Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

quinta-feira, outubro 15, 2009

Manuseio de Cilindros de Gases

■ Nunca fume nas proximidades das instalações!
■ Não provoque faíscas ou fogo perto dos cilindros de gases!
■ Use luvas protetoras, calçados de segurança com biqueiras de aço e óculos de segurança.
■ Mantenha o capacete protetor da válvula atarraxado quando não estiver em operação.
■ Não movimente um cilindro sem seu capacete
■ Utilize carrinhos com correntes que permitam prender os cilindros durante o transporte
■ Nunca manuseie os cilindros com as mãos sujas de graxa ou óleo.
■ Nunca exponha os cilindros a altas temperaturas
■ Ao armazenar os cilindros em baias separadas, separando os cilindros cheios dos cilindros vazios, sempre com capacete de acordo com o tipo de gás utilizado em ambientes cobertos, ventilados, secos e longe de qualquer fonte geradora de energia que possam gerar faíscas, manter as baias fechadas com correntes para evitar a queda dos cilindros
■ Nunca utilizar toda a carga do cilindro deixar sempre de duas a três libras, para que não haja a contaminação interna do cilindro.
■ Ao término da utilização de seu cilindro de gás, feche as válvulas do mesmo e descarregue por completo a sobra que possivelmente esteja nas mangueiras.
■ Observar sempre o teste hidrostático dos cilindros (validade do cilindro, dia/mês/ano) que, deverão seguir e obedecer as normas vigentes de acordo com o gás e o tipo de cilindro em questão.
■ Não içar ou transportar pelo capacete em nenhuma hipótese os cilindros de gases, sempre usar um carrinho adequado para o transporte do mesmo.
■ Não descaracterizar os padrões de pintura dos cilindros que seguem as normas brasileiras de identificação de gases industriais ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).
■ Ter sempre em mãos a FISPQ (Ficha de Informações de Segurança do Produto Químico) ou (MSDS, Material Safety Data Sheet) dos gases sendo utilizados.
■ Em caso de dúvidas, entrar em contato com seu fornecedor de Gás, ele tem total condições de sanar todas suas dúvidas.

Armazenamento dos Cilindros

1. Cobertura
2. Separação do ambiente externo
3. Parede “Corta-Fogo”
4. Extintor de incêndio
5. Correntes de Fixação
6. Identificação dos gases e seus riscos
7. Iluminação à prova de explosão, para gases combustíveis


■ Acondicione os cilindros por tipo de gás;
■ Mantenha-os com seus capacetes, em posição vertical e amarrados com correntes;
■ Separe os cilindros contendo combustíveis (ex.: hidrogênio, acetileno) dos cilindros contendo oxidantes (ex.: oxigênio) à distância mínima de oito metros;
■ Mantenha os cilindros cheios separados dos vazios;
■ Não remova os sinais de identificação dos cilindros (rótulos, adesivos, etiquetas, marcas de fabricação e testes).
■ Não fume na área de armazenamento de cilindros;
■ Não permita o manuseio dos cilindros por pessoal sem prática;
■ Em áreas externas, mantenha os cilindros sem local arejado, coberto e seco, longe de fontes de calor e ignição;
■ Mantenha equipamentos de segurança próximos da área de estocagem


(1) Armazenamento de um único Cilindro
■ Fixar o Cilindro com corrente.
■ Usar sempre capacete de segurança.
■ Em todas as situações, sempre a Política de Não Fumar.

(1A) Sistema de Contato de Três Pontos
Todos cilindros estão em contato em três pontos - ou com outros cilindros ou com a parede.

(1B) Sistema de Contato de Três Pontos
Todos cilindros estão em contato com outros cilindros em três pontos.


Outro tipo de armazenagem de cilindros

Sugestão básica do que se fazer numa emergência com Gases

Vazamento da válvula
■ Verificar se o vazamento é na Gaxeta. Caso positivo, realizar o aperto com a chave de boca adequada;
■ Caso não for possível identificar o vazamento, ligar para o seu fornecedor e registrar a reclamação;
■ Identificar o cilindro com defeito;
■ Segregar para devolução.

Vazamento em cilindros de gases inflamáveis
■ Removê-lo para uma área aberta e ventar;
■ Deixá-lo longe de qualquer fonte de ignição;
■ Ligar para seu fornecedor e registrar a reclamação;
■ Identificar o cilindro com defeito

Estourar a válvula de segurança.
■ Ligar para o seu fornecedor e registrar a reclamação;
■ Identificar o cilindro com defeito;
■ Segregar para devolução.

Tombamento de cilindro
■ Não tente segurá-lo! O cilindro é muito pesado e causará lesões;
■ Se não ocorreu nenhum problema, levante com cuidado a partir do topo;
■ Ocorrendo vazamento, quebra da válvula ou outro problema, isole a área.

Incêndio
■ Isolar a área;
■ Chamar o bombeiro de plantão na sua empresa.
■ Ligar para o seu Fornecedor.

O que diz a norma
É proibido
a) a utilização de equipamentos em que se constate vazamento de gás;
b) submeter equipamentos a pressões superiores àquelas para as quais foram projetados;
c) a utilização de cilindros que não tenham a identificação do gás e a válvula de segurança;
d) a movimentação dos cilindros sem a utilização dos equipamentos de proteção individual adequados;
e) a submissão dos cilindros a temperaturas extremas;
f) a utilização do oxigênio e do ar comprimido para fins diversos aos que se destinam;
g) o contato de óleos, graxas, hidrocarbonetos ou materiais orgânicos similares com gases oxidantes;
h) a utilização de cilindros de oxigênio sem a válvula de retenção ou o dispositivo apropriado para impedir o fluxo
reverso;
i) a transferência de gases de um cilindro para outro, independentemente da capacidade dos cilindros;
j) o transporte de cilindros soltos, em posição horizontal e sem capacetes.

Fontes: DBC Oxigênio e Universidade Federal de Santa Catarina

Histórico de acidentes
■ Explosão de um cilindro de CO2
A explosão de um cilindro carregado de gás carbônico por volta das 11h, 29 de março de 1990, na periferia do Município de Sertãozinho, São Paulo, causou a morte de uma pessoa que passava pelo local. O cilindro atravessou uma residência e chegou inteiro do outro lado do quarteirão. O acidente ocorreu quando um caminhão Mercedes Benz, da Transportadora Amádio, chegou a cidade para deixar um carregamento de 52 cilindros de gás carbônico.
■ Cilindro de nitrogênio explode no Rio
Um cilindro de nitrogênio explodiu na altura do número 20.000 da Avenida Brasil, no Rio de Janeiro, 26 de janeiro de 1992. O acidente aconteceu no pátio de uma fábrica da empresa Aga, filial do grupo alemão do mesmo nome, fabricante de gases atmosféricos, e não deixou feridos.
Moradores do bairro de Coelho Neto, Zona Norte do Rio, ficaram sem luz. O cilindro estava ao ar livre e, segundo alguns moradores, depois da explosão, subiu como um foguete, caindo na rua e provocando danos na fiação elétrica.
A delegacia de polícia, de Honório Gurgel, registrou o acidente e solicitou perícia para avaliar a segurança do restante do material exposto, mas não houve interdição da fábrica. Os peritos recolheram estilhaços do cilindro destruído para análise. Uma guarnição do Corpo de Bombeiros do bairro do Irajá também foi acionada, mas não teve o que fazer. O cilindro não atingiu e nem feriu ninguém.

Vídeo:
Os gases comprimidos são armazenados em cilindros de paredes metálicas muito grossas, especialmente construídos e testados para este fim Eles apresentam riscos especiais. Todo cilindro de gás comprimido contém uma grande quantidade de energia. Quando esta energia é aliviada inadequadamente, ela pode provocar sérios acidentes. O vídeo mostra como uma queda de um cilindro pode se tornar uma arma perigosa, um torpedo que poderá causar danos materiais e pessoais graves.



Vídeo(1)
O programa Mythbuster prova que um cilindro sob pressão pode se tornar uma arma, um torpedo quando se rompe a válvula e atravessando paredes.

Marcadores: ,

Assinar
Postagens [Atom]