Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

quinta-feira, setembro 02, 2010

Salmão é geneticamente alterado nos Estados Unidos


FDA decidirá se salmão transgênico pode ser consumido nos EUA
No dia 19, agência dará início a reunião de três dias para discutir aprovação do 'AquAdvantage'


Foto:Uma espécie de salmão de águas atlânticas foi geneticamente alterada para gerar indivíduos maiores. Na imagem, o peixe ao fundo foi manipulado no AquaBounty Technologies. O salmão alterado possui quase o dobro do comprimento do original. A agência norte-americana para controle sanitário irá decidir se consumo do peixe será autorizado. (Foto: REUTERS / Barrett & McKay Photo / AquaBounty Technologies / Handout)

As Autoridades de saúde americanas devem decidir se um salmão geneticamente modificado, que cresce mais e mais rápido que os naturais, pode ser liberado para o consumo nos Estados Unidos. Se a decisão for favorável, esse será o primeiro animal transgênico presente à mesa da população no país.
No dia 19 de setembro, a agência de vigilância sanitária Food and Drug Administration (FDA) dará início a uma reunião de três dias para discutir a possibilidade de aprovar o salmão modificado, chamado de AquAdvantage. Consultores externos vão oferecer dados e aconselhamento, embora a FDA tome a decisão final posteriormente.

A empresa de biotecnologia Aqua Bounty Technologies Inc., de Massachusetts, busca aprovação para vender o salmão transgênico para criadores em todos os Estados Unidos. O peixe é manipulado para crescer o dobro que o tradicional salmão do Atlântico, algo que, segundo a companhia, poderia impulsionar o setor pesqueiro americano e reduzir o impacto sobre o meio ambiente.

Mas especialistas em defesa do consumidor e em segurança alimentar estão preocupados que a alteração genética dos peixes possa ter o efeito contrário, levando a uma agricultura mais industrial e a uma potencial evasão para o campo. Os efeitos colaterais do consumo do peixe também são desconhecidos, com poucos dados para mostrar que ele é seguro.
"Estão, basicamente, colocando os peixes sob hormônio de crescimento permanente para que possam vender animais maiores e mais rapidamente", disse o analista político Jaydee Hanson, da ONG Centro para Segurança Alimentar.

A iniciativa também levanta questões sobre a industrialização dos suprimentos alimentares do país, numa época em que os consumidores - irritados com recalls de ovos e outros produtos - estão cada vez mais preocupados com segurança e interessados em refeições produzidas localmente.

Se a luz verde for dada pela FDA, o salmão pode ser seguido por uma truta e uma tilápia geneticamente modificadas pela Aqua Bounty. Outros cientistas também estão desenvolvendo porcos e vacas transgênicos para o consumo. Atualmente, os Estados Unidos já permitem vegetais transgênicos.
"Esse é um salmão do Atlântico em todos os sentidos mensuráveis", disse o presidente executivo da empresa, Ronald Stotish. "Quando você olha para o peixe, é impossível ver a diferença", completa.

A possibilidade de os consumidores aceitarem ou não animais geneticamente modificados pode impulsionar ou quebrar a empresa de biotecnologia, que aposta seu futuro nessa técnica desde que espera por uma aprovação, há 15 anos. Em 2009, a companhia registrou uma perda de US$ 4,8 milhões após uma reestruturação, em 2008, para preservar o caixa e se concentrar em terminar o processo de aprovação na FDA. Neste ano, a Aqua Bounty viu suas ações subirem 75%, para US$ 16 cada.

Fonte: Estadão - 31 de agosto de 2010


Foto: Modelo de fazenda de peixe no mar.

Comentário
Imagina um peixe GM (geneticamente modificado) escapar das instalações de engradados flutuantes no mar o que poderá acontecer com o salmão nativo? Competição pelo alimento? O que poderá acontecer no organismo humano? Quais serão as conseqüências desses salmões criados em cativeiros (fazendas), escaparem para o mar?
Há precedências de acidentes ou incidentes desde os cruzamentos de espécies criados ou pesquisas em laboratórios ou em cativeiros, tais como; abelha africana, caramujo africano, ou invasões biológicas marinhas trazidas por navios (água de lastro).
É mais um experimento criado por pesquisadores com interesses econômicos retirados da Caixa de Pandora. As conseqüências que poderão ocorrer são camufladas.

Alguns dados interessantes
■ Em 2000, em uma fazenda da região de Maine, EUA, escaparam 100.000 salmões
■Em 2007, Alabama, Mississippi e Louisiana proibiram peixe chinês depois que nas amostras foram encontrados antibióticos proibidos para uso em peixes, pelo Food and Drug Administration (FDA).
■ As preocupações também surgiram sobre o potencial para piscicultura para espalhar doenças aquáticas à pesca nativa, padrões epidemiológicos indicaram que o salmão de fazendas promoveu a disseminação de piolhos do mar, anemia infecciosa do salmão e propagando a doença para as populações nativas na Europa e América do Norte.. Fazendas de camarão também foram altamente suscetíveis à doença. Por exemplo, o vírus da síndrome da mancha branca dizimou as operações de aquacultura em algumas partes da Ásia e da América do Sul e ameaçava se espalhar para o camarão e outros crustáceos nativos através do camarão criado em cativeiro, devido inundações, descargas de lagoa ou a predação de aves.
■ Ambientalistas também criticaram fazendas de peixes marinhos como fontes de poluição grave, argumentado que o problema pode piorar com o crescimento da aquicultura. Eles analisaram as concentrações em descargas de resíduos de cercados e gaiolas em oceanos, incluindo fezes, alimentos não consumidos pelos peixes, antibióticos e pesticidas. Fonte: CQ Reseach
■ Estudo recente encomendado pela União Européia, revelou que peixes que são modificados para crescer mais rápido também têm uma maior tolerância às toxinas em seu ambiente. Os pesquisadores manifestaram preocupação com essas toxinas e o hormônio de crescimento acabariam nos consumidores.
■ A incapacidade da FDA para testar toda a gama de ameaças à saúde dos consumidores por alimentos transgênicos introduzidos, os testes da agência não incluem uma análise dos impactos dos animais transgênicos no meio ambiente.

Marcadores: , ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@6:09 AM