Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

sexta-feira, agosto 26, 2016

Incêndio no túnel Tauern

Resumo do desastre:
■ 12 mortes
■ 16 horas de incêndio
■ 86 pessoas conseguiram escapar, sendo 47 com ferimentos
■ 24 carros e 16 caminhões queimaram-se completamente

Para analisar as principais falhas, vejamos o que realmente aconteceu ao longo dos 6.041 metros do túnel Tauern (Áustria), no dia terrível de 29 de maio de 1999.

CRONOLOGIA DOS ACONTECIMENTOS
Quando os bombeiros alcançaram o local às 20h,  quase 15 horas após o acidente, era a visão que eles tinham do desastre. No primeiro plano o incêndio já foi extinto e as pessoas puderam sair a tempo. 

Mas o principal foco de incêndio continuava a queimar acima de 1000C . Uma grossa camada de espuma cobria a superfície da pista e você pode ver parte dos escombros do túnel contra um fundo abrasador.


NOITE DE SEXTA-FEIRA PARA SÁBADO,  2H 8 MIN (MADRUGADA)
Nesse momento ocorreu um grave acidente num trecho da estrada após o túnel em direção  a Salzburg. A estrada foi fechada por uma hora no sentido da colisão e causou um grande congestionamento
O tráfego oposto também estava totalmente parado, com fluxo de carros de 800 a 1000 veículos por hora.
Apenas à noite, os trabalhos de reparos foram executados no interior do túnel, a cerca de 800 metros a nordeste da entrada do túnel.
O  tráfego  estava controlado por semáforo no interior do túnel para agilizar o trânsito. Controlando o fluxo de carro  no túnel, criou  um grande congestionamento.
O limite de velocidade foi imposta para 50 km/h e mais tarde para 30 km/h. No interior do túnel um forte fluxo de ar de norte para o sul foi sentido.

SÁBADO ÀS 4H 47 MIN, MADRUGADA
O semáforo na direção norte (Salzburg- Áustria) mudou para vermelho e após 40 segundos a luz oposta mostrará verde, em direção ao sul.

SÁBADO ÀS 4H 48 MIN , MADRUGADA
O semáforo muda a luz  para vermelho para o tráfego vindo da direção sul. Um caminhão carregado de tintas pára. Quatros carros atrás do caminhão, também param.
Um outro caminhão, motorista com 28 anos de experiência,  está retornando para Bologna (Itália), distante 500 km. Ele dormiu poucas horas à noite anterior. Agora, ele dirige um caminhão pesado transportando 50 vacas.
Pouco depois da entrada do túnel, o caminhão alcança a velocidade limite de 50 km/h e então ele cochila no volante por alguns segundos. Seu caminhão de 34 toneladas colide com outros carros, imprensando os dois últimos e outros dois contra a parede do túnel. A  violência da colisão foi tão grande que a polícia acreditou, apenas um carro foi envolvido no acidente.
Imediatamente surgiu um clarão, fogo, provavelmente devido a vazamento de combustível. Várias explosões ocorreram, provavelmente latas de spray, explodindo e voando em volta do fogo. Pesadas nuvens de fumaça, desenvolveram instantaneamente e tudo isso em alguns segundos após a colisão do caminhão.
Oito pessoas morreram instantaneamente. Duas escaparam, milagrosamente,  com poucos ferimentos.
Colisão e destroços queimados dos veículos, no local onde ocorreu o acidente

2 MINUTOS APÓS O INÍCIO DO INCÊNDIO
O sistema de detecção acionou o alarme no centro de controle do túnel. O responsável em serviço imediatamente posicionou as câmeras cobrindo o local do acidente. Mas nada podia ser visto. O alarme automaticamente alterou as luzes do semáforo da entrada do túnel , para vermelho.
Mas o tráfego continuava e muitos motoristas simplesmente ignoravam as luzes em vermelho e  entraram no túnel, um erro que muitos pagarão amargamente com as próprias vidas.
Um teste foi realizado, alguns meses mais tarde, em outro túnel, por um canal de TV e também mostraram que muitos e muitos carros ignoraram  as luzes do semáforo.
No mesmo momento em que cessa a ação do alarme, as câmeras de vídeo localizadas a sudeste da entrada do túnel, mostra inesperadamente uma densa nuvem de fumaça vindo em alta velocidade.
Isto leva alguns segundos para obstruírem a visão das câmeras , elas somente mostram imagens negras.
Mais carros entram no túnel, no setor sul, ignorando as luzes vermelhas.
O responsável em serviço imediatamente avisa a polícia, que tem o mesmo controle de circuitos de TV instalados no local. A polícia alerta os bombeiros localizados próximos nas extremidades do túnel.  No momento havia 36 carros e caminhões no interior do túnel. Nove deles conseguiram retornar.
Para fuga, as pessoas tinham entre 400 a 800 metros para percorrer, se escolhesse a saída para o lado norte ou aproximadamente 5,5 km a saída para o lado sul.



5 MINUTOS APÓS O INCÊNDIO – TESTEMUNHAS
Os primeiros extintores foram retirados dos abrigos para uso.
Testemunhas informaram, alguns motoristas recusaram a sair de seus veículos,  apesar do caos ao redor. Outros tentaram manobrar seus veículos no meio do inferno de fumaça e dirigir na direção oposta. Um motorista de caminhão disse: “Eles fecharam seus veículos e olhavam em volta”.
Quatro motoristas tentaram abrigar-se no interior de uma cabine telefônica de emergência, a cerca de 100 metros de seus veículos, mas apenas dois homens e uma mulher conseguiram fazer isto, apesar da fumaça.
Da cabine telefônica, eles alertaram o centro de controle às 4h 54min. Embora, o calor incrível no interior da cabine, eles conseguiram sobreviver, mantendo as portas fechadas, impedindo a penetração da fumaça. A câmera de TV próxima ao local, parou de transmitir imagens.

9 MINUTOS APÓS O INCÊNDIO


As sirenes foram acionadas e um alerta geral foi dado. Nesse momento, os bombeiros voluntários de Flachau, ao norte, foram alertados. Eles têm de percorrer pelo menos 18 km para alcançar a entrada do túnel, com seus veículos. Ao sul, os bombeiros voluntários de Zederhaus têm 7 km para percorrer. Até esse momento, eles sabem apenas que uma densa fumaça saía do túnel.









27 MINUTOS APÓS O INCÊNDIO
Dois carros com bombeiros chegam a entrada sul e imediatamente penetram no túnel. Uma forte rajada de corrente de ar vindo do lado deles para o norte, eles dirigem e param a 500 metros do local do incêndio.
Uma densa camada de fumaça ocupa a secção do túnel e a visibilidade é praticamente zero. Os bombeiros tinham apenas seis aparelhos de respiração e dois deles tiveram de retornar.
Os bombeiros tinham de caminhar na frente do caminhão, para verificar a eventualidade de encontrar algum corpo estendido no chão. Várias explosões ocorreram. O calor atinge tal intensidade e os bombeiros procuram abrigar-se na próxima cabine telefônica e o rádio de comunicação não funciona mais.
O comandante dos bombeiros ordena aumentar para máximo a extração de ar no local do fogo, enquanto outra secção do túnel recebe fluxo máximo de ar fresco.



1 HORA 2 MIN APÓS O INCÊNDIO
O calor diminuiu de intensidade e os bombeiros podiam alcançar as pessoas que estavam abrigadas na cabine telefônica. Próxima a cabine, encontraram um corpo de um jovem. Ele estava intoxicado por gases . Outros três receberam máscaras com filtro e foram imediatamente conduzidos para fora do túnel.

1 HORA E 12 MIN, APÓS O INCÊNDIO
Mais e mais bombeiros chegaram, trazendo equipamentos pesados. Mais de 170 bombeiros  de 25 diferentes companhias chegaram ao norte do túnel e 138 bombeiros de 8 companhias, chegam ao sul do túnel. 
Eles trouxeram duas câmaras de visão de infravermelho, que enxergam através da fumaça , um gerador móvel de 28 kva, com sistema de iluminação (23 luzes)  e 12 ventiladores de grande porte. O calor aumenta,  tornando difícil o caminho dos bombeiros para o norte.
Foram utilizadas cinco mangueiras com água e espuma para controlar o fogo. Após tremendo esforços, o fogo foi extinto.
Foi instalado numa área de descanso da rodovia,  ao norte e próximo ao túnel, um posto de emergência.

VÍTIMAS
Noventa pessoas foram resgatadas do túnel, sendo 50 transferidas imediatamente para os hospitais. Dois helicópteros e 25 ambulâncias transportaram as vítimas.

5 HORAS E 12 MIN APÓS O INCÊNDIO
Grande parte do concreto da cobertura do túnel, começa a cair. O calor enfraqueceu as ferragens e o concreto começou a fragmentar se e a cair devido ao seu próprio peso.
Após algum tempo, era perigoso permanecer no local e os bombeiros retiraram-se.
Era evidente que ninguém podia estar vivo no interior do túnel, com temperatura atingindo quase 1.200o C no local de origem do incêndio . A 700 m do local a temperatura alcançava 1000o C. 


6 HORAS E 12MIN  APÓS O INCÊNDIO .
O vento muda de direção, dando a possibilidade de ventilação adicional, no setor norte do túnel. A temperatura começa a reduzir gradativamente

10 HORAS E 12 MIN APÓS O INCÊNDIO
Os bombeiros iniciam a extinção do incêndio, ao norte, com equipamento móvel de espuma..
O local da origem do incêndio mostra os principais danos.

Uma viga pesada, à esquerda, estava parcialmente separada da parede entre os dutos de ventilação, acima da pista. (seta vermelha)
O calor foi tão intenso que a parede lateral desmoronou-se. A parede externa, resistiu ao fogo.

16 HORAS APÓS O INCÊNDIO
O fogo foi extinto.

FECHAMENTO DO TÚNEL PARA REFORMA
O túnel permaneceu três meses em reforma e foi reaberto em 28 de agosto de 1999.


PREJUÍZOS
O acidente implicou custo de:
■ US $ 6,5 milhões para obras de reparação
■ US $ 19,5 milhões em tarifas perdidas.
Os custos dos danos e perda de pedágio foram cobertos principalmente pelo seguro.

OUTRO INCÊNDIO
Em 10 de Janeiro de 2000, outro caminhão pegou fogo no túnel Tauern. Novamente as mesmas falhas ocorreram,  os motoristas dirigiam seus carros no interior do túnel enquanto os bombeiros extinguiam o fogo. Fonte: @ZR, Travel TauerTunnel. – 20 de agosto de 2001.

Marcadores: ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@3:00 AM

Assinar
Postagens [Atom]