Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

quarta-feira, junho 12, 2013

Agricultor sofreu acidente; serra encravada no abdômen

Um homem de 56 anos sobreviveu após ter passado duas horas e percorrido cerca de 50 quilômetros com uma serra elétrica cravada no abdômen no Rio Grande do Sul. O caso ocorreu na segunda-feira, 10 de junho, e surpreendeu até mesmo os médicos de um hospital de Santa Rosa, no Noroeste do estado.

CAUSA
O agricultor usava a serra elétrica para cortar lenha no galpão de casa quando sofreu o acidente.

AJUDA
Ele pediu ajuda à esposa FMS, que lembrou de uma lição aprendida nas aulas de primeiros socorros que fez para obter a permissão para dirigir. “Ele queria tirar e eu disse que não, não poderíamos tirar, tínhamos de ir ao hospital”, conta a agricultora.

ATENDIMENTO
O casal deixou a residência em Campina das Missões e, após um primeiro atendimento no município, soube que teria de viajar até o Hospital Vida e Saúde, de Santa Rosa. Segundo Steinmedc, foram duas horas com a serra elétrica presa ao abdome. “Eu tinha fé. Sou forte. Não tinha medo de morrer”, declarou.
Morador do município de Campina das Missões, o agricultor GS precisou viajar até a cidade vizinha e aguardar por uma cirurgia. Já recuperado do procedimento, ele diz que nunca mais pretende passar perto do equipamento. “Nunca mais. Essa eu jurei de pé junto que eu não vou pegar mais. Agora eu vi que é perigoso”, declarou.

TRATAMENTO PRÉ-HOSPITALAR E CIRURGIA
A cirurgia durou outras duas horas e meia. Segundo o cirurgião Maurício Romano, responsável pelo procedimento, o corte causado pela serra elétrica teve 10 cm de profundidade, mas não perfurou nenhum órgão vital. A postura da mulher do agricultor e das enfermeiras que o atenderam ainda em Campina das Missões salvou a  vida dele, diz o médico.
Houve um tratamento pré-hospitalar adequado. A equipe de enfermagem de Campina das Missões não retirou a serra. Se tivesse retirado a serra durante o transporte, poderiam ter tido uma hemorragia da parede abdominal e causado a morte, comentou o cirurgião. 

FALECIMENTO
Morreu na madrugada de sábado, 15 de junho,  na cidade gaúcha de Santa Rosa (a 495 km de Porto Alegre), na região noroeste do Estado, o agricultor GS.
 A cirurgia para retirada do equipamento foi bem-sucedida. Entretanto, devido ao histórico de saúde do agricultor, houve uma piora que o levou à UTI.
Ele morreu às 4h15 depois de um choque séptico (infecção), devido ao infarto mesentérico do intestino. Este problema ocorreu em função de uma arritmia cardíaca na última quarta-feira. O paciente também era hipertenso e transplantado de rim. Fonte: RBS TV-11/06/2013 e UOL Noticias – 15/06/2013

Comentário:Pela foto a máquina não é adequada para corte de madeira.
Principais causas de ocorrência de acidentes:
■Falta de experiência profissional
■Falta de treinamentos
■Uso de máquinas em mau estado de conservação
■Falta de uso de EPI´s

Procedimentos corretos na operação da serra elétrica
Mantenha uma posição segura. Mantenha o apoio e o equilíbrio adequado todas as vezes que utilizar a ferramenta. Isso permite melhor controle da ferramenta em situações inesperadas.
Fixe a peça a ser trabalhada. A peça fixada através de dispositivos de fixação ou uma morsa garante mais segurança do que quando segurada com a mão.
Tome medidas de segurança, se durante o trabalho puderem ser produzidos pós inflamáveis, explosivos, ou nocivos para a saúde. Por exemplo: alguns pós são considerados como cancerígenos. Utilizar uma aspiração de pó/ cavacos e usar uma máscara de proteção contra pó.
Mantenha a área de trabalho sempre limpa. Misturas de material são extremamente perigosos. Pó de madeira leve pode se inflamar ou explodir.
Antes de colocar a ferramenta elétrica sobre qualquer superfície, sempre desligar e aguardar que o disco pare totalmente. O disco de serra pode enroscar e levar à perda de controle sobre a ferramenta elétrica.
Caso o cabo de rede seja danificado ou cortado durante  o trabalho, não tocá-lo. Tirar  imediatamente o plugue da tomada. Jamais utilizar a ferramenta elétrica com um cabo danificado. Cabos danificados elevam o risco de um choque elétrico.
Se o cabo de rede for danificado ou cortado durante o trabalho, não toque nele. Tire  imediatamente o plugue da tomada. Jamais utilizar a máquina com um cabo danificado.
Use equipamentos de proteção individual (EPI)
-Utilizar óculos de proteção e proteção auricular.
-Usar máscara contra pó.
-Utilizar luvas de proteção ao introduzir ou substituir o disco de serra
-Utilize protetores auriculares (nível de pressão sonora 95 dB (A).

A utilização de acessórios, que não sejam apropriados para este tipo de máquina,  aumenta o perigo de acidente e pode danificar a máquina.
As ferramentas elétricas que forem utilizadas ao ar livre devem ser conectadas através de um disjuntor de corrente de segurança.
Perigo: As suas mãos não devem entrar na área de corte nem em contato com o disco de serra. Segurar o punho adicional ou a carcaça do motor com a outra mão.
Se as mãos estiverem segurando a ferramenta, não poderão ser feridas pelo disco de serra.
Não toque na peça a ser trabalhada pelo lado de baixo. A capa de proteção não poderá protegê-lo contra o disco de serra por baixo da peça trabalhada.
Ajuste a profundidade de corte à espessura da peça a ser trabalhada. Deve ultrapassar menos do que a altura de um dente do disco de serra.
Jamais segurar a peça a ser serrada com a mão ou com a perna. Fixe a peça a ser trabalhada numa base firme. É importante fixar bem a peça a ser trabalhada, para minimizar o perigo de contato com o corpo, do travamento do disco de serra ou perda de controle.
Ao executar trabalhos durante os quais podem ser atingidos cabos elétricos ou o próprio cabo de rede deverá sempre segurar a ferramenta elétrica pelas superfícies
do punho isoladas. O contato com um cabo sob tensão também coloca peças de metal da ferramenta elétrica sob tensão e leva o risco de um choque elétrico.
Sempre utilizar um limitador ou um guia paralelo ao serrar longitudinalmente. Isto aumenta a exatidão de corte e reduz a possibilidade de um travamento do disco de serra.
Sempre utilizar discos de serra do tamanho correto e com furo de admissão do disco de corte apropriado (p.ex. em forma circular). Discos de serra não apropriado para as peças de montagem do disco, funcionam desequilibradamente e levam à perda de controle.
Jamais utilizar arruelas planas ou parafusos do disco de serra incorretos ou danificados. As arruelas planas e os parafusos do disco de serra foram especialmente construídos para a sua serra e para uma potência e aperto originais da maquina. segurança de trabalho otimizadas. Utilize somente flanges de encosto e
CAUSAS E PREVENÇÃO DE CONTRA-GOLPES:
– Um contra-golpe é uma reação repentina provocada por um disco de serra travado ou incorretamente alinhado, que leva uma serra elevar-se descontroladamente para fora da
peça que está sendo trabalhada movimentando-se no sentido da pessoa que utiliza a máquina.
– Se a canal de corte se fechar com o disco de corte, este será travado e a força do motor jogará a serra circular no sentido da pessoa que utiliza máquina.
– Se o disco de serra for forçado lateralmente ou incorretamente alinhado no corte, é possível que os dentes do canto posterior do disco de serra trave na superfície da peça que está sendo trabalhada, de modo que o disco de serra se movimente para fora do corte e a serra pule no sentido da pessoa que utiliza a máquina.

Um contra-golpe é consequência de uma utilização incorreta e indevida da serra. Ele pode ser evitado com medidas de segurança apropriadas como descrito a seguir.
Segure a serra firmemente com ambas as mãos e mantenha os braços numa posição firma e segura em que possa suportar as forças de contra-golpe. Sempre mantenha o corpo alinhada a lateral do disco de serra, jamais coloque o disco de serra numa alinhado com o corpo longitudinalmente. No caso de um contra-golpe é possível que a
serra seja jogada para trás, no entanto a pessoa que a utiliza poderá controlar as forças de contra-golpe através de medidas de segurança apropriadas.
Se o disco de serra travar ou se o trabalho for interrompido, deverá desligar a serra e mantê-la parada na peça trabalhada até o disco de serra parar totalmente. Não tente jamais remover a serra da peça trabalhada, nem retirá-la para trás enquanto o disco de serra estiver em movimento, caso contrário poderá ocorrer um contra-golpe. Verifique
e elimine a causa do travamento do disco de serra.
Se desejar recolocar em funcionamento uma serra travada, deverá centrar o disco de serra no canal de corte e verificar se os dentes da serra não estão travados na peça a ser trabalhada. Se o disco de serra estiver travado, poderá movimentar-se para fora da peça trabalhada ou causar um contra-golpe se a serra for religada.
Apoiar placas grandes, para reduzir um risco de contragolpe devido a um disco de serra travado. Placas grandes podem curvar-se devido ao próprio peso. As placas devem
ser apoiadas de ambos os lados, tanto nas proximidades do corte, como nos cantos.
Não utilizar discos de serra danificados. Discos de serra com dentes danificados ou incorretamente alinhados causam um atrito maior, um contra-golpe e travam devido ao
canal de corte justo.
Antes de serrar, deverá apertar os ajustes de profundidade de corte e de ângulo de corte. Se os ajustes forem alterados durante o processo de serrar, é possível que ocorram
travamentos e contra-golpes.
Tenha extremamente cuidado ao efetuar “Cortes de imersão” em paredes (chapas de madeira) existentes ou em outras superfícies, onde não é possível reconhecer o que há
por detrás da parede. Ao imergir, o disco de serra podem ser travados por objetos escondidos e causar um contra-golpe. Fonte: Manual do Fabricante

Marcadores:

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@8:10 AM