Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

quinta-feira, dezembro 09, 2010

Incêndio destrói parcialmente supermercado

Um incêndio destruiu parte do Supermercado Angeloni na rua Marechal Deodoro, no Centro de Criciúma, no fim da madrugada de quarta-feira, 10 de novembro 2010. Os bombeiros precisaram de quase duas horas para conseguir controlar as chamas.

Segundo relato de funcionários e vizinhos do estabelecimento, o fogo começou nos fundos do supermercado, onde fica a cozinha da padaria, por volta de 5h30min. As chamas atingiram também um depósito e o açougue.

DESTRUIÇÃO
Foram destruídos pelo fogo a padaria, o açougue e um depósito aos fundos da loja. A área comercial do supermercado (corredores, gôndolas) não foi atingida.

CIRCUNVIZINHANÇA
As ruas em torno do local foram interditadas por causa do trabalho dos bombeiros e para evitar riscos aos que passavam pela região. Os prédios próximos ao estabelecimento não foram atingidos.

VÍTIMAS
Nenhum dos 15 funcionários que estavam no interior da loja no momento do incidente se feriu.

CORPO DE BOMBEIROS
De acordo com o tenente coronel João Carlos Leão Correia, 40 bombeiros trabalharam na ação, seis caminhões pipas e usaram cerca de 100 mil litros de água. A porta de entrada da loja precisou ser arrombada para ventilação forçada no interior da loja.

CAUSA PROVÁVEL
Uma fritadeira teria sido a causadora das chamas que atingiram 30% da loja, no Centro da cidade, adiantou o presidente do conselho da empresa, Antenor Angeloni. Quinze funcionários trabalhavam na padaria, onde começaram as chamas, mas ninguém

SUPERMERCADO FECHADO
A reabertura do supermercado será informada após a conclusão dos laudos, que deve acontecer em 30 dias.

PREJUÍZO
Um levantamento preliminar da seguradora estima um prejuízo de R$ 3 milhões (US$ 1,7 milhões).

Fonte: A Tribuna – 10 de novembro de 2010, Zero Hora - 11 de novembro de 2010 e Diário Catarinense - 11 de novembro de 2010

Vídeo:



COMENTÁRIO:

COMO APAGAR FOGO EM ÓLEO DE COZINHA
Dramático 30 s de vídeo sobre como lidar com fogo em cozinha, especificamente com óleo em fritura. Você provavelmente nunca imaginou que um pano úmido pode ser apropriado para abafar o fogo em uma panela! Ou que jogar água em incêndio com óleo terá resultados desastroso!
Em uma escola de treinamento de combate ao fogo, eles demonstraram isto, com uma frigideira de fritura em campo de teste. Um instrutor com vestuário contra fogo e usando um jarro de 240 ml, distante 3 metros do fogo, joga água na frigideira. O resultado chama atenção dos estudantes.
A água, sendo mais pesado do que o óleo, afunda imediatamente, onde ela se torna instantaneamente superaquecida. A força explosiva do vapor expande o óleo incandescente para cima. Em local aberto, transforma-se numa bola de fogo de 9 metros de altura. Nos limites de uma cozinha, a bola de fogo atinge o teto e ocupa toda área.
Além disso, não jogue açúcar ou farinha sobre o óleo incandescente. Uma xícara cria uma força explosiva equivalente a duas bananas de dinamite.

Trechos principais do vídeo:
Caso você esqueça no fogo a panela ou frigideira com óleo e pegue fogo;
Não entre pânico.
1. Desligue o fogão.
2. Molhe um pano, torça-o retirando o excesso de água, para que este não pingue.
3. Coloque o pano sobre a panela/frigideira e espere ate que esfrie (não saia mais vapor)
4. Nunca tente mover a panela ou frigideira.
5. Nunca jogue água, pois os respingos resultarão numa bola de fogo (explosão) com efeitos devastadores.



ABAFAMENTO.
Consiste em eliminar o comburente (oxigênio) da queima, fazendo com que ela enfraqueça até se apagar. Para exemplificar, basta lembrar que, quando se está fritando um bife e o óleo liberado entra em combustão. A chama é eliminada pelo abafamento ao se colocar a tampa ou pano úmido (não sintético) na frigideira. Isso reduz a quantidade de oxigênio existente na superfície da fritura.

INCÊNDIOS EM RESTAURANTES NOS USA EM 2002
Resultados
■ Em 2002, estimava-se em 7.100 incêndios em restaurantes, que foram responsáveis por 108 vitimas com ferimentos e prejuízos materiais de US$ 116 milhões em propriedades
■ Menos de um terço de incêndios em restaurantes ocorreram em áreas que tinham alarmes de incêndio, e menos da metade de incêndios ocorridos em áreas com sistema de sprinklers.
■ Aproximadamente 64% de incêndios em restaurantes foram causados; pelos setores de cozinha, seguido, por aquecimento (10%) e por suspeita de incêndio criminoso (5%).
■ Materiais de cozinha, tais como; gordura, óleo, foram os itens mais freqüentes para provocar inicialmente a ignição .
■ Os incêndios em restaurante foram limitados inicialmente aos objetos incendiados em 70% dos incidentes

VAMOS ANALISAR O QUE FAZ DO ÓLEO DE COZINHA, A GORDURA E A BANHA, INCÊNDIOS TÃO ESPECÍFICOS.
Os óleos de cozinha usados para fritura têm uma faixa ampla de temperaturas de auto-ignição. A auto-ignição do óleo pode ocorrer em qualquer intervalo de 288°C a 385°C (o teste de laboratórios requer a auto-ignição e/ou acima de 363°C). Para que esta auto-ignição possa ocorrer, a massa total de óleo, se medido em gramas em uma panela pequena ou até 52 kg em uma fritadeira industrial, deve ter sido aquecido além da temperatura de auto-ignição. Depois que a auto-ignição ocorreu o óleo mudará sua composição ligeiramente ao queimar-se. A sua nova temperatura de auto-ignição pode ser tanto quanto 10°C mais baixo do que sua temperatura de auto-ignição original. Este incêndio será auto-sustentado a menos que a massa inteira de óleo for refrigerada abaixo da nova temperatura de auto-ignição.

CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DO ÓLEO DE SOJA
O óleo de soja tem um ponto de fumos ou fumaça (emanação de vapores, smoke point) elevado, 227o C (218°C é o mínimo para óleo de fritura). O ponto de fulgor é de 327°C e seu ponto de combustão é de 365° C. (baseado em um óleo de soja com nível de ácido graxo livre de 0,02 %). Os óleos de soja com níveis ácidos graxos livres mais elevados do que 0,02% terão os pontos de fumos, fulgor e de combustão mais baixo. No Brasil o nível de acido graxo pode chegar até 2% (dependendo da qualidade do óleo).
O óleo de fritura quando alcança o ponto de ebulição é muito perigoso. Se o óleo inicia o borbulho, retirar imediatamente da fonte quente. Simplesmente desligar da fonte quente pode não ser suficiente para reduzir imediatamente a temperatura, quando utiliza um aparelho elétrico (fritadeira), porque esse tipo de equipamento retém calor, mesmo após seu desligamento.

Um óleo alcança o seu ponto de fulgor em 315o C, quando pequenos filetes de fogo começam saltar de sua superfície. Se o óleo alcançou seu ponto de combustão de 370o C, para maioria dos óleos, sua superfície começará vaporizar-se e ignição espontânea surgirá imediatamente.
Obs:: O ponto de fumos ou de fumaça (smoke point) é a temperatura em que o óleo poder ser aquecido antes de emitir vapores ou alterar sua cor, indicação de sua decomposição. Quando estiver fritando com óleo e começar a emitir vapores, o óleo alcançou o seu ponto de fumos. No ponto de fumos, o óleo começar emitir odor desagradável e também interfere no sabor do alimento.

EXTINTOR ADEQUADO – CLASSE K
Incêndios que envolvem meios de cozinhar (banha, gordura e óleo) tem sido por muito tempo a principal causa de danos materiais, vítimas fatais ou não. Estes incêndios são muito especiais na natureza. Testes recentes efetuados por ULI (Laboratórios de Underwriters, Inc.) e outras agências em outros países obtiveram novos resultados neste tipo especifico de risco de incêndio.

Incêndios envolvendo equipamentos de cozinha industrial são diferentes na maior parte de outros incêndios. Nos Estados Unidos uma nova classificação para atividade de incêndios em cozinha - classe K - foi reconhecida pela NFPA (National Fire Protection Association), através da norma, NFPA 10 – Extintores de Incêndio Portáteis e por Laboratórios de Underwriters, norma 711 de ANSI/ULI. Essas organizações compreenderam que estes incêndios não se parecem com os tradicionais incêndios em líquidos inflamáveis que envolvem a gasolina, o óleo lubrificante, solvente de pintura ou solvente em geral.
Fonte: Class K Fires - A New Classification for Commercial Cooking Hazards - J. Craig Voelkert, Vice-presidente, Special Hazards , Amerex Corporation

Tipo de extintor - Pó químico umedecido – componente básico acetato de potássio especial desenvolvido para combater incêndio especifico de cozinha industrial (óleos).
O extintor quando acionado, é descarregado com um jato tipo neblina (pulverização). O fogo é extinto por resfriamento e pelo efeito asfixiante da espuma (saponificação).
O extintor é especifico para combate fogo (Classe K) como: gorduras e banhas quentes, incêndios de óleos e gorduras de cozinhas.
Equipamentos típicos a serem protegidos pelo extintor: fritadeiras, frigideiras, grelhas, assadeiras, etc.

Vídeo:
Alerta para não jogar água no fogo.


Marcadores:

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@9:05 AM