Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

segunda-feira, fevereiro 01, 2016

Lembrança: Explosão em posto de gasolina em SP

Uma explosão em um posto de gasolina na Rua Júlio César Moreira, número 100, em Sapopemba, zona leste de São Paulo, ocorreu às 11 h 30 min, 29 de março de 2005, durante uma escavação de um poço artesiano no local.
José Pedro Alves dos Santos, estava trabalhando no interior do poço, a cerca de 14 metros de profundidade, quando uma faísca detonou a explosão.

CAUSA PROVÁVEL
A Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb) avalia que uma das prováveis  causas  é o vazamento de combustível de um dos oito tanques, porque dentro do poço havia um forte odor de combustível. A Cetesb também  constatou que há excesso de vapores de combustível no local, que são altamente inflamáveis. "Felizmente não há  presença destes vapores no entorno do posto", disse o químico da Cetesb, Jorge Luiz Nobre Gouveia. Segundo ele, se fossem constatados vapores na vizinhança, correria risco de haver novas explosões.
Possivelmente uma faísca da lanterna de Santos, originou a explosão.

VÍTIMAS
Santos morreu na hora. Dois proprietários do posto, um frentista e dois ajudantes de Santos ficaram feridos. Entre as vítimas, a mais grave foi o sócio do posto Francisco Jose Lamegal, onde foi constatado traumatismo craniano, além das queimaduras. Ele foi socorrido pelo helicóptero da PM e encaminhado ao Hospital das Clínicas, onde permanece inter¬nado em estado grave.
Outro sócio, Erisvaldo Sousa da Silva, um frentista, e dois ajudantes de Santos sofreram queimaduras de segundo e terceiro graus na região do rosto e do pescoço e foram internados, mas não corriam riscos de vida.

DANOS MATERIAIS
A explosão arrancou parte do telhado do posto Albatroz, danificou seis carros e chegou a estilhaçar vidraças de casas do outro lado da avenida, a uma distância de 20 metros.

CORPO DE BOMBEIROS
Seis viaturas do Corpo de Bombeiros compareceram no local.

EXPLOSÃO ASSUSTOU A VIZINHANÇA E OS CLIENTES DO POSTO

Clientes do posto
O estrondo foi assustador. Ao ouvir o barulho, a única reação do ambulante Emerson Gomes dos Santos, 24 anos, foi sair de dentro do carro e correr em direção a  Avenida Sapopemba. Na hora da explosão ele estava dentro do carro esperando que o frentista abastecesse seu Monza. "Senti que o carro voou, ele saiu do chão", disse o ambulante. Além de amassar as portas, o carro teve os vidros quebrados, assim como outros seis veículos que estavam no posto.

Outro cliente, Edinaldo Barbosa, reparou que os carros, inclusive o seu, saíram mais de 15 centímetros do chão. "Estava fora do carro e vi tudo. Na hora, saí correndo e quando olhei para trás vi muita fumaça", comentou Barbosa. Para ele, o socorro foi rápido para atender as vítimas. "Não deram cinco segundos e a  Policia Militar estava lá  para ajudar e isolar a área."

Vizinhança
Quem mora em frente ao posto também levou um susto. Com a explosão, os vidros de várias casas foram quebrados. Diogo Melo, assistia à televisão quando ouviu o barulho e muita gritaria. "Até a parede tremeu", disse.
Jucélia Teodoro, achou que uma bomba tivesse sido jogada dentro do seu quintal. Na hora ela estava em casa com a filha, 3 anos. "Ela não ficou muita assustada, pensou que fosse um balão", disse Jucélia.

MEIO AMBIENTE E MULTA
A Cetesb também exigiu que os proprietários retirassem todo o combustível existente nos tanques para evitar qualquer possibilidade de novas explosões e danos ao meio ambiente. O posto pode de ser multado em até R$ 130 mil.

IRREGULARIDADES
A Cetesb informou que o posto estava em situação irregular, pois não possuía a licença da agência. Além disso, segundo o Daee (Departamento de Águas e Energia Elétrica do Estado), não havia pedido por parte do posto para que fosse feito o poço, o que caracteriza a obra como clandestina.
Já a Subprefeitura de São Mateus não soube informar se o posto tinha alvarás de funcionamento e de reforma (necessário para a instalação do poço), pois esses dados não podiam ser acessados devido à falta de energia elétrica no local. Os donos seriam intimados a apresentar os dois alvarás dentro de 48h.

INQUÉRITO POLICIAL
O delegado Maurício Ahvener de Siqueira e Souza informou que os donos dos postos poderão responder por homicídio e lesão corporal culposos (sem intenção).
Os proprietários do posto, feridos, não puderam ser ouvidos pela polícia. O advogado Jair Silva Cardoso compareceu à delegacia, junto com o gerente do posto, Helio Lamegal da Cunha, que foi prestar depoimento. De acordo com o advogado, estava providenciando todos os documentos do estabelecimento.

Fontes: @ZR, Jornal da Tarde - 30 de março de 2005, Folha de São Paulo - São Paulo, 30 de março de 2005  e Terra Noticias - 29 de março de 2005

Comentário:
Definição de Espaço Confinado:
NR-33.1.2 Espaço Confinado é qualquer área ou ambiente não projetado para ocupação humana contínua, que possua meios limitados de entrada e saída, cuja ventilação existente é insuficiente para remover contaminantes ou onde possa existir a deficiência ou enriquecimento de oxigênio.

Os problemas dos Espaços Confinados
■Baixa ocorrência;
■Acidentes Fatais;
■Quase sempre fatais;
■Diversidade de riscos envolvidos;

Os acidentes fatais ou não fatais envolvendo ambientes confinados revelaram dados alarmantes:
■Em 100% dos casos o ambiente não foi analisado;
■Em 95% dos casos não havia um plano de resgate;
■Em 85% dos casos não havia programa de treinamento para a entrada em espaços confinados (permissão de acesso);
■Em 65% dos casos os executantes não sabiam sequer de que se tratava de um espaço confinado;
■ Em 60% dos casos fatais, ocorreram mais de uma morte vitimando pessoas que tentavam resgatar colegas;

Há quatro principais riscos em espaços confinados;
■Deficiência/enriquecimento de oxigênio
■Incêndio ou explosão
■Toxicidade e
■Afogamento em líquidos ou partículas sólidas em suspensão (poeiras)     

Medidas de emergência e resgate
O empregador deve elaborar e implantar procedimentos de emergência e resgate adequado aos espaços confinados incluindo, no mínimo:
■Identificação dos riscos potenciais através da Análise Preliminar de Riscos - APR; descrição das medidas de salvamento e primeiros socorros a serem executadas em caso de emergência;
■Utilização dos equipamentos de comunicação, iluminação de emergência, resgate e primeiros socorros;
■Designação de pessoal responsável pela execução das medidas de resgate e primeiros socorros para cada serviço a ser realizado;
■Exercício anual em técnicas de resgate e primeiros socorros em espaços confinados simulados.

Marcadores: ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@9:28 AM