Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

quarta-feira, agosto 07, 2013

Raio atinge adolescente na Praia da Enseada

Guarujá, na Baixada Santista, é a cidade do litoral de São Paulo mais atingida por raios.
O adolescente de 13 anos, turista, da cidade de Guaxupé, Minas Gerais passeava pela praia da Enseada, sexta-feira, 6 de janeiro de 2012, quando um raio atingiu-o.
O adolescente que morreu estava com o pai caminhando  na beira d’água quando caiu o raio. A família é de Minas Gerais e havia acabado de chegar ao Guarujá.
O corpo do adolescente foi enterrado na cidade de Guaxupé, de Minas Gerais.


VÁRIOS FERIDOS
Imagens registradas na Praia da Enseada mostram o momento em que o turista foi socorrido por salva-vidas após ser atingido pelo raio. Pelo menos outras sete pessoas ficaram feridas devido ao choque.
A gravação mostra a mulher da vítima desesperada durante o atendimento. Os salva-vidas fazem massagem cardíaca para tentar reanimar o banhista. Logo depois, o homem, ainda inconsciente, foi levado para um posto dos bombeiros. Minutos depois, um outro raio atingiu uma mulher que estava saindo da água.
A turista MCL estava sentada em uma cadeira de praia quando o raio caiu. “O barulho foi terrível, parecia que estava caindo do lado da gente mesmo. Meu irmã tomou um choque na cabeça, derrubou o que estava comendo, nisso em já tomei [um choque] na bochecha, ficou meio amortecido também”. Ela viu pai e filho caídos na areia.
Outros turistas também atendidos pela descarga elétrica, mas não precisaram de atendimento médico.  

INCIDÊNCIA  DE RAIOS NA BAIXADA SANTISTA
Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), quatro cidades da Baixada Santista estão entre as 50 do país com maior incidência de raios. Guarujá lidera este ranking regional e ocupa a 24º posição no Brasil.
Em apenas três horas na sexta na Baixada Santista quase 1.500 raios atingiram oito cidades da região. E acidentes são muito mais comuns do que se imagina. Mais de 1.400 pessoas em todo Brasil já morreram vítimas de raios. Fonte: G1 SP-07/01/2012

Comentário:
No Brasil caem, por ano, cerca de 50 milhões de raios. Desse total, aproximadamente 80% ocorrem entre outubro e março.
 "Noventa por cento das mortes ocorridas no país se deram em circunstâncias que poderiam ter sido evitadas se as pessoas tivessem mais informações e se seguissem as recomendações de proteção", afirma o coordenador do Elat, Osmar Pinto Junior.

RAIOS:
Raios são fenômenos atmosféricos caracterizados pela formação de correntes elétricas com milhões de volts de potencial e que atingem a superfície causando prejuízos materiais e mesmo mortes. Normalmente, a temporada de temporais tem inicio em Setembro e vai até Março.
1. Aos primeiros sinais de um temporal, planeje o que fazer no caso de ocorrência das descargas elétricas nas proximidades.
2. Você pode estimar a distância de incidência dos raios usando o método chamado "flash-to-bang" ou "relâmpago-trovão". Contando os segundos entre o "clarão" do raio e o trovão que você ouve e multiplicando por 300 tem-se a distância em metros do local onde ocorreu a descarga. Assim, se você vir o clarão e contar até oito, por exemplo, significa que o raio "caiu" a 2.400 metros do local onde você se encontra. Para contar os segundos você pode usar a seqüência ”mil e um, mil e dois, mil e três etc...”
3. A possibilidade de você ser atingido por um raio em um temporal inicia-se meia hora antes e continua até cerca de meia hora após a atividade máxima. Mantenha-se protegido durante esse tempo.
4. O raio nunca avisa aonde vai "cair". A melhor proteção é se prevenir com antecedência. Se você vir o primeiro clarão, contar cerca de 30 segundos e depois outro clarão e contar menos que 30 segundos entre eles, já é hora de se prevenir, procurando abrigo nas proximidades. Isso porque, normalmente, um raio pode "escapar" do centro de atividade da nuvem e atingir áreas a longas distâncias.
5. Durante os temporais evite aglomeração de pessoas mantendo pelo menos uma distância de 5 metros uma da outra.
6. Se você estiver em locais abertos como campo de futebol, piscina etc, aos primeiros sinais de um temporal abandone imediatamente o local, procurando abrigo em prédios.
7. Nunca seja o ponto mais alto da redondeza. O raio procura sempre os pontos que se sobressaem da superfície como atrativo à descarga. Caso você esteja em um local descampado, abaixe-se com os joelhos dobrados e as mãos na nuca procurando tampar os ouvidos.
8.Nunca procure abrigo sob árvores,  isoladas ou prédios rústicos como aqueles de proteção para animais, existentes em pastagens.
9.Externamente, nunca fique perto de cercas metálicas, rios, lagos, veículos ou superfícies que conduzam eletricidade.
10. Se você estiver no alto de um morro, desça para o ponto mais baixo do terreno. Um capão de árvores nas baixadas é uma boa proteção.
11. Prédios de concreto com fiação elétrica, canalizações de água ou de outro tipo constituem-se em excelente proteção contra as descargas.
12. Se você estiver dentro de casa ou de qualquer prédio, retire os "plugs" dos aparelhos elétricos das tomadas, não use telefone ou outros equipamentos elétricos. Fique longe de tomadas de força ou de superfícies metálicas.
13. Se você estiver em uma estrada ou na rua, a melhor proteção existente é dentro do veículo com os vidros fechados. Não são os pneus que promovem a proteção, mas sim um fenômeno da física chamado Gaiola de Faraday.

14. Você pode ser atingido não somente pelo raio diretamente como também por "faíscas" refletidas por objetos da proximidade. Fonte: CEPAGRI - Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura – SP

Marcadores: ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@9:33 AM