Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

sexta-feira, junho 12, 2015

Inmetro proíbe venda do berço Nanna da Burigotto por risco de asfixia

O Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) determinou a retirada imediata do mercado do berço da marca Burigotto, modelo Nanna, por risco de asfixia.

A suspensão do registro do berço foi anunciada no dia 3 de junho após o relato da morte de um bebê em Minas Gerais no início do ano.

O Inmetro informou que novos estudos sobre a segurança do produto, simulando diversas posições e travamentos do berço, "evidenciou risco de asfixia em espaçamento indevido entre as laterais e extremidades dos berços e os colchões".

O caso relatado ocorreu no dia 01/02/2015 no estado de Minas Gerais. Cabe ressaltar que não cabe ao Inmetro a investigação do acidente em si, mas apenas a realização de um diagnóstico de risco do produto seguido de ações de mercado para que seja conferido um maior grau de segurança ao usuário. O Inmetro fiscaliza o padrão e as medidas dos produtos brasileiros.
O consumidor que possuir este modelo de berço dobrável deve suspender imediatamente o uso e entrar em contato com a empresa.
A Burigotto informou em comunicado que já iniciou a retirada do berço Nanna dos pontos de venda e que aguarda a conclusão dos novos testes exigidos pelo Inmetro.

COMUNICADO DA EMPRESA:
Com mais de 60 anos de experiência no mercado, a Burigotto garante que toda a sua linha de produtos, incluindo o berço Nanna, segue todos os padrões de segurança exigidos pelo Inmetro, e possui autorização para comercializar seus produtos no mercado.

Entretanto, por determinação do órgão, através de ofício recebido no dia 01/06, a Burigotto iniciou imediata e preventivamente a retirada do berço Nanna dos pontos de venda. A empresa ressalta, ainda, que não foi notificada quanto à possibilidade de recall e que aguarda a conclusão dos novos testes recém exigidos pela Portaria.

O berço Nanna é comercializado pela Burigotto há mais de seis anos, com certificação do Inmetro, e, inclusive, sempre esteve dentro dos prazos de manutenção do certificado. O berço é referência no mercado e nunca houve antes registro de acidentes envolvendo o produto.

A Burigotto está à disposição para todos os esclarecimentos e testes técnicos necessários.
O Ministério da Justiça informou que foi aberta uma investigação no Departamento Nacional de Defesa do Consumidor, e que a empresa foi notificada no dia 3 para comunicar o recall. A empresa tem 10 dias para responder a notificação.

A Proteste Associação de Consumidores orienta os pais que tenham o produto a entrar em contato com a empresa para pedir o dinheiro de volta ou a troca por outro produto. Fonte: @ZR, G1-08/06/2015

Comentário:  Comunicado da Burigotto de 29 de junho.
A fabricante de produtos infantis Burigotto comunicou na segunda-feira, 29 de junho, que fará o recall dos berços dobráveis modelo "Nanna" por risco de asfixia e de prender os membros do bebê entre a base acolchoada ou o colchão e as laterais e extremidades do berço. Segundo a empresa, o atendimento aos consumidores começará no dia 13 de julho.

Segundo a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) do Ministério da Justiça, o recall envolve 252 mil berços. Fazem parte do recall os berços com a referência IXBE5029, fabricados entre 1º de junho de 2008 e 30 de abril de 2015.
A Burigotto recomenda que o berço deixe de ser utilizado. Os proprietários dos berços devem procurar a companhia pelo telefone 0800 7702298 e pelo o site www.burigotto.com.br. A empresa vai fornecer um cesto complementar para ser utilizado dentro do berço e, também, um novo manual de instruções contendo as informações para sua utilização.

"Esta ação tem a finalidade de continuar preservando o bebê de riscos, como asfixia e/ou aprisionamento de membros entre a base acolchoada ou o colchão e as laterais e extremidades do berço", diz o comunicado do recall publicado no site da empresa. Fonte: G1-29/06/2015

Simulação de um acidente que ocorreu com um bebê de 7 meses (sufocamento), não fatal, com um berço semelhante.
A mãe encontrou o bebê na posição da simulação. O bebê entrou no vão entre o colchão e a lateral do berço.
Em abril de 2009 nos EUA, A agência  de Comissão de Segurança de Produtos ao Consumidor dos EUA emitiu um aviso de recall por um berço semelhante.
Os lados do berço são feitas de tecido que se expande quando pressionado, criando um vão entre o lado e o colchão do berço e a criança pode escorregar para esse vão e ficar presa ou ser sufocada.
Os pesos de bebês na faixa etária de 6 meses a 12 meses variam de 7,7 kg a 10 kg. É um peso considerável para pressionar o tecido que tem a função de uma grade.

Enquanto as empresas certificadoras seguem  suas normas de testes,  o consumidor segue o seu instinto para provocar acidente. Para isso é importante o registro de acidentes ocorridos  e os ensinamentos que possam ser tomados para prevenir futuros acidentes. Todo projeto traz seus riscos ocultos.
A casa é um labirinto de riscos camuflados que se espreitam, faltando apenas o toque mágico para que eles comecem a trabalhar negativamente provocando acidentes, principalmente em crianças. A criança está descobrindo o seu mundo ou o seu redor, mexe em tudo  que está em seu  alcance para brincar,  subir, pendurar, puxar ou enrolar nas partes móveis, lâminas, cordões, etc. e provocar acidentes. A criança é Indiana Jones em busca de aventura e perigo, portanto os pais deverão estar atentos das brincadeiras das crianças, o menor descuido é fatal.

Fases da criança
■ 0 aos 6 meses - a criança precisa de proteção o tempo todo e os acidentes tendem a ocorrer mais freqüentemente quando ela adquire o hábito de se virar, engatinhar e pegar objetos.
7 aos 12 meses - As crianças nesta faixa etária, já começam a engatinhar, ficam de pé e podem começar a caminhar. Eles põem tudo na boca. Deve-se ter cuidado
■ 1 a 3 anos - as crianças de 1 a 2 anos são muito ativas e têm necessidade de investigar, escalando, abrindo portas e gavetas, retirando coisas de armários e brincando. Elas estão muito interessadas no que estão fazendo e tem pouca consciência dos perigos que podem estar correndo.
■ 3 a 5 anos - a criança explora a vizinhança, corre, escala, anda com velocípede, aprende a andar de bicicleta, brinca com outras crianças, atravessa a rua e esses movimentos precisam ser feitos sob atenta vigilância.

Acidentes
■ 91% das mortes por sufocamento ou estrangulamento acidental na cama ocorrem com crianças com menos de 1 ano. Dados do Ministério da Saúde – Datasus – 2006
Dados dos EUA
■Quase 10 mil bebês e crianças pequenas são feridos em acidentes de berço e cercadinho cada ano, de acordo com dados de análise nacional obtidos em hospitais de emergência.
 A maioria das lesões foi de quedas com crianças com idades entre 1 a 2 - geralmente com idade suficiente para tentar escalar um berço ou cercadinho.
■Em média 26 crianças por dia, sofrem acidentes em berço.
■ Os autores do estudo também analisaram dados nacionais no período 1990-  2008 sobre as lesões tratadas em hospitais de emergências, principalmente em lesões não fatais relacionadas com berços, carrinhos e berços. No geral, 181.654 crianças ficaram feridas. A maioria das crianças não foi hospitalizada. Os dados mostram que houve 2.140 mortes, mas que não inclui as mortes relacionadas com berço em crianças que não receberam tratamento de emergência (hospitalização). O estudo foi feito pela Academia Americana de Pediatria e publicado pela revista médica Pediatrics. @ZR 

Marcadores: ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@10:45 AM