Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

sábado, outubro 23, 2010

Dinâmica do impacto do corpo humano em acidente de carro

A duração do vídeo é longa, 22 minutos, mas mostra a dinâmica do corpo humano durante a colisão. A simulação é real, com especialista fazendo o papel do boneco de teste (Dummy). Com a super-câmera, verificamos quadro por quadro, a reação do corpo humano e as deformações do carro. Vale à pena assistir.

Em física, a variação de energia cinética é a quantidade de trabalho que teve que ser realizado sobre um objeto para modificar a sua velocidade (seja a partir do repouso - velocidade zero - seja a partir de uma velocidade inicial).
Para um objeto de massa m a uma velocidade v a sua energia cinética, em um instante de tempo, é calculada como: Ec = ½ x M x V2, m = massa v = velocidade ao quadrado

Uma das coisas importantes a se lembrar desta expressão é que a energia cinética aumenta com o quadrado da velocidade. Isto significa que um carro que bater a 160 km/h causará 4 vezes mais estrago que um andando a 80 km/h, ou 16 vezes mais que um a 40 km/h, ou 64 vezes mais que um a 20 km/h

Também da definição da energia cinética como a soma "integral" do trabalho realizado em um determinado deslocamento do corpo podemos entender porque uma colisão de veículos causa tanto estrago.

Um veículo andando a 80 km/h, por exemplo, chegou a esta velocidade devido ao trabalho do motor durante um certo tempo e distância. Ao colidir, toda a energia cinética do veículo deve ser dissipada para que ele volte ao repouso. Na colisão com um poste, por exemplo, a distância que o veículo terá para realizar um trabalho equivalente ao que foi feito para colocá-lo em movimento é significativamente muito menor, alguns centímetros, talvez um metro. Desta forma, as forças envolvidas terão que ser muito maiores, para que o produto Força x deslocamento (trabalho) seja igual ao do percurso original. Fonte: Wikipédia

Variáveis dos veículos envolvidos em acidente de trânsito, baseado no principio físico da conservação da quantidade de movimento.
São parâmetros considerados para o cálculo:
1) As massas totais dos veículos (incluindo ocupantes e carga)
2) Ângulos das trajetórias dos veículos momento antes da colisão
3) Determinação do local da colisão
4) Ângulos das trajetórias assumidos após a colisão
5) Distância final das posições dos veículos adquiridas a partir do local da colisão.
6) Coeficiente de atrito

Marcadores:

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@2:12 PM

1 Comments:

At 2:21 PM, Blogger José Antonio Barbosa said...

Gostei da matéria. Gostaria também de ver o video.

José Antonio Barbosa

josbarbosa@uol.com.br

 

Postar um comentário

<< Home