Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

quarta-feira, junho 29, 2011

Trabalhador morre soterrado em silo

Um trabalhador de 20 anos que fazia manutenção em um silo com 1,2 mil toneladas de soja despencou de uma das plataformas e afundou em meio a grãos. O acidente ocorreu na segunda-feira, 13 de junho, no município de Bonito, distante 300 quilômetros de Campo Grande, Mato Grosso do Sul.

Causa provável
A corda de segurança do funcionário arrebentou.

Resgate
Cinco militares do Corpo de Bombeiros de Jardim foram deslocados para tentar resgatar o jovem e foram auxiliados por uma equipe do Serviço Móvel de Urgência e trabalhadores da região. Inicialmente ele respondia aos chamados dos socorristas, o que não aconteceu após horas de buscas.

Morte
Depois de quase sete horas de buscas as equipes de resgate encontraram o corpo do trabalhador.
Máquinas abriram três buracos nas laterais do silo para tentar esvaziá-lo, mas havia cerca de 1,2 mil toneladas de grãos dentro dele. Desde o início as chances de resgatar o trabalhador com vida já eram consideradas baixas pelos socorristas.
O corpo ainda não foi retirado de dentro do local. A quantidade de soja existente dificulta a remoção.
Um bombeiro que ajudou na operação disse: que, mesmo com a presença de máquinas, parte do trabalho de remoção da soja teve que ser realizada manualmente por causa dos riscos. Ele comparou o depósito de soja a uma areia movediça. Quanto mais à vítima mexe, piora, afunda mais.

Inquérito
O delegado de Bonito que investiga o caso, disse que já começou a chamar as testemunhas da morte do trabalhador.

Fonte: G1/MS-13 e 14 de junho de 2011

COMENTÁRIO:
Segundo as noticias dos jornais, o trabalhador estava com uma corda e ela arrebentou. Obviamente ele não estava protegido adequadamente conforme a norma de segurança NR-31, Segurança e Saúde no Trabalho na Agricultura.
O que diz a norma
■ As escadas e as plataformas dos silos devem ser construídas de modo a garantir aos trabalhadores o desenvolvimento de suas atividades em condições seguras.
■ Não deve ser permitida a entrada de trabalhadores no silo durante a sua operação, se não houver meios seguros de saída ou resgate.
■ Antes da entrada de trabalhadores na fase de abertura dos silos deve ser medida a concentração de oxigênio e o limite de explosividade relacionado ao tipo de material estocado.
Os trabalhos no interior dos silos devem obedecer aos seguintes critérios:
a) realizados com no mínimo dois trabalhadores, devendo um deles permanecer no exterior;
b) com a utilização de cinto de segurança e cabo vida.

Vide norma completa: Norma
TIPOS DE ACIDENTES EM SILOS
As ocorrências mais comuns são afogamento e sufocamento. As vítimas são submetidas à asfixia mecânica por ação da massa de grãos. Sendo que no primeiro caso as vitimas são arrastadas enquanto no segundo as vitimas são encobertas.

No Brasil há tanto acidentes em silos, muito provável que o Ministério do Trabalho não tem controle desses acidentes para maior divulgação da prevenção e boas práticas de segurança.

Segundo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) os silos para grãos apresentaram 47.101.060 toneladas de capacidade útil total no país. Podemos estimar a existência de 10.000 silos no país.

O padrão de acidentes no Brasil segue as ocorrências registradas nos EUA, tais como;
■ Caminhar na superfície de grãos
■ Limpeza ou retirar massa de grãos nas laterais do silo
■ Não adotar boas práticas de segurança
■ Entrar no silo com operação de carga/descarga

Principais ocorrências no Brasil
■ 29 de outubro de 2010 - Foi identificado como Marciel Centurião Lesmo, 41, o trabalhador que morreu soterrado em um silo de soja no distrito de Indápolis, em Dourados. Ele fazia a limpeza do local quando ocorreu o acidente. O corpo ainda não foi resgatado. ■ 17 nov. 2009 – Carlos Alberto Benites, 30 anos, morreu soterrado em um silo de soja na manhã de segunda-feira (16), em Aral Moreira. A vítima trabalhava no interior do silo, que seria pertencente à Cooperativa Lar, quando foi tragado por um duto de escoamento de grãos, usado para carregar caminhões. Carlos teve a perna presa, acabou sendo soterrado pela soja e morreu asfixiado. Funcionários da Cooperativa ainda tentaram resgatar a vítima. O corpo foi retirado de dentro do silo pelos bombeiros.
■ 15 de julho de 2009 - Raimundo Pereira Martins, 45 anos, morreu soterrado em um silo de soja, por volta das 14 horas, em Rio Brilhante.
Segundo informações do boletim de ocorrência, a vítima estava trabalhando dentro do silo e ao pisar em uma das saídas provocou a descida rápida do produto, que cobriu todo o corpo de Raimundo. Vários colegas de trabalho tentaram segurá-lo pelos braços, mas não conseguiram devido à força da sucção.
Depois de 20 minutos cavando em meio à soja conseguiram resgatar Raimundo com vida, porém por falta de um tubo de oxigênio ele não resistiu e morreu.
■ 27 de maio de 2009 - Um funcionário de uma cooperativa de grãos em Pedrinhas Paulista, que fica na região de Assis, morreu soterrado em um silo de soja.
De acordo com a polícia civil, Genilson da Silva Trindade, 23 anos, e outro empregado, trabalhavam no esvaziamento do silo quando Trindade foi soterrado pelos grãos. Uma equipe dos Bombeiros de Assis foi deslocada para o local.
O trabalho de resgate da vítima é lento, pois os funcionários da cooperativa precisam esvaziar o silo, que tem capacidade para 100 mil sacas de soja, o equivalente a 5 mil toneladas. Até o início da tarde, o corpo ainda não tinha sido localizado
■ 12 de março de 2009 - Wilson de Rossi , 38 anos de idade, morreu soterrado por grãos de soja em um dos silos do Armazéns Sipal, em Ibiporã.
Rossi inspecionava esteira de grãos e caiu, e segundo o Corpo de Bombeiros, não usava nenhum aparelho de segurança. O trabalhador foi retirado do local já sem vida.
"Ele ingeriu uma grande quantidade de grãos e isso impedia a oxigenação", explicou um dos integrantes da equipe dos bombeiros.
■ 30 de março de 2009 - Criança de 9 anos morreu soterrada a noite, em um armazém de grãos em Santo Antônio do Sudoeste, no sudoeste do Paraná.
Segundo informações da Defesa Civil do Município, chamada para o salvamento, o acidente foi no Comércio de Cereais Santo Antonio, quando o filho de um funcionário brincava com outro garoto e os dois caíram na abertura de um silo onde os caminhões depositam os grãos.
Um deles, que seria o filho do dono da empresa, conseguiu sair ileso. O outro foi soterrado por grãos antes que se pudesse fazer algo em sua defesa.
A queda aconteceu por volta das 19 horas e 30 minutos e a demora para chamar o Corpo de Bombeiros impediu qualquer chance de resgate com vida. Eles só foram acionados próximo das 20 horas. Na hora do acidente acontecia uma confraternização para as famílias dos funcionários da empresa.
■ 13 de Outubro de 2008 - Bombeiros resgatam três pessoas de um silo- Socorristas do Corpo de Bombeiros de Ibiporã foram mobilizados para resgatar três pessoas que caíram em um fosso de silo, na cidade de Assai. De acordo com informações obtidas no local, o funcionário de uma empresa de armazéns gerais caiu no fosso e dois integrantes da Defesa Civil foram prestar socorro, mas também acabaram caindo. Como havia risco de intoxicação das vítimas por gás e defensivos agrícolas foram necessários a intervenção dos bombeiros. Do local, foram resgatados João Rodrigues Paes, de 57 anos, funcionário da empresa; e os socorristas da Defesa Civil, Carlos Roberto de Araújo, 43; e Marcos Vinicius Viana, 19. Os três foram encaminhados ao Hospital Pró-Vida, para atendimento médico.
■ 02 de maio de 2005 - Alexandre Naraí, de 25 anos, morreu soterrado em um silo de rações, na Fábrica de Rações Avipal, na rodovia Guaicurus, em Dourados. Uma equipe de resgate e salvamento do Corpo de Bombeiros esteve na Fábrica de Rações, mas o jovem já estava morto. Ele morreu soterrado quando limpava o silo de rações.

Vídeo:
Acidente fatal em silo, soterramento, em Lucas do Rio Verde, MT.

Marcadores: ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@10:25 AM