Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

domingo, julho 06, 2014

Trabalhador fica preso em torre de 72 metros de altura

Um trabalhador de 37 anos ficou pendurado por cerca de 40 minutos em uma torre de transmissão com 72 metros de altura, na tarde de sábado, 5 de julho, em Guarapuava, na região central do Paraná.

SENTIU-SE MAL
Segundo o Corpo de Bombeiros, ele subiu na torre para fazer uma manutenção e acabou passando mal enquanto estava no topo da torre.  
Assim que se sentiu mal, ele entrou em contato utilizando um rádio comunicador com outro trabalhador que estava monitorando o serviço no pé da torre.

TRABALHADOR CHEGOU A DESMAIAR
Segundo os bombeiros, o trabalhador chegou a desmaiar e ficou preso apenas pelos equipamentos de segurança. Além disso, os bombeiros afirmaram que esse tipo de torre de transmissão balança com o vento, o que pode ter provocado o mal-estar no homem.

RESGATE
Pelo menos seis bombeiros fizeram parte do resgate do trabalhador. Ele foi encaminhado para a Urgência Municipal do Pérola do Oeste e passa bem. Fonte: G1-05/07/2014

Artigos publicados
Síndrome da suspensão inerte
Com trabalho em altura, erros podem ser fatais
Planejamento de resgate em altura
Acidente na montagem de cabo de fibra óptica OPGW
Técnico cai de torre telefônica e morre
Trabalho em altura – Exames clínicos
http://zonaderisco.blogspot.com.br/2007/07/trabalho-em-altura-exames-clnicos.html

Comentário:
A NR-35 recomenda a análise do riso e considerar;
■ o uso de sistema de comunicação entre aqueles que sobem na torre e os que permanecem junto à base.
■ as situações de emergência e o planejamento do resgate e primeiros socorros, de forma a reduzir o  tempo da suspensão inerte do trabalhador;

Nos EUA as recomendações são mais especificas e incisivas, pois existe norma especifica para torres de telecomunicação.
■Regra geral:  O empregador deve estabelecer e documentar procedimentos para resgate dos trabalhadores em caso de emergência, o que deve incluir se o empregador indicará seus próprios trabalhadores para realizar os procedimentos de resgate ou se o empregador indicará terceiro para executar os procedimentos de resgate.
■Em caso de uso de empregados próprios, eles devem ter no mínimo 1 ano de experiência com comprovação de treinamento e proficiência. Devem ser documentados.
No local de trabalho deve ter no mínimo dois trabalhadores para emergência
■Em caso de terceiros. No nosso caso seria o Corpo de Bombeiros ou empresa de resgate
Para empresa de resgate
(a) checar a experiência da equipe de resgate se é capaz de responder a uma chamada de emergência em tempo hábil.
(b) checar se a empresa é proficiente com tarefas e equipamentos relacionados com o resgate quando se referem a resgatar trabalhadores em alturas elevadas nas estruturas de telecomunicação.
(c) Proporcionar a equipe de resgate selecionada antecipadamente a relação dos trabalhadores que executarão os serviços, que irão subir / descer as estruturas, as alturas em que os trabalhadores estarão trabalhando, os nomes e números de telefone para contatos com o empregador, a duração do projeto esperado, e qualquer outra informação que seja solicitada pela equipe de resgate.

Acidentes
Riscos que predominam na execução de serviços em torres de telecomunicação:
■queda de grande altura
■riscos elétricos
■riscos associados com elevação de pessoal e equipamentos com guincho de cabo
■condições atmosféricas
■queda de objetos
■falha de equipamento
■colapso estrutural de torres

Nos primeiros meses de 2014, a OSHA registrou 7 fatalidades

Marcadores: ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@3:25 PM

Assinar
Postagens [Atom]