Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

segunda-feira, janeiro 13, 2014

Dispositivos móveis podem estar infectados com bactérias perigosas

Dê uma olhada no seu dispositivo móvel, seja o tablet, o laptop ou o celular. Você vê marcas de impressões digitais na tela? Poeira e migalhas nos cantos? Um fio de cabelo preso? Como nossos produtos eletrônicos estão sempre ao nosso alcance, eles podem ficar bastante sujos. Vários estudos mostram que, por isso, podem acumular mais bactérias do que a sola do sapato.

FONTES DE TRANSMISSÃO DE DOENÇAS
- Que estes dispositivos podem ser fontes de transmissão de doenças já não está nem mais em discussão - afirmou ao “New York Times”, Dubert Guerrero, especialista em doenças infecciosas da Sanford Health, nos EUA, e coautor do estudo sobre a persistência de bactérias em iPads, publicado no “American Journal of Infection Control”.

Em sua análise, o especialista da Universidade de Dakota do Norte avaliou 20 iPads usados em seu hospital e mostrou que 15% deles estavam infectados por bactérias potencialmente perigosas, como Staphilococus aureus e Clostridium difficile, que podem causar diarreias.

LIMPEZA
A maioria das fabricantes aconselha usar apenas um pano de microfibra para, suavemente, limpar a tela dos equipamentos. Mas o pesquisador acredita que isto não seja suficiente.
“Embora o pano possa ser eficaz na eliminação do Staphylococcus aureus resistente à meticilina (MRSA), não elimina completamente algumas bactérias clostridium difficile, e inclusive o vírus da gripe”, afirma no artigo, e diz que estas ameaças só podem ser totalmente combatidas com agentes como água sanitária e álcool.

A saída seria, portanto, usar capas protetoras que possam ser lavados, que permitiria limpar o dispositivo sem danificá-lo. Outra opção, segundo o NYT, é produzir a sua própria solução com água destilada e álcool e usar um pano para limpar o dispositivo, embora seja pouco recomendado por fabricantes. Também existem desinfetantes ultravioletas no mercado. Fonte: O Globo-Publicado:8/01/14

Celulares têm, em média, dez vezes mais bactérias do que banheiros

Pesquisadores da Universidade do Arizona descobriram que há, em média, mais bactérias no celular do que em um banheiro. Os testes mostraram que a média é dez vezes mais invasores que podem causar problemas de estômago e náuseas do que no ambiente de higiene pessoal. A conclusão foi divulgada no jornal britânico Daily Mail.

Microbiologista da Universidade do Arizona, Charles Gerba alerta para o fato do aparelho estar sempre próximo às mãos e à boca. Não só a higiene pessoal precisa ser boa, mas também a do estranho para quem você pode emprestar o celular. O ideal é passar no aparelho alguma substância antibacteriana ocasionalmente.

Pesquisas anteriores já mostraram que outros objetos que as pessoas geralmente julgam limpos são, na verdade, muito contaminados. Caixas de banco, por exemplo, têm tantos pseudomonas e bacilos, bactérias que podem causar diarreia, quanto banheiro público. Teclados de computador também costumam ser cinco vezes mais sujos do que um assento sanitário. O Globo - Publicado:31/08/12

Comentário:
Você deve lavar as mãos:
* Antes de comer ou manusear os alimentos;
* Antes e após ter utilizado as instalações sanitárias;
* Após assoar o nariz, tossir ou espirrar;
* Após tocar em animais ou nos seus dejetos;
* Após manipular e/ou transportar lixo;
* Após mudar fraldas;
* Antes e após tocar em doentes ou feridas;
* Antes e após visitar paciente.
* Após pegar em dinheiro ou andar em transportes públicos

* Os profissionais de saúde devem tomar mais cuidado com a assepsia das mãos, pois seus pacientes estão mais vulneráveis às infecções. Por isso, devem sempre lavar as mãos antes e após ter contato com os doentes, com fluidos orgânicos e usar luvas.

Marcadores: , ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@4:06 AM

Assinar
Postagens [Atom]