Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

quinta-feira, março 30, 2017

Cuidado com pós-queda do trabalhador em altura

IMPORTANTE
Em caso de queda, a ausência de movimento dos músculos das pernas adicionada à pressão das tiras do cinto restringem o retorno do fluxo sanguíneo para os órgãos vitais. Esta condição pode levar a um estado de inconsciência, sérios danos vasculares ou até mesmo a morte, caso o fluxo sanguíneo não se restabeleça - motivo pelo qual o resgate deve ser feito rapidamente.

SINTOMAS
1.Formigamento, amortecimento;
2.Tonturas, náuseas, hipertermia, inconsciência;
3.Represamento de volume circulatório nos membros inferiores, resultando várias complicações (choque circulatório, reações fisiológicas, entre outras)
4.Traumas irreversíveis, óbito

ACESSÓRIO PARA CINTO PARAQUEDISTA- FITA DE SUSPENSÃO PÓS QUEDA
Objetivo: evitar o efeito de uma suspensão pós-queda.
Características: compacta, leve, versátil, múltiplas opções de ancoragem, rápida e de fácil instalação e implantação, adaptável à qualquer cinto paraquedista. Possui múltiplos laços para encaixe dos pés, possibilitando o seu uso a qualquer usuário.
Quando o trabalhador encontra-se lúcido e em posição de pós-queda, a fita de suspensão possibilita o alívio da pressão exercida nas diversas regiões do corpo pelo cinto paraquedista, enquanto o trabalhador aguarda o resgate.
A fita de suspensão pós-queda permite que haja alívio imediato da pressão sanguínea, colocando um dos pés dentro dos laços e então apoiando o peso do corpo sobre ele.
Os trabalhadores podem optar pelo uso de uma ou duas fitas, para maior estabilidade.
Fonte: MSA – The Sfety Company

Comentário: Como o sangue circula
 O coração é um órgão dotado de músculos muito fortes e que tem como função bombear o sangue sob grande pressão para todo o corpo através de tubos chamados de artérias. Ao longo de seu percurso as artérias vão se ramificando e se tornando cada vez mais finas até atingirem a espessura de um fio de cabelo, quando passam a ser chamadas de capilares. O sangue que flui nas artérias tem a finalidade de transportar oxigênio e nutrientes para todas as partes do organismo. A seguir, os capilares vão se reunindo em pequenas vênulas, até formarem tubos progressivamente mais calibrosos chamados veias, responsáveis pelo retorno do sangue ao coração.

AS VEIAS: RETORNANDO O SANGUE PARA O CORAÇÃO.
As veias têm por função transportar o sangue venoso que vem carregado dos produtos da digestão celular e que necessita chegar ao coração para que este o impulsione para os pulmões, onde vai ser oxigenado para poder voltar aos tecidos a fim de nutrí-los.

AS VEIAS NOS MEMBROS INFERIORES
As veias presentes nos membros inferiores são basicamente formadas pelo sistema profundo e pelo superficial. O sangue circula por elas correndo tanto superficialmente como no plano profundo, partindo do pé e dirigindo-se para o coração.

As veias profundas, também chamadas internas, são as mais importantes pois respondem por 90% da circulação de retorno e correm pela perna e coxa, em meio à musculatura e, mais ainda, com a proteção do manguito ou bainha aponeurótica (espécie de tecido fibroso de pouca elasticidade) que, como uma meia, cobre a camada muscular. As veias superficiais estão situadas no tecido subcutâneo, próximas à pele, e parte delas é normalmente visível.

As veias superficiais acabam desembocando nas profundas, tanto por sua terminação, como através de comunicações que se fazem ao longo de seu trajeto por pequenas veias curtas que atravessam a aponeurose, chamadas de veias perfurantes, que levam o sangue do sistema superficial para o profundo.

MECANISMOS QUE AUXILIAM O SANGUE A VENCER A AÇÃO DA GRAVIDADE.
Devido à posição ereta do homem, o sangue que retorna das pernas para alcançar o coração, correndo de baixo para cima, tem que vencer a ação da gravidade e outros obstáculos a este retorno. Quando estamos deitados, e principalmente com as pernas para o alto, o sangue retorna facilmente pelas veias. Quando estamos sentados ou em pé, o sangue tem dificuldade para retornar ao coração devido à ação da gravidade. A própria força de bombeamento do sangue pelo coração para os tecidos é um importante fator a auxiliar o seu retorno. Essa força de impulsão é contínua e graças a ela , mesmo quando o indivíduo permanece sem se movimentar, de pé, sentado ou deitado, o sangue venoso continua a fluir ininterruptamente em direção ao coração. Além dessa força de impulsão, a natureza criou outros mecanismos para vencer a gravidade e auxiliar o retorno do sangue dos pés ao coração:

A presença de pequenas válvulas no interior das veias que deixam o sangue passar em direção ao coração mas impedem que o sangue volte. São pequenas estruturas ("saquinhos ou bolsinhos") em seu interior e que impedem o refluxo sangüíneo, pois quando isto se dá, elas se enchem, fechando o orifício da veia, impedindo que o sangue desça. As válvulas existem em quase todas as veias, mas são mais numerosas nas pernas;
Durante uma caminhada normal, o contato da sola do pé de encontro ao chão, pressiona uma rede venosa aí existente que impulsiona o sangue dos pés em direção às pernas, e a seguir a musculatura das panturrilhas ("barriga das pernas") bombeia o sangue das veias de volta ao coração. Fonte:  Profa. Dra. Merisa Garrido e Prof. Dr. George C. Luccas

Marcadores: ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@10:16 AM