Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

sexta-feira, julho 06, 2012

Enviar SMS aumenta riscos de acidentes em 4 vezes

É proibido dirigir falando ao celular. O que muita gente não sabe, ou finge não saber, é que mandar SMS, usar um aplicativo ou acessar a internet ao volante também são infrações de trânsito.

ABRAMET - CAMPANHA
Para alertar sobre os riscos dessas atitudes, que elevam em quatro vezes as chances de acidentes, a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) lançou ontem uma campanha para tentar desestimular a utilização dos aparelhos eletrônicos entre os motoristas.
O foco do vídeo, divulgado na internet, é o envio de mensagens de texto. De acordo com Dirceu Rodrigues Alves Junior, chefe do departamento de medicina de tráfego ocupacional da entidade, quem escreve ou lê um torpedo gasta muito mais tempo sem prestar atenção ao tráfego.


ALGUNS SEGUNDOS E A COLISÃO
“A pessoa leva de 4 a 5 segundos só para fazer o contato com um aparelho tocando. Se o carro estiver a 100 km/h, terá percorrido 120 metros sem a visão frontal do motorista.” Ele explica que quando o aparelho começa a tocar, por exemplo, a reação produzida no condutor é de surpresa, o que o leva à busca imediata do equipamento.
O fenômeno é acompanho de “intensa ansiedade”, e uma das mãos acaba sendo retirada do volante, uma violação do artigo 252 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Pela legislação, isso só pode ocorrer para mudar a marcha ou acessar algum acessório que está no painel.

USANDO CELULAR TEM RESPOSTAS MOTORAS TÃO ATRASADAS
Alves Junior diz ainda que o condutor usando celular tem respostas motoras tão atrasadas a estímulos de fora quanto a de alguém guiando o carro embriagado. Apesar de saber dos riscos e de já ter sido multada algumas vezes em São Paulo – a última, por sinal, na semana passada –, a pedagoga Christiane de Almeida, de 48 anos, continua usando seu iPhone ao volante.
“Nunca bati por causa disso, mas tenho uma amiga que destruiu o carro porque ficou procurando o celular na bolsa enquanto ele tocava. Ela não viu o carro à frente e bateu”, conta.

FISCALIZAÇÃO
Nos cinco primeiros meses do ano, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) informou ter aplicado 187.686 multas para motoristas ao celular. A quantidade é um pouco maior que o registrado no mesmo período do ano passado, quando 183.485 condutores foram autuados.
O consultor Horácio Augusto Figueira, mestre em engenharia de tráfego pela Universidade de São Paulo (USP), defende que essa fiscalização seja ampliada. “Em média, a CET faz 78 autuações por hora, ou 1,3 por minuto. Parece um número grande, mas se ficarmos em qualquer avenida quase não monitorada em São Paulo, como a Ataliba Leonel ou a Sapopemba, vamos ver passando bem mais do que um motorista por minuto falando ao celular.”
Segundo ele, a Prefeitura também deveria colocar mais fiscais na rua à noite e de madrugada. “A CET tem que abrir os olhos ao problema todos os dias e horários, até as duas da manhã, quando também há pessoas mandando SMS e dirigindo ao mesmo tempo.” Figueira diz ainda que digitar uma mensagem no celular é tão perigoso quanto “dirigir fritando pastel, fazendo tricô ou lixando unhas”.

COMANDO DE VOZ
Mesmo celulares ou comandos de ação que funcionam por meio da voz também representam risco. “A sua atividade cerebral é desviada do foco central, que é dirigir. Mesmo assim, as pessoas continuam não acreditando que é perigoso.” A recomendação dele e de Alves Junior, da Abramet, é desligar o aparelho ou colocá-lo no silencioso. Isso é justo para evitar a vontade de ver uma ligação no momento em que o telefone toca.

INFRAÇÃO
A infração, que é média, custa R$ 85,13 e rende quatro pontos na carteira de habilitação. De acordo com a CET, em todo o ano passado foram registradas 461.159 multas por uso do celular ao volante, ante 473.153 multas em 2010. O órgão de trânsito informou que essa foi a quarta infração mais cometida pelos motoristas paulistanos nos dois últimos anos.

Fonte: Estadão - 18 de junho de 2012




Simulação interessante em que o leitor faz parte da interação.
Vale a pena interagir

Comentário:
Parece-me que existe uma mágica entre o celular e o ser humano? É uma atração fatal  que não sei explicar? É um vício, é uma droga eletrônica? O celular banaliza a vida.  O celular implantou a indústria de morte, aquela morte banal e alegre. O celular programa a morte daquele que o utiliza de modo inseguro. O triste dessa programação sempre leva alguém  que não tem nada a ver com o acontecimento.  Vivemos a era do entretenimento eletrônico dirigindo.
Desde a primeira morte causada por automóvel em 1896, o número de acidentes de trânsito não pára de crescer. No mundo atualmente morrem por ano 1,2 milhão de pessoas, e 50 milhões ficam com sequelas graves. Uma morte a cada 30 segundos.
Hoje os acidentes de trânsito representam a nona causa de mortalidade, mas em 2020 deverão ser a terceira.
O Brasil é destaque negativo em números absolutos e relativos. É um dos trânsitos mais matadores das Américas, só perdendo para Venezuela e El Salvador. A nossa taxa de mortalidade por veículos, é seis vezes maior do que a japonesa.
E nas nossas rodovias, morre 10 a 20 vezes mais do que nos países  desenvolvidos. O que poderemos fazer para modificar estas tão tristes estatísticas? 

Marcadores:

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@11:44 AM