Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

quinta-feira, setembro 29, 2011

Melões contaminados causam mortes nos Estados Unidos

Um foco de listeriose matou 13 pessoas e infectou outras 72 nos Estados Unidos, segundo informou nesta quarta-feira (28) o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) do país.

A doença é provocada por uma bactéria chamada Listeria monocytogenes. Esse micro-organismo foi encontrado em melões contaminados na fazenda Jensen Farms, localizada na cidade de Granada, no estado de Colorado.

Com sintomas parecidos com os de gripe, a listeriose pode causar dores musculares e febre. A doença é mais grave em grávidas - elas podem até perder o bebê ou a criança pode nascer com meningite. Segundo o CDC, idosos, recém-nascidos e adultos com as defesas do corpo enfraquecidas também são alvos mais fáceis para a infecção.

Quatro tipos diferentes da bactéria já foram detectados em até 18 dos 50 estados norte-americanos desde o início do surto, em 15 de agosto. Já as mortes aconteceram somente nos estados de Coloroado, Kansas, Maryland, Missouri, Nebraska, Novo México, Oklahoma e Texas.

A própria fazenda solicitou que seus produtos fossem recolhidos depois da agência que regula remédios e alimentos nos Estados Unidos (FDA) ter identificado a origem do foco.

O tipo de melão infectado é conhecido como Rocky Ford - nome de uma cidade no Colorado famosa por esta variedade da fruta. Mas as autoridades sanitárias do país alertam que a Listeria pode crescer em outros tipos de melões, guardados dentro ou fora da geladeira.

Fonte: G1 - 28 de setembro de 2011

Comentário:
Os perigos biológicos de frutas, como melão, são provenientes de várias fontes, tais como: matéria orgânica do solo, répteis, insetos, sistemas de irrigação, água poluída com material fecal, fertilizantes orgânicos não tratados e ainda, higiene do pessoal e dos equipamentos de colheita. O fato dos melões serem cultivados diretamente em contato com o solo faz com que os perigos biológicos sejam, inevitavelmente, os mesmos referentes aos microrganismos de onde estão sendo cultivados.

A microbiota destes frutos caracteriza-se pela presença de Pseudômonas spp, Erwinia herbicola e Enterobacter agglomerans, bactérias do ácido lático, como Leuconostoc mesenteroides, Lactobacillus spp e leveduras, e as do gênero Pseudomonas. Em relação aos patógenos os melões podem carrear do campo Salmonella, Shigella, Campylobacter, Escherichia coli, Staphylococcus aureus, Clostridium botulinum, Bacillus cereus, espécies de Vibrio, vírus da hepatite A e Norwalk, além de fungos como Cryptosporidium e Cyclospora.

A preocupação com a presença de patógenos nesses produtos é reforçada, uma vez que a maioria das vezes os melões são consumidos de forma “in natura”, em saladas e/ou minimamente processados.

CONTAMINAÇÃO NA PLANTA OU SEMENTE
A contaminação pode ter sua origem ainda na planta, através das sementes ou do ambiente durante o seu desenvolvimento. As sementes são fontes de patógenos como Bacillus cereus e Salmonella e outros fungos que podem causar doenças póscolheita. A maioria das contaminações ocorre no lado de fora ou na superfície das plantas, entretanto, em algumas frutas, os tecidos podem ser invadidos ainda em estágios iniciais de desenvolvimento dos frutos.

CONTAMINAÇÃO DO SOLO
O histórico do solo no qual são produzidas as frutas é um fator geralmente ignorado, mas não deve ser descuidado, pois algumas bactérias podem sobreviver em solos por meses ou anos. Por exemplo, Salmonella e Listeria monocytogenes poderiam sobreviver por meses em adubos provenientes de material de esgoto, humano ou animal aplicado em solos. Animais, insetos e pássaros, são potenciais fontes de contaminação, pois são carreadores de microrganismos patogênicos.

Os microrganismos patogênicos tais como Listeria monocytogenes, Salmonella, Clostridium botulinum e Escherichia coli são os mais associados com a agricultura constituindo perigos potenciais na cultura do melão.

LISTERIA
Listeria, devido a sua grande distribuição no ambiente, tem capacidade de sobreviver por longos períodos de tempo no solo ou em material de plantas, sobre condições adversas e também pode ser veiculada por meio de pássaros.

SALMONELLA
Salmonella é encontrada largamente no solo, água, esgoto, animais, humanos, equipamentos de processamento e outros produtos alimentícios. Seu habitat natural é o trato intestinal de animais que, em alguns casos são portadores assintomáticos. Salmonella não é normalmente associada com produtos frescos, mas pode ocorrer devido à contaminação por estercos animais ou pessoas
infectadas.

CLOSTRIDIUM BOTULLINUM
Clostridium botullinum é encontrado principalmente no solo e no caso de melões minimamente processados, este pode se constituir um perigo em potencial.

ESCHERICHIA COLI
A Escherichia coli está presente no trato de animais e homens e pode ser encontrada como contaminante do solo, água e plantas. Estes microrganismos geralmente não sobrevivem por muito tempo no solo e planta, portanto a sua presença sugere contaminação recente. Muitas estirpes deste microrganismo são habitantes naturais do trato intestinal humano e, geralmente, são inofensivos. Entretanto, outras estirpes como E. coli O157:H7, são capazes de causar doenças e morte no homem. Fezes e água não tratadas são as maiores fontes de contaminação deste microrganismo. Estudos relatam que esterco utilizado como fertilizante ou corretivo de solos é fonte potencial de E. coli 0157:H7 e Salmonella e que estes patógenos podem sobreviver em estercos bovinos por 42-49 dias a 37 0 C e por 49-56 dias a 22 0 C.

IRRIGAÇÃO
Os perigos biológicos para melão representados pela água de irrigação, são principalmente patógenos como Escherichia coli, Salmonella sp, Vibrio cholerae, Shigella sp, etc; assim como parasitas: Chyptosporidium parvum, Giardia lamblia, Cyscospora cayetanenses, etc; e os vírus Norwalk, Hepatitis A, Hepatitis E, Enterovirus, Rotavirus, etc.
Além dos patógenos, bactérias deterioradoras, leveduras e fungos, parasitas e vírus dominam a microflora de frutas frescas, como o melão, causando doenças infecciosas para o homem.

A presença e o número destes microrganismos dependem do tipo de produto, práticas agronômicas, área geográfica de produção e condições climáticas antes da colheita.

CONTAMINAÇÃO POR MANUSEIO
Nas etapas de colheita e pós-colheita a introdução do contato humano e mecânico tem tido maior impacto na segurança microbiológica de produtos frescos. Os perigos nestas etapas advêm da contaminação por manuseio pós - colheita, animais domésticos, esteiras transportadoras, superfícies da área de trabalho, água de lavagem, caixas e/ou monoblocos para embalagens, pallets e caminhões utilizados para o transporte.

HIGIENE PESSOAL, EQUIPAMENTOS
Os perigos associados a pessoal estão diretamente relacionados às práticas sanitárias de rotina das quais, na maioria das vezes, os funcionários não estão conscientes. Trabalhadores rurais têm sido relacionados como as principais fontes de contaminantes, associado a surtos de cólera com melões cortados. Aqui, patógenos como S. aureus, têm sido um dos mais preocupantes, embora outras bactérias como enterobacteriaceaes possam constituir perigos à saúde pública.

Os utensílios, equipamentos, meios de transportes (tratores e caminhões) e ainda os packing-houses constituem fontes potenciais destes perigos, assim planos de higiene e sanitização devem ser implementados para redução dos mesmos. A ausênciae/ou processo de sanitização ineficiente podem promover a formação de biofilmes (agregados microbianos que abrigam bactérias, leveduras e fungos) em equipamentos, utensílios e transporte requerido para colheita e pós-colheita de frutos. Fonte: Embrapa – Frutas – Perigos na Produção de Melões

Vídeo:

Marcadores: , ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@12:29 PM