Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

quarta-feira, dezembro 28, 2011

Acidente na plataforma da Petrobras no Rio Grande do Norte deixa um morto

Um acidente na Plataforma Ubarana 3 (PUB-3) da Petrobrás, em alto mar, na área de Guamaré (165 km de Natal), Rio Grande do Norte, na tarde de segunda-feira, 16 h 30min, 26 de dezembro, provocou uma vitima fatal e dois feridos.

O ACIDENTE
O acidente ocorreu durante o transbordo da embarcação para a plataforma, quando, segundo informações, o guindaste de transbordo, após manobra brusca, teria se chocado com os alojamentos e balançado o cesto, com isso, alguns trabalhadores que estavam dentro do equipamento caíram de uma altura aproximada de seis metros.

VÍTIMAS:
Três vítimas, sendo uma fatal o técnico de segurança ADL, e dois feridos o mecânico FWV e o técnico de operação PLSN.
ADL permaneceu em atendimento médico na enfermaria da PUB-2, devido seu estado grave, com a necessidade de estabilizá-lo para poder desembarcar e ser atendido em hospital. Mas era muito grave e faleceu antes, às 20h40, com suspeita de fratura interna, hemorragia e parada cardíaca.
O mecânico FWV conseguiu segurar em um corrimão e sofreu apenas escoriações leves, o técnico de Operação PLSN fraturou o fêmur e o tornozelo.

EMERGÊNCIA/ATENDIMENTO
Os feridos foram atendidos na enfermaria da PUB-3 e depois transferidos para mais atendimentos na plataforma Ubarana 2 (PUB-2). Após os primeiros procedimentos, os dois feridos desembarcaram para acompanhamento em Natal. O técnico de segurança ADL, não resistiu aos ferimentos, morreu por volta das 20h40 ainda na plataforma.

FALHA NO ATENDIMENTO
Segundo parente de uma das vítimas, o socorro chegou por volta das 19h30.
Segundo Sindipetro-RN, faltaram helicópteros e atendimento adequado para os trabalhadores acidentados.

CESTO DE TRANSBORDO
Segundo o sindicato uma empresa do porte da Petrobras não poderia usar tecnologia tão frágil, como esta que acidentou três trabalhadores.

INVESTIGAÇÃO
Uma comissão técnica da empresa já foi instituída para apurar as causas do acidente e deve se pronunciar nas próximas semanas. "A Polícia Civil e a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) foram comunicadas oficialmente sobre a ocorrência”, informou a Petrobras, garantindo que a empresa "está prestando toda a assistência à família do empregado e dos outros dois trabalhadores."

Fontes:UOL Notícias, Tribuna do Norte e Nominuto - 27 de dezembro de 2011

Comentário:
Como toda grande empresa a Petrobras tem seu portfólio do Meio Ambiente e Segurança. do tipo Taylor-Made. É o portfólio do imaginário e não do real. Chamo isso, de marketing do botox, é o marketing da simulação, o importante não é o que as coisas são, e sim o que parecem ser ou procuram transmitir para que os outros pensem que sejam um produto de alta qualidade, atuação responsável, etc
O que diz o código de ética da empresa que está no site:
“ O respeito à vida em todas as suas formas, manifestações e situações é o principio ético fundamental e norteia o cuidado com a qualidade de vida, a saúde, o meio ambiente e a segurança no Sistema Petrobras.
Se levarmos ao pé da letra esse item do código, a empresa deveria buscar na tecnologia de segurança, o que há de inovação quanto a transferência de pessoal (embarque/desembarque). No mercado de tecnologia de ofshore há equipamentos de segurança inovadores em relação ao tradicional cesto de corda. O desastre é inerente a qualquer tipo de atividade, mas a empresa deve demonstrar aos trabalhadores sua preocupação quanto a sua proteção com equipamentos considerados mais seguros e confiáveis.
A transparência na gestão da empresa deve ser integral, incluindo a ética, a transparência e qualidade aos trabalhadores quanto à segurança.

RECOMENDAÇÕES PARA TRANSFERÊNCIA DE PESSOAL COM MAIS SEGURANÇA
Com base na análise dos dados de incidentes acessíveis os seguintes passos são recomendados como um meio para melhorar a segurança de Transferências de Pessoal para as Plataformas Marítimas

Foto - Cesto de corda – Acidente ocorreu com esse tipo de cesto – Preço – US$ 2.000,00

1. TREINAMENTO DE TRIPULAÇÕES E PASSAGEIROS
Operadores de guindaste e equipes devem ser adequadamente treinados para conduzir operações de transferência de pessoal. Fornecedores/fabricantes de equipamentos de transferência devem oferecer vídeos técnicos e treinamento no local de trabalho como planejamento e auxílio no treinamento.
Os Fornecedores/Fabricantes também devem oferecer treinamento em terra e plataforma offshore, especialmente em instalações com transferências regulares.

2. EQUIPAMENTO ESPECIALMENTE PROJETADO
Equipamento adequadamente projetado deve proteger os passageiros das quedas, s desembarques pesado, impactos e imersão.
Os novos equipamentos de transferência com estruturas rígidas são muito mais eficazes nesses objetivos. As estruturas rígidas têm vantagens importantes sobre uma cesta de corda, quando transportando uma maca, fornecendo proteção contra impactos laterais.

Foto-cesto com estrutura semi-rígida

3. PLANEJAMENTO PRÉ-OPERACIONAL
Antes de realizar qualquer operação de transferência de pessoal, planejamento e avaliação de risco sistemático devem ser realizados. Isso deve levar em conta as condições locais, tais como ventos, estado do mar, visibilidade, área de pouso, operador de guindaste e equipe de convés de sinalização. Os operadores devem tomar medidas adequadas para gerenciar os riscos onde eles são considerados altos. Recomenda-se que todas as operações de transferência estão devidamente registradas e assinadas por pessoas responsáveis. Isso também servirá como um registro muito útil de operações de transferência e ajudará na possível análise de operação.

4. GUINDASTE EQUIPAMENTO VERIFICA
Uma parte importante de garantir uma transferência segura é manter boas práticas de manutenção do guindaste. Recomenda-se também que as inspeções especiais e controles são efetuados antes das transferências de pessoal, uma vez que a conseqüência de qualquer falha pode ser muito grave.

Foto- Cápsula de segurança

5. CHECAR EQUIPAMENTOS DE TRANSFERÊNCIA
Inspecionar completamente todos os equipamentos de transferência e verificar corretamente o içamento antes de usá-lo. Isto deve ser realizado em conformidade com as diretrizes dos fabricantes.
A execução de qualquer um dos itens individuais acima deve resultar em uma melhoria na segurança. A execução de todas as recomendações deve resultar em uma grande melhoria. Fonte: Offshore Technology

Vídeo:
Cesto de corda com estrutura semi-rígida 

Vídeo:
Cesto de corda com transferência de pessoal pelo lado externo

Vídeo:
Cápsula de Segurança

Vídeo:
Cápsula de Segurança

Vídeo:
O que deu quase errado na transferência

Marcadores: ,

Assinar
Postagens [Atom]