Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

segunda-feira, junho 03, 2013

Acidentes graves com pedestres com fones de ouvido

Número de acidentes graves com pedestres com fones de ouvido triplicou em seis anos
A distração gerada pela música e a incapacidade de ouvir sons exteriores geram risco

Aparelhos de MP3 são um risco à audição, alertam especialistas  Fones de ouvido de players de MP3 podem atrapalhar marca-passos  Dicas para usar fones de ouvido de forma correta e não prejudicar a audição  O número de acidentes graves com pedestres que andam com fones de ouvido (iPod, MP3, entre outros) triplicou em seis anos, informou um estudo feito nos EUA e publicado em uma revista especializada Injury Prevention, do grupo British Medical Journals.

As vítimas são principalmente adolescentes e jovens adultos.

A maioria dos incidentes acontece em zonas urbanas e apenas um caso em cada dez ocorre em área rural, de acordo com estudo realizado entre janeiro de 2004 e junho de 2011.

A idade média das vítimas é de 21 anos. Entre elas, um pouco mais da metade (55%) foram atingidas por trens. Dois terços (68%) são do sexo masculino e 67% tinha menos de 30 anos.

Durante este período, 116 casos foram registrados no total. Em 2004 e 2005 foram 16 casos, já em 2010 e 2011 este número subiu para 47.

Das 116 colisões, 81 (70%) foram mortais. Em três quartos dos casos, testemunhas relataram que a vítima usava fones de ouvido no momento do acidente.

Em 29% dos casos, buzinas ou sirenes de alarmes foram acionadas antes do pedestre ser atingido.

Para os pesquisadores, a distração do pedestre absorvido pela música, além da incapacidade de ouvir os sons exteriores, é provavelmente a causa dos acidentes.

Escutar música também reduz as fontes cerebrais que captam os estímulos externos, reduzindo a atenção visual a tal ponto que as pessoas ficam cegas ao que se passa no entorno, afirmou a equipe do Dr. Richard Lichenstein como hipótese.

"Os riscos pela utilização de aparelhos por condutores já foi bem documentado", escreveram. "Mas, sabemos pouco sobre a associação entre a utilização de fones e os acidentes com pedestres", acrescentaram. Fonte: UOL Ciência e Saúde - 17/01/2012  

Comentário:
Dicas para usar fones de ouvido de forma correta e não prejudicar a audição
Audição saudável - “O usuário deve conseguir escutar as pessoas ao seu redor, mesmo com o fone”.   De acordo com a fonoaudióloga Talita Donini, “pesquisas alertam que pessoas com menos de 30 anos têm apresentado problemas auditivos antes mesmo dos seus pais e avós”.

Um dos maiores vilões dos ouvidos são justamente os fones, porque o volume está sempre acima do ideal. “O usuário deve conseguir escutar as pessoas ao seu redor, mesmo com o fone”, diz Talita. Podemos ficar expostos a um som de 85 dB (decibéis), volume equivalente ao barulho do trânsito de uma avenida movimentada, por até 8 horas. Porém, é comum ultrapassarmos este nível. “Um show costuma emitir 100 dB e um aparelho MP3 chega a até 120 dB”, conta a fonoaudióloga.

Há outros fatores prejudiciais presentes no cotidiano como a exposição ao barulho de obras, ao som do carro, celulares e os ruídos constantes de quem vive em grandes cidades. “Como estamos cada vez mais conectados, a audição está recebendo estímulo o tempo todo, o que pode ser nocivo se não estivermos atentos a alguns cuidados”, explica.

PERDA AUDITIVA
Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), no mundo, hoje, há pelo menos 800 milhões de pessoas com alguma perda auditiva e esse número deve crescer para 1,1 bilhão até 2015. A surdez é uma das três deficiências mais comuns no Brasil, atingindo quase 6 milhões de pessoas. A fonoaudióloga alerta: “Por ser um problema silencioso, as pessoas levam em média sete anos entre detectar a perda auditiva e o início do tratamento”.

Confira alguns cuidados com os fones de ouvido para manter a saúde auditiva em dia:
■Regule o volume do fone na escala intermediária (se for de 0 a 10, o ideal é 5);
■Guarde os fones em uma embalagem, para não acumular sujeira, o que pode gerar contaminação;
■Respeitar intervalos de repouso sonoro, de preferência de uma a duas horas por dia;
■No carro, feche as janelas para que o som do rádio não compita com o barulho de fora;
■Se usar o fone em um ouvido só, alterne para não sobrecarregar apenas um lado;
■Lembre-se que diminuir o volume às vezes pode ser bom. Quando ouvimos uma música que gostamos, nossa tendência natural é aumentar o som. O ouvido facilmente se habitua à nova sensação e esquecemos que o nível de pressão sonora mudou;
■Ao tirar o fone, caso sinta abafamento, zumbido (chiado, apito ou qualquer outra sensação sonora) ou dor, cuidado: são sinais de superestimulação;
■Se puder fazer uma opção, dê preferência ao uso dos modelos supra-aurais. Tomando cuidado para não ultrapassar os limites sonoros, esses modelos tendem a ser menos nocivos que o fone de inserção;
Em caso de sintomas como zumbido ou ouvido tapado, consulte um médico otorrinolaringologista para avaliar sua audição. “Todos deveriam fazer o exame de audiometria pelo menos uma vez ao ano por prevenção”, finaliza Talita Donini. Fonte: UOL – Janeiro de 2012

ALGUNS ACIDENTES NO BRASIL
1-Pedestre com fone de ouvido é atropelado em Brasília
Um atropelamento no Eixão Sul, em Brasília, deixou o trânsito congestionado no sentido rodoviária no final da tarde de quinta-feira, 23 de maio de 2013.
O motorista disse que estava na velocidade permitida da via (80 km por hora) e que a vítima atravessava o Eixão com fones de ouvido. A menos de 150 metros do local do acidente há uma passagem subterrânea, na estação do metrô da 112 Sul. A vítima foi levada consciente pelos bombeiros ao Hospital de Base
2-Biarticulado atropela mulher distraída que usava fones de ouvidos
Uma mulher de 20 anos que estava distraída com fones de ouvido foi atropelada por um biarticulado na manhã de quarta-feira,  5 de setembro de 2012, em Curitiba. O acidente ocorreu com um veículo da linha Pinheirinho/Rui Barbosa, na avenida Sete de Setembro. A vítima atendida pelo Siate teve ferimentos de gravidade média.
O atropelamento ocorreu em frente à Praça Oswaldo Cruz. Os cerca de cem passageiros que estavam no coletivo não sofreram ferimentos, apesar da parada brusca. A jovem foi encaminhada ao Hospital Evangélico sem risco de morte..
3-Cientista morre atropelado, usava fone de ouvido
Morreu na noite de  quarta-feira, 14 de março de 2012, César Ades, professor da Universidade de São Paulo, vítima de um atropelamento na semana passada, informou a assessoria de imprensa da USP.  Ele estava passeando e cruzou a avenida  Brigadeiro Luís Antônio, fora da faixa e do sinal e ainda com fone de ouvido.

Marcadores: , , ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@3:16 PM