economia o consumo cai para 2 a 3 litros.

DESCARGA E VASO SANITÁRIO
Não use a privada como lixeira ou cinzeiro e nunca acione a descarga à toa, pois ela gasta muita água. Uma bacia sanitária com a válvula e tempo de acionamento de 6 segundos gasta de 10 a 14 litros. Bacias sanitárias de 6 litros por acionamento (fabricadas a partir de 2001) necessitam um tempo de acionamento 50% menor para efetuas a limpeza, neste caso pode-se chegar a volumes de 6 litros por descarga.  Quando a válvula está defeituosa, pode chegar a gastar até 30 litros. Mantenha a válvula da descarga sempre regulada e conserte os vazamentos assim que eles forem notados.
Lugar de lixo é no lixo. Jogando no vaso sanitário você pode entupir o encanamento. E o pior é que o lixo pode voltar pra sua casa.

NA COZINHA
Ao lavar a louça, primeiro limpe os restos de comida dos pratos e panelas com esponja e sabão e, só aí, abra a torneira para molhá-los. Ensaboe tudo que tem que ser lavado e, então, abra a torneira novamente para novo enxágüe. Só ligue a máquina de lavar louça quando ela estiver cheia.
Numa casa, lavando louça com a torneira meio aberta em 15 minutos, são utilizados 117 litros de água. Com economia o consumo pode chegar a 20 litros.
Uma lavadora de louças com capacidade para 44 utensílios e 40 talheres gasta 40 litros. O ideal é utilizá-la somente quando estiver cheia.

Na higienização de frutas e verduras utilize cloro ou água sanitária de uso geral (uma colher de sopa para um litro de água, por 15 minutos). Depois, coloque duas colheres de sopa de vinagre em um litro de água e deixe por mais 10 minutos, economizando o máximo de água possível.
Você sabia que ao se utilizar um copo de água, são necessários pelo menos outros 2 copos de água potável  para lavá-lo. Por isso, combata o desperdício em qualquer circunstância.

ÁREA DE SERVIÇO
Junte bastante roupa suja antes de ligar a máquina ou usar o tanque. Não lave uma peça por vez.
Caso use lavadora de roupa, procure utilizá-la cheia e ligá-la no máximo três vezes por semana.
Se na sua casa as roupas são lavadas no tanque, deixe as roupas de molho e use a mesma água para esfregar e ensaboar. Use água nova apenas no enxágüe. E aproveite esta última água para lavar o quintal ou a área de serviço.
Ao lavar a roupa, aproveite a água do tanque ou máquina de lavar e lave o quintal ou a calçada, pois a água já tem sabão.

LAVAR ROUPA
No tanque, com a torneira aberta por 15 minutos, o gasto de água pode chegar a 279 litros. O melhor é deixar acumular roupa, colocar a água no tanque para ensaboar e manter a torneira fechada. E que tal aproveitar a água do enxágüe para lavar o quintal?
A lavadora de roupas com capacidade de 5 quilos gasta 135 litros. O ideal é usá-la somente com a capacidade total.

JARDIM E PISCINA
Use um regador para molhar as plantas ao invés de utilizar a mangueira.
Ao molhar as plantas durante 10 minutos o consumo de água pode chegar a 186 litros. Para economizar, a rega durante o verão deve ser feita de manhãzinha ou à noite, o que reduz a perda por evaporação. No inverno, a rega pode ser feita dia sim, dia não, pela manhã. Mangueira com esguicho-revólver também ajuda. Assim, pode-se chegar a uma economia de 96 litros por dia!
Se você tem uma piscina de tamanho médio exposto ao sol e à ação do vento, você perde aproximadamente 3.785 litros de água por mês por evaporação, o suficiente para suprir as necessidades de água potável (para beber) de uma família de 4 pessoas por cerca de um ano e meio aproximadamente, considerando o consumo médio de 2 litros / habitante / dia. Com uma cobertura (encerado, material plástico), a perda é reduzida em 90%.

CALÇADA E CARRO
Adote o hábito de usar a vassoura, e não a mangueira, para limpar a calçada e o pátio da sua casa.
Lavar calçada com a mangueira é um hábito comum e que traz grandes prejuízos. Em 15 minutos são perdidos 279 litros de água.
Se houver uma sujeira localizada, use a técnica do pano umedecido com água de enxágüe da roupa ou da louça.
Use um balde e um pano para lavar o carro ao invés de uma mangueira. Se possível, não o lave durante a estiagem (época do ano em que chove menos).
Muita gente gasta até 30 minutos ao lavar o carro. Com uma mangueira não muito aberta, gastam-se 216 litros de água. Com meia volta de abertura, o desperdício alcança 560 litros. Para reduzir, basta lavar o carro somente uma vez por mês com balde. Nesse caso, o consumo é de apenas 40 litros.

CUIDADO COM VAZAMENTOS
• Uma torneira gotejando chega a desperdiçar  46 litros de água por dia, o que representa
1.380 litros por mês;
• Um filete de mais ou menos dois milímetros  desperdiça 4.140 litros de água por mês;
• Um filete de quatro milímetros, 13.260 litros de água por mês;
• Um furo de dois milímetros no  encanamento, para uma pressão de  15 m de coluna de água, desperdiça,  aproximadamente, 3.200 litros por dia.
Se corrigir todos esses maus hábitos no seu dia a dia, além de contribuir para a  manutenção do nível das represas você  economizará em sua conta, no final do mês.  Coloque em prática essas dicas simples.
Fonte: Sabesp – Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo

Marcadores:

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@10:05 AM

0 comments

Uso de álcool provoca 21% dos acidentes

Pesquisa do Ministério da Saúde revela que uma em cada cinco vítimas de colisão ingeriu bebida. Em 2011, a pasta gastou R$ 200 milhões com pacientes envolvidos em batidas. A faixa etária mais afetada é a de 20 a 39 anos
O consumo de álcool está relacionado a 21% dos atendimentos no Sistema Único de Saúde (SUS) de pessoas envolvidas em acidentes de trânsito. Uma em cada cinco vítimas, em 2011, admitiram ter bebido. Os dados foram divulgados pelo Ministério da Saúde.

ESTUDO
O estudo avaliou 47,5 mil vítimas de violência e acidentes atendidas em 71 prontos-socorros públicos nas 27 capitais, em setembro de 2011.
O consumo de álcool foi verificado mesmo entre pedestres e passageiros -sempre entre vítimas com 18 anos ou mais.
■  22,3% dos condutores disseram ter bebido ou mostraram sinais de embriaguez,
■ essa mesma informação foi registrada para 21,4% dos pedestres e 17,7% dos passageiros atendidos.
Acidentes de transporte responderam por um a cada quatro atendimentos acompanhados no estudo. E, em mais da metade, as vítimas tinham entre 20 e 39 anos.
O levantamento constatou também que 49% dos registros de agressão ocorreram com pessoas que tinham ingerido álcool.

MAIORIA DAS MORTES: JOVENS
O ministro da Saúde,  ressaltou o fato de a maioria das mortes em função de acidentes ocorrer principalmente com jovens. “Além de todo o sofrimento, perdemos pessoas em idade ativa. Outro ponto a ser levado em conta é que 45% das vítimas tem entre 9 e 11 anos de escolaridade. Ou seja, perdemos pessoas com grau de instrução elevado.” Para o ministro, a relação entre álcool e acidente é direta e tem alto custo social e financeiro para o país.
“Há três pilares muito importantes na segurança no trânsito: a conscientização, uma legislação efetiva e fiscalização eficiente”, afirma o secretário-executivo do Ministério das Cidades. O estudo mostrou que, nos casos analisados, 56,8% dos acidentados atendidos eram motociclistas.

PERFIL DAS VÍTIMAS
O perfil das vítimas dos acidentes de transportes também é um fator importante.
Dos 21% das vítimas que admitiram a ingestão de álcool;
■22,3% eram condutores.
■chegando perto da quantidade de motoristas, 21,4% eram pedestres.
Mesmo longe do volante, eles acabam sendo vítimas de atropelamento quando estão alcoolizados, pois perdem a capacidade de percepção e se expõem a riscos.

PASSAGEIROS
Os passageiros também acabam se tornando vítimas do álcool: 17,7% dos acidentados consumiram bebida. Os dados mostram que o risco da pessoa que pega carona com quem bebe também é muito alto. Pesquisa recente da Faculdade de Medicina e Saúde da Universidade de Brasília (UnB) revela que, no Distrito Federal, um terço dos motoristas admitiram ter dirigido após beber nos últimos três meses. Além disso, 82,1% pegaram carona com alguém embriagado.
Em cerca de 70% dos casos estudados, as vítimas tiveram alta, pois os ferimentos não eram graves.
Fontes: Folha de São Paulo, Correio Braziliense, 23 de Fevereiro de 2013

Marcadores: ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@6:44 AM

0 comments

terça-feira, março 19, 2013

Rotatória para pedestre na China

Quando muitas vias convergem para - ou partem de - um único ponto da cidade, o trânsito costuma ficar caótico. E a melhor solução que a engenharia apresentou para o problema até hoje foi a rotatória, um recurso que permite os cruzamentos, mas não elimina a bagunça. Pior, dificulta a vida do pedestre, o último a ser notado por motoristas mais preocupados em sair ilesos da roleta.

Mas não no bairro de Pudong, em Xangai, na China. Ali, os pedestres ganharam uma rotatória só para eles: a passarela circular Lujiazui, construída do lado leste do rio Huangpu, na zona econômica e financeira da cidade, cercada por arranha-céus onde não havia nada além de terra há 15 anos.

Suspensa quase 20 metros acima da rua, a ponte permite que os pedestres passem de um lado a outro da rotatória em segurança, desde que estejam dispostos a percorrer o mesmo trajeto circular dos automóveis. De brinde, eles ainda têm a chance de assistir de camarote às confusões em que os motoristas se metem logo abaixo.

A passarela dá acesso ao edifício Oriental Pearl Tower, conectando os prédios de escritórios do centro financeiro das redondezas a áreas de lazer e compras, como shoppings e cafés.

Com 5,5 metros de largura, a ponte permite que 15 pessoas caminhem lado a lado, facilita o acesso aos transportes públicos e ainda é toda iluminada à noite, o que dá um bonito efeito à região. Além disso, vãos longos entre colunas também proporcionam agradáveis experiências em relação ao nível da rua, de onde se pode ver a cidade um pouco mais do alto, tornando a rotatória ideal também para passeios turísticos. Fonte: Xangai Style.

Comentário: É uma bela obra de engenharia e funcional. Saiu do modelo padrão de passarela, interligadas, para uma rotatória para pedestres.


Marcadores: ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@1:36 PM

0 comments

sexta-feira, março 15, 2013

Operário morre esmagado por pá carregadeira

Um homem morreu, na tarde de quinta-feira, 14 de março,  esmagado por uma pá carregadeira.
O acidente aconteceu em um terreno no bairro Puraquequara, na Zona Leste de Manaus. A vítima, de 32 anos, conduzia a pá carregadeira quando perdeu o controle na encosta de um morro.

Segundo o amigo da vítima que testemunhou o acidente,  quando a máquina começou a virar, ele tentou saltar da cabine,  mas  a máquina virou por cima dele. "Eu avisei para ele não ir, que a máquina ia tombar, ia cair. Quando a máquina começou a tombar, ele tentou sair, mas ficou preso no meio do caminho", contou o amigo Eliceu.

Inquérito
A Polícia Civil abriu um inquérito para apurar as responsabilidades. Fonte:  G1 AM-14/03/2013

Comentário:
A maioria dos acidentes envolvendo   tratores é fatal. Estima-se 70% desses acidentes, são devidos ao tombamento lateral.
Os  acidentes de trabalho foram causados por atitudes e condições inseguras e destacando-se entre as principais causas  a perda de controle em aclives/declives.

RECOMENDAÇÕES
• Nunca pule da carregadeira; isso é perigoso, especialmente quando a mesma estiver em movimento.
• Quando subir ou descer da carregadeira, segure no corrimão e coloque o pé sobre a escada para manter o equilíbrio do corpo.
• Ao descer da carregadeira, nunca use as alavancas de operação como apoio.
• Nunca entre ou saia da cabine pela parte traseira da carregadeira.

TIPO DE TERRENO
• Antes de começar a operação, conheça a área para quaisquer condições incomuns que serão perigosas.
• Conheça o terreno e condições do solo no local de trabalho, e determine o melhor e mais seguro método de operação.
• O chão do local de trabalho deverá ser firme e plano. Disperse as irregularidades. 
• Ao trabalhar na rua, é necessário um agente sinalizador ou barreiras com sinalização adequada.
• Quando estiver trabalhando em lugares fechados, mantenha-os bem arejados para evitar a concentração de gases tóxicos.
• Manobrar em plano inclinado poderá inclinar o equipamento.

ENCOSTAS DE MORROS
• Sempre dirija em linha reta descendo ou subindo em encostas de morros. Dirigir em ângulos ou atravessando a encosta é extremamente perigoso.
• Não faça curvas na ladeira. Sempre desça para um local plano para trocar a posição do equipamento, e em seguida, suba de novo. Quando estiver trabalhando em ladeiras inclinadas, diminua a velocidade.
• Quando estiver trabalhando em encosta, deixe a pá carregadeira 20 a 30 cm acima do chão, pois em caso de emergência, poderá colocá-la rapidamente no chão, freando e impedindo que o equipamento vire.

DIRIGIR EM CÍRCULOS
Para evitar acidentes ou mortes, mesmo se a máquina for equipado com alarme sonoro de marcha a ré e retrovisor, antes de começar a movimentar o equipamento, siga as regras abaixo:
• Utilize a buzina para alertar as pessoas no local de trabalho.
• Verifique se não há nenhuma pessoa em volta do equipamento. Especialmente, verifique atrás da máquina, porque essa parte não pode ser observada pelo operador.
• Quando a operação for efetuada em local de risco e baixa visibilidade, alguém deve ser designado para ser agente sinalizador da máquina.
• Nenhuma pessoa poderá entrar na cabine sem autorização.
• Não vire a máquina em alta velocidade.

ESTACIONAR
• O local de estacionamento da carregadeira deverá ser o mais plano possível e a pá carregadeira deverá ser abaixada até tocar o solo.
• Não estacione em ladeira. Caso seja necessário, a ladeira deverá ser inferior a 18º e você deverá colocar um calço nas rodas para que não escorregue. Depois baixe a pá carregadeira até tocar o solo.
• Quando for estacionar em local de tráfego intenso, sinalize antes com bandeira, sinal ou alarme luminoso a ponto dos outros operadores notarem essa sinalização. Evite atrapalhar o tráfego.
• Esvazie a pá carregadeira antes de estacionar e coloque-a em posição horizontal no solo. Trave as fechaduras e desligue o motor, acione o freio de estacionamento, desligue todo a máquina e retire a chave.
Quando sair da cabine, posicione seu corpo de frente para a carregadeira e apoie-se no corrimão para descer a escada. Não é permitido pular da carregadeira.
• Nunca permita que nenhuma pessoa suba na carregadeira quando estiver em movimento. 

ADVERTÊNCIA:
• A operação da carregadeira com a caçamba cheia em uma encosta pode causar o capotamento da máquina. Se possível, evite virar a máquina e sempre avance reto, subindo e descendo a encosta. Mantenha sempre a carga baixa. Se não seguir estas instruções, você poderá sofrer graves lesões causando até morte.
• Quando operar a máquina, mantenha a carregadeira da caçamba tão baixo quanto possível. Esta posição baixa lhe dá melhor equilíbrio e permite que você veja mais claramente. Se a caçamba estiver cheia e você estiver movendo a máquina sobre terreno irregular ou superfícies que possam provocar escorregamento da máquina, opere sempre em baixa velocidade. Se não seguir este procedimento, a máquina pode desgovernar-se e capotar. Fonte: Manual Instrução de Segurança do Fabricante

Marcadores: ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@1:08 PM

0 comments

quarta-feira, março 13, 2013

Bafômetro ataca na sala de cirurgia

Pesquisa nos EUA indica que, mesmo sem ressaca, noite de bebedeira traz impacto negativo para as habilidades do cirurgião no dia seguinte

O que você pensaria como paciente, se um cirurgião participasse de uma festa de arromba, na véspera de sua operação? É provável que sua reação fosse negativa. Mas o fato é que não há regras limitando a quantidade de álcool que um cirurgião pode consumir na véspera de um dia na sala de operações.

TRABALHO COM RESSACA
■ 42% dos funcionários do sistema de saúde dos Estados Unidos já admitiram ter ido ao trabalho de ressaca, de acordo com estudo realizado em 1993.
■ Na classe médica, os cirurgiões são conhecidos como particularmente afeitos ao álcool, de acordo com outros estudos e com a observação de muitos profissionais da área.

EXPERIMENTO INCOMUM
Assim, um grupo de pesquisadores realizou um experimento incomum, publicado na revista científica Archives of Surgery. Eles reuniram seis cirurgiões muito experientes em procedimentos de laparoscopia - um tipo de cirurgia considerada minimamente invasiva - e os convidaram para jantar num restaurante. Com a comida, foi oferecida aos médicos uma quantidade ilimitada de álcool, seguida pela orientação de que bebessem até se sentirem embriagados.

Os pesquisadores levaram os médicos até suas casas naquela noite e os buscaram na manhã seguinte, deixando-os num laboratório equipado com um simulador que usa a realidade virtual. O aparelho é usado no treinamento das técnicas de laparoscopia.

O estudo se concentrou nos procedimentos de laparoscopia porque eles "exigem muito" das "capacidades cognitivas, perceptivas e visual-espaciais", que podem ser prejudicadas pela bebida.

Os cirurgiões foram testados no simulador às 9h, às 13h e às 16h. Em cada um dos testes, suas habilidades cirúrgicas se mostraram prejudicadas em relação ao resultado de um teste controle. Todos os cirurgiões foram testados com um bafômetro antes do início das cirurgias virtuais. Cinco dos seis participantes passaram no teste.

PROBLEMAS OBSERVADOS
No entanto, apenas os resultados obtidos às 13h apresentaram piora estatisticamente significativa em relação aos resultados do teste controle. Entre os problemas observados;
■ os cirurgiões cometeram mais erros e foram menos eficientes no  emprego do aparelho para queimar tecido como parte do processo cirúrgico.
■ À tarde, os cirurgiões também demoraram mais do que o normal para concluir as cirurgias virtuais, mas,
■ no teste realizado às 9h, eles concluíram o procedimento num tempo abaixo do considerado padrão.

PROBLEMAS NAS OPERAÇÕES VIRTUAIS
Mas os pesquisadores não ficaram animados com o pequeno número de pessoas que disseram sentir os efeitos da ressaca. Em vez disso, eles ficaram preocupados com o fato de os cirurgiões terem enfrentado problemas nas operações virtuais apesar de aparentarem estar sóbrios.

O estudo teve proporções pequenas demais para que os pesquisadores determinassem por quanto tempo os médicos devem se manter longe da bebida antes de participar de uma cirurgia. Entretanto, eles aconselham que, "levando-se em consideração os significativos desafios cognitivos, perceptivos, visual-espaciais e psicomotores envolvidos nas técnicas modernas de cirurgia orientada por imagens, abster-se do álcool na véspera de uma cirurgia pode ser algo recomendável para os cirurgiões".  Fonte: Estadão - 24 de abril de 2011

Comentário:
É um problema grave principalmente para os profissionais/trabalhadores que estão envolvidos em atividades que necessitam capacidades cognitivas, perceptivas e visual-espaciais, que podem ser prejudicadas pela bebida.
Um estudo  realizado na Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM),  empresa responsável pelo transporte ferroviário de passageiros na região metropolitana de São Paulo, no período de 2002 a 2004 constatou;
■ Entre maquinistas de trem e os 6122 trabalhadores da manutenção, cerca de 8% dos trabalhadores, usam álcool e outras drogas.

Uso de drogas - Regulamento Brasileiro da Aviação Civil nº. 120 (RBAC 120) de 2012.
Pilotos de aviões serão obrigados a fazer testes toxicológicos periódicos e após acidentes ou qualquer outro tipo de problema, mesmo que tenham acontecido em solo.
■ Profissional flagrado no antidoping, que identifica substâncias como maconha, cocaína, crack, álcool e LSD, será afastado e só poderá voltar ao serviço após passar por tratamento contra a dependência.
■ Caso o profissional se recuse a fazer o teste, ficará proibido de trabalhar e a punição será de até um ano de suspensão da licença, no caso do piloto, por exemplo. Outros países, como os EUA, já adotam a prática.
■ Os exames mais sofisticados, realizados a partir de amostras de cabelo, conseguem detectar produtos psicoativos consumidos até três meses antes do teste. 

Marcadores: ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@7:49 AM

0 comments

terça-feira, março 12, 2013

Câmera da CTTU flagra atropelamento de ciclista

Câmera instalada na Avenida Visconde de Jequitinhonha, em Boa Viagem, Recife, Brasil, flagra o atropelamento do ciclista.
Se observar o semáforo, ele estava verde, altera de verde forte para fraco, nesse instante que o ciclista começa atravessar na faixa e os carros que estão a direita diminuem a velocidade e o carro que vai atropelar surge pela esquerda em alta velocidade. O carro está alta velocidade, pois está muito rápido ( velocidade da câmera é de 24 fps, 86 km/h). Se os carros da direita diminuíram a velocidade, o carro atropelador deveria ter reduzido a velocidade por precaução.O ciclista está em estado grave no hospital.Março de 2013

Vídeo:

Marcadores:

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@12:30 PM

0 comments

sexta-feira, março 08, 2013

Guindaste tomba e o operador escapa de acidente na Rússia

Um operador de guindaste quase se envolveu em um grave acidente enquanto tentava movimentar um trator  a 15 m do solo para colocar num canal de uma represa.  Por falha de operação o guindaste tombou e o operador conseguiu escapar no último segundo, antes dos equipamentos caírem no canal.
Ninguém se feriu no acidente, apesar do prejuízo calculado em R$ 200 mil. Fonte: G1, 07/03/2013

Vídeo:

Comentário: Falha humana. Não levou em consideração o cálculo do contrapeso para o equilíbrio.

Fonte: Crane Accidents – atualizado até 04/05/2011 

INFORMAÇÕES
■Acidentes com guindastes nos EUA: média de 1 acidente a cada 2 dias e 1 morte a cada 3 dias.
■As estatísticas demonstram que em mais de 90% dos acidentes Com guindastes a causa se deve a falha humana

O QUE É ESTUDO DE RIGGING?
É o planejamento de movimentação de carga, Acidentes como a queda de um material a ser içado por guindaste podem ser evitados com a utilização de projeto de rigging, sendo calculados os pesos da peça, as tensões nos cabos, tensões adicionais nas soldas do material a ser içado, que são submetidas a esforços durante a movimentação, não usuais quando apenas em trabalho estático e os ângulos máximos permitidos para sustentar a peça.

PERFIL DO PROFISSIONAL DO RIGGER
■Facilidade em leitura e interpretação de plantas e desenhos técnicos.
■Conhecimento e habilidade em cálculos numéricos, matemática,geometria, trigonometria , física e resistência dos materiais.
■Conhecimento dos produtos comerciais para amarrações e leitura dos manuais correspondentes.
■Habilidade em utilização de recursos modernos, tais como: softwares, auto-cads, etc...
■Conhecimento das características dos guindastes existentes e com disponibilidade no mercado
■Facilidade na leitura dos manuais técnicos sendo que muitos são apresentados em inglês e no sistema britânico de medidas.
■Criatividade e visão espacial na elaboração do plano em função das condições locais e das características da peça
■Formação técnica adequada e experiência em obras de montagem eletromecânica.
■Motivação e comprometimento com o trabalho envolvido, procurando se atualizar constantemente em face às inovações aplicadas aos métodos construtivos e aos novos guindastes desenvolvidos no mundo.

O PLANO DE “ RIGGING” DEVE CONTER
■Todas as informações básicas e todos os parâmetros de segurança estabelecidos por normas e pelo fabricante do(s) guindaste (s) envolvido(s) em todas as fases operacionais, desde o transporte até o posicionamento final
■Definição da área necessária para o posicionamento da peça, para montagem e operação do guindaste, levando em consideração o local, os acessos e as interferências.
■Cálculos, dimensionamentos e listas de materiais de todos os elementos aplicados para ligação entre o guindaste e a peça, tais como: eslingas, acessórios em geral, balancins, etc.
■Configuração do guindaste com a definição de todas as variáveis e recursos do guindaste, tais como: raio(s) de operação, comprimento de lança, contrapeso, moitão, passadas de cabo, utilização de jib, mastros, etc...
■Seleção do guindaste mais adequado ao tipo de operação, buscando a melhor estratégia de içamento, com segurança e economia. Identificação completa do guindaste selecionado tais como: tipo, marca,modelo.série, capacidade nominal, etc.
■Demonstrar cálculos específicos e fatores de segurança aplicados para içamentos considerados de “alto grau de risco”, tais como: guindaste embarcado, içamento com 2 ou mais guindastes, içamento na beira de barrancos, sobre pontes, demolições, proximidade de redes elétricas,etc.
■Apresentar parâmetros de segurança obtidos na solução, tais como: porcentagem de utilização do guindaste, capacidade bruta tabelada, tabela de carga aplicada (% de tombamento),etc.
■Composição da carga bruta aplicada ao guindaste, discriminando todos os itens envolvidos e os fatores de segurança exigidos.
■Apresentar parâmetros de segurança obtidos na solução, tais como: porcentagem de utilização do guindaste, capacidade bruta tabelada, tabela de carga aplicada (% de tombamento),etc.
■Cálculo de fatores que podem influenciar na segurança da operação, tais como: força na sapata, pressão nas esteiras, velocidade máxima de vento permitida para a operação, etc.
■Definir folgas das interferências locais bem como da lança com a peça.Prever cuidados especiais em função de condições locais tais como: isolamento da área, sinalização visual, aterramento do guindaste, iluminação artificial, etc.
■Prever folgas normalizadas para o movimento do guindaste tais como: andar com a carga, giro do contrapeso próximo às interferências, etc.
■Apresentar todo o “Plano de Rigging” através de desenhos técnicos com todos os detalhes inteligíveis, juntamente com a “Memória de cálculo” e as Tabelas de Carga aplicadas. Fonte: Sobratema- Transporte e Movimentação de Cargas

Marcadores:

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@12:02 PM

0 comments