Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

quarta-feira, janeiro 09, 2013

Escutar som muito alto pode causar perda irreversível da audição

Sons que estão presentes no dia a dia, como o de uma avenida movimentada, o apito do guarda de trânsito e as buzinas podem provocar problemas no ouvido. Por isso, é importante protegê-lo e preservar a audição para evitar perda no futuro.

EXPOSIÇÃO A SOM ALTO E EXPLOSÕES
Falta de cuidados, muita exposição a som alto e explosões e uso constante de fones de ouvido podem causar perda irreversível da audição, segundo a otorrinolaringologista Tanit Sanchez. O volume máximo pode causar prazer a algumas pessoas, mas de acordo com a pediatra Ana Escobar, essa sensação passa rapidamente e o que fica é a destruição das células auditivas.
Essa audição perdida, seja por causa de ruídos fortes ou pelo envelhecimento, jamais será recuperada se as células auditivas tiverem morrido. Por isso, é importante utilizar os fones com moderação e não escutar música muito alta ou por muito tempo.


Canal auditivo
1- Pelos – Formam uma teia que protege o ouvido da entrada de insetos e corpos estranhos
2-Canal auditivo -  É o duto que leva o som até o tímpano. Também serve para proteger a membrana.
3-Cera – Protege, impermeabiliza o canal auditivo, impede a reprodução de fungos e bactérias e evita doenças como micoses e otites. Não deve ser removida.
4-Tímpano – É uma membrana delicada e mais fina que uma folha de papel e serve para separar o ouvido externo do médio. Se perfurado, pode haver perda de até 60% da audição e mais riscos de infecções
5-Ossos do ouvido – São três: martelo, bigorna e estribo. Fazem a comunicação do tímpano com a clóclea e transmitem o som
6-Clóclea – Dentro dela, há um líquido e, em seu revestimento interno, diversos cílios (pelos) que captam o som pelo movimento desse liquido. 

SOM ESTÁ PERTO DA ORELHA,
Quando o som está muito perto da orelha, ele é mais prejudicial porque vai direto para o tímpano.
Quando está propagado em um ambiente, como o interior de um carro, sofre interferência da janela, dos bancos e de toda a estrutura do automóvel até chegar ao tímpano, dessa vez com menor pressão sonora.
Assim como o resto do corpo, o ouvido também envelhece e, a partir dos 50 anos, as células auditivas começam a morrer. Esse envelhecimento, porém, não causa perda total da audição a não ser que esteja associado a outras doenças.

DOENÇAS
Problemas como diabetes, colesterol alto e pressão alta podem acelerar o processo de perda auditiva porque as três doenças diminuem a circulação do sangue no único vaso do ouvido, responsável pela nutrição.
Isso acontece porque os alimentos gordurosos aumentam o colesterol, deixando esse sangue com mais gordura e, conseqüentemente, com mais dificuldade para passar por esse vaso. Por isso, é bom evitar muito café, gorduras e doces.

MEMÓRIA
Outra complicação que pode acontecer como conseqüência da perda auditiva é o comprometimento da memória. Pesquisas recentes mostram que as pessoas conseguem recordar momentos, mas não sons. Ou seja, preservar a audição é também preservar um pouco da memória.

EXAME MÉDICO
Já pessoas que sentem tontura não devem confundi-la com labirintite. Apesar da maioria das tonturas serem de origem do labirinto, existem também causas neurológicas, vasculares e cardíacas. Por isso, é importante procurar um médico.

O médico também pode solicitar um exame de audiometria, que deve ser realizado, no mínimo, uma vez ao ano para medir a saúde do ouvido. Pessoas que trabalham em locais com muito barulho podem reduzir esse prazo para 6 meses.

LIMPEZA
Os cuidados também envolvem a limpeza e, ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, a cera não é sujeira. Ela funciona como um mecanismo de defesa do ouvido e protege contra infecções de bactérias e fungos.
Para limpar, a pediatra Ana Escobar recomenda retirar apenas a cera do lado externo do ouvido, quando já está visível, mas não todos os dias.
Não é indicado colocar bastonetes dentro do ouvido porque eles podem causar lesões e infecções nos tímpanos. Outra maneira é enxugar a região com a toalha depois do banho. Fonte: G1, em São Paulo-28/06/2012 

Vídeo:

Marcadores: , ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@10:11 AM