Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

quinta-feira, fevereiro 02, 2012

Acidente fatal em operação de descarregamento de tubos

O QUE ACONTECEU:
Durante atividade de movimentação de cargas, em operação de descarregamento e desfile de tubos (três tubos de 8 polegadas, 12 metros de comprimento e peso aproximado de 800 kg cada) para substituição de dutos em tubovia, utilizando duas cintas, uma com capacidade de 4000 kg e outra de 6000 kg, ocorreu o rompimento da cinta de menor capacidade, fazendo com que os tubos atingissem o motorista da carreta equipada com guindauto, que faleceu.

POR QUE ACONTECEU:
■Movimentação simultânea de 03 (três) tubos, não unitizados adequadamente.
■Cinta de movimentação em mau estado de conservação e sem etiqueta do fabricante.
■ Rompimento da cinta de movimentação.
■ Posição inadequada do motorista da carreta.
■ Treinamento deficiente por parte da contratada.
■ Ausência de auxiliar capacitado.
■ Falha de fiscalização para operação correta.

O QUE DEVEMOS FAZER PARA EVITAR:
■Somente permitir operação de guindautos por pessoal capacitado, com conhecimento sobre o
equipamento, o procedimento e o tipo de atividade (treinamento teórico e prático).
■Executar o plano de inspeção e de manutenção dos acessórios utilizados em movimentação de cargas.
■Reforçar junto aos operadores a necessidade de inspeção visual dos acessórios antes do uso, incluindo suas etiquetas.
■Seguir os critérios para rejeição/aceitação de acessórios em uso.
■Seguir as recomendações do fabricante da cinta no que se refere à conservação destes acessórios.
■Reforçar no treinamento o posicionamento correto do operador de guindauto (lado oposto ao da movimentação da carga e fora da área de giro e da linha de projeção da carga), operando apoiado no solo ou na plataforma de operação, bem como a obrigatoriedade da presença de auxiliar(es) capacitado(s) na realização de operações com deficiência de visualização da carga.
■ Elaborar os contratos com a especificação das tarefas contratadas e adequar o Anexo de SMS ao escopo do contrato, de modo que os fiscais possam exercer a fiscalização com conhecimento do grau de risco contratual.

Fonte: BR-Petrobras - 01/2012
Comentário: O laço cria um ponto de stress na cinta, ocasionado redução de sua capacidade de carga ao longo do tempo. . A redução poderia atingir menos 60º de sua capacidade na vertical. A cinta de 4.000kg suportaria 2.480 kg e a cinta de 6.000 kg suportaria 3.720 kg. Os três tubos pesam 2.400 kg.

PELA FOTO PODEMOS OBSERVAR:
■Faltou amarração dos tubos para evitar rolamento, deslizamento, durante sua movimentação.
■Utilizar sempre cintas com as mesmas capacidades técnicas e do mesmo fabricante
■as cintas estão torcidas
■ falta de manutenção das cintas
■ Nota-se que a amarração da cinta está forçada. Os fabricantes recomendam que a amarração esteja justa.
O operador poderia ter feito a movimentação/içamento dos tubos um de cada vez, o acidente poderia não ter acontecido.

LINGADA ENFORCADA OU CHOKER
Esse tipo de movimentação/içamento tem tomar cuidado, pois dependendo da configuração das peças, o ângulo do laço de aperto alterará e capacidade da cinta será reduzida ou não será recomendada.

INSTRUÇÕES PARA USO E MANUTENÇÃO DE CINTAS DE POLIÉSTER PARA ELEVAÇÃO DE CARGAS

USO
1-Planeje cuidadosamente a elevação antes iniciá-la.
Foto-Movimentação com ganchos

2-Verifique sempre se o comprimento e a carga de trabalho indicados na etiqueta da cinta são adequados.
3-Examine a cinta a procura de danos e defeitos antes do uso. Nunca utilize uma cinta danificada ou defeituosa.
4-Nunca utilize a cinta com cargas acima da qual ela é especificada.
5-Certifique-se de que a carga seja içada verticalmente e centralizada acima do ponto de gravidade.
6-Utilize cintas idênticas em caso de elevação com pernas múltiplas e leve em conta os ângulos ao escolher o equipamento.
7-Não dê nó nas cintas para encurtá-las ou alongá-las.
8-Nunca utilize cintas torcidas ou entrelaçadas.
9-Proteja a cinta contra cantos afiados utilizando proteção nos olhais e luvas protetoras de couro ou poliuretano.
10-Evite carga de choque e elevação forçada. .
11-Não arraste a carga sobre a cinta e não arraste as cintas no chão.
12-Mantenha as cintas de poliéster afastadas de álcalis (por exemplo, amônia e soda cáustica). Se houver dúvida sobre a exposição a produtos químicos, verifique com seu fornecedor.
13-Não utilize cintas de poliéster em temperaturas acima de 100ºC.
14-Examine as cintas após o uso e retire de serviço se verificar algum dano visível.
Foto-Movimentação com balancim
MANUTENÇÃO
1-Armazene o equipamento em local seco.
2-Certifique-se que as costuras e etiquetas não estejam danificadas.
3-As cintas de poliéster podem ser limpas lavando-se em detergente neutro e enxaguando em água.
4-Os laços redondos com capas danificadas, que permitem a entrada de sujeira, devem ser descartadas.
5-Os laços redondos com os fios expostos e rompidos, em função da capa danificada, devem ser descartadas.
6-Os laços redondos devem ser inspecionados regularmente a procura de nós e irregularidades, indicando a rupturas dos fios internos. Descarte as mesmas.
7-Cintas com olhal: Descarte-as em caso de dano devido à fricção.
8-Cintas com olhal: Descarte quando o desgaste das margens exceder 5% sua largura.
9-Cintas com olhal: Descarte quando a proteção do olhal estiver desgastada.
Fonte: Gunnebo Lifting

EXEMPLOS DE DEFEITOS OU DANOS PROPENSOS A AFETAR A QUALIDADE DAS CINTAS QUANTO AO SEU USO:
1-Qualquer dano evidente na capa indica que há dano em potencial ao núcleo da cinta, comprometendo a sustentação da carga. Cortes transversais ou longitudinais na capa, ou qualquer dano na costura também comprometem a integridade do núcleo. RETIRE DE SERVIÇO.
2- Um desgaste localizado, que é diferente do desgaste geral, pode ter sido causado por cantos
afiados enquanto a cinta estava sob tensão, podendo causar graves acidentes. RETIRE DE SERVIÇO.
3- Em uso normal poderá ocorrer algum aquecimento por atrito na capa do Laço Redondo. Desgaste excessivo pode gerar acidente. RETIRE DE SERVIÇO.
4- Um nó no laço redondo reduz a capacidade de carga de 25 a 100%. Laços redondos nunca devem ser atados ou torcidos. RETIRE DE SERVIÇO.
5- Cortes transversais ou longitudinais na capa e também danos nas fibras internas do Laço Redondo podem causar ruptura da cinta. RETIRE DE SERVIÇO.
6- Cortes transversais ou longitudinais e cortes ou danos nas margens das cintas com olhal. RETIRE DE SERVIÇO.
7- Ataques químicos resultam em enfraquecimento do material. Isso é indicado por escamas na superfície da capa ou da fita. Ataque químico à capa / fita pode causar graves acidentes. RETIRE DE SERVIÇO.
8- Cortes transversais ou longitudinais na capa e também danos nas fibras internas do Laço Redondo podem causar ruptura da cinta. RETIRE DE SERVIÇO.
9- Uma cinta que não esteja identificada nunca deverá ser utilizada. A etiqueta e a identificação devem estar legíveis. RETIRE DE SERVIÇO.
10- Acessórios que sejam muito grandes para a cinta, deixando um ângulo de abertura muito grande, podem destruir a cinta. RETIRE DE SERVIÇO e/ ou entre em contato com o fornecedor para obter orientação.
11- Danos por calor e fricção são indicados pelas fibras do material assumindo uma aparência vidrada e, em casos extremos, pode ocorrer fusão das fibras, indicando um enfraquecimento ou ruptura do núcleo. RETIRE DE SERVIÇO. Fonte: Gunnebo Lifting

RESPONSABILIDADE
Interessante nesse acidente a empresa contratante reconhece que existe falha ou deficiência na análise das tarefas das empresas contratadas. Toda tarefa da contratada deveria ser analisada de acordo com o grau de risco para sua execução, com finalidade de ser acompanhada por responsáveis da empresa contratante.
Toda Contratada deveria conhecer os perigos envolvidos nos trabalhos a serem executados, bem como os respectivos níveis de proteções aplicáveis. Essa APR deveria ser analisada pelos responsáveis designados pela contratante para sua classificação de complexidade de risco e posterior acompanhamento.
Por exemplo, tarefas classificadas como de Grau de Risco "Médio " e "Alto" na Execução do Trabalho, as sequências das atividades deve ser detalhadas, tais como;
■APR – Análise Preliminar de Riscos
■Pessoas envolvidas em cada etapa do trabalho,
■Equipamentos de emergência disponíveis,
■Veículos, equipamentos envolvidos nas tarefas
■ Telefone para emergência

Por experiência o setor de segurança de trabalho da empresa conhece quais são as atividade que apresentam riscos e seu grau de complexidade. Por exemplo;
■Escavação, demolição, perfuração;
■Serviços a quente (solda e corte de qualquer natureza);
■Entrada em Espaços Confinados;
■Movimentação de material
■Trabalho em altura;
■Trabalho sobre andaimes;
■Plano de acesso a telhados coberturas e lajes;
■Operação de veículos industriais;
■Operação de pontes rolantes / talhas elétricas, manuais, pneumáticas;
■Trabalho em Alta Tensão;
■Liberação de área;
■Isolamento de área;
■Pontos de ancoragem para fixação de sistemas de proteção contra quedas.

Marcadores: ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@6:10 AM