Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

segunda-feira, julho 19, 2010

Explosão em empresa deixa 4 trabalhadores gravemente feridos

Quatro pessoas ficaram gravemente feridas depois de um acidente ocorrido na JRB Armazéns Gerais, instalada no Km 411 da Rodovia Anhangüera, Ituverava, Estado de São Paulo, na quinta-feira, 8 de Julho de 2010.

Causa provável
Os funcionários faziam a manutenção e limpeza em um túnel de cerca de 50 metros quando houve a explosão. O túnel possuía uma esteira, que carregava açúcar para vagões. A polícia investiga as causas do acidente.
Uma fagulha de um aparelho de solda pode ter provocado a explosão. “Constatei há uns 15 metros da boca do túnel onde ocorreu a explosão que havia um aparelho elétrico de solda e capacetes. Pode ser que a solda tenha causado a explosão”, disse o delegado de Ituverava, Wilson dos Santos Pio.

Vítimas:
Dois trabalhadores tiveram 80% do corpo queimado. Outras duas vítimas tiveram entre 25% e 30% do corpo afetado. Todos respiram com a ajuda de aparelhos.
As vítimas foram encaminhadas para a Santa Casa de Ituverava. Edson, de 44 anos, e José, de 29, foram transferidos para o Hospital de Queimados de Limeira. Pouco após às 22h, Francisco, de 23 anos, e Alceu, de 48, foram transferidos para Catanduva, onde também há um hospital especializado.

A empresa
A empresa JRB Armazéns Gerais – que atua no setor de embarque e desembarque de açúcar a granel, recebendo cargas do produto e embarcando-as por via férrea. O responsável pela empresa JRB Armanzéns Gerais disse apenas que foi um acidente de trabalho, sujeito a qualquer empresa.

Inquérito
Polícia Civil instaurou inquérito para investigar o fato

Fonte: Tribuna de Ituvera - 15 de Julho de 2010


Comentário:

Existe o risco de explosão com açúcar?

SIM, se for um pó fino ou poeira! Qualquer material que pode queimar é capaz de causar uma explosão catastrófica se estiver em suspensão, como um pó fino ou poeira, no ar ou em outra atmosfera oxidante. Em 7 de Fevereiro de 2008 deu-se uma grande explosão numa refinaria de açúcar perto de Savannah, Georgia, EUA. A explosão feriu 38 pessoas sendo 14 gravemente com queimaduras e 14 mortes.

A explosão foi provocada por acúmulo de pó na correia transportadora, devido ao aquecimento dos rolamentos da correia. Essa foi ignição inicial e depois houve uma série de explosões secundárias com maior potencial de danos (efeito cascata)

Muitas pessoas não estão cientes do risco de explosão de muitas poeiras e pós finos em suspensão. Exemplos de materiais que apresentam risco de explosão, se presentes na forma de pó fino ou poeiras,
■ incluem quase todos os materiais orgânicos – farinha, açúcar, plástico, amido,
■ produtos farmacêuticos.

Metais em pó como o alumínio ou o magnésio também representam risco de explosão.

Você sabe em que condições são necessárias para uma explosão de pó?

As condições necessárias para uma explosão de pó podem ser representadas como um pentágono (veja a figura):
• COMBUSTÍVEL – A presença de um pó combustível. O tamanho das partículas é importante – partículas menores têm
maior probabilidade de ignição e de dispersão.

• COMBURENTE– Normalmente é o oxigênio do ar, que na maioria dos casos é suficiente para que ocorra a explosão.

• SUSPENSÃO – O pó precisa estar em suspensão no ar. O pó pode ser normalmente disperso no ar por um equipamento de processo. Num edifício isso pode ocorrer por uma grande fuga ou vazamento, uma pequena explosão de pó inicial, ou qualquer outra perturbação que levante camadas de pó de equipamentos ou do piso.

• FONTE DE IGNIÇÃO – É necessária energia para a ignição da mistura. Esta pode ser uma coisa com tão pouca energia como a eletricidade estática ou uma fonte mais potente como uma chama exposta ou um curto circuito.

• CONFINAMENTO – Por exemplo, as paredes, teto, piso e telhado de um edifício criam um confinamento. Equipamentos da fábrica incluindo equipamento de processo, silos de armazenagem, coletores de pó e tubulações também criam confinamento.

Algumas vezes ocorre uma explosão inicial e levanta quantidades maiores de pó acumulado na instalação. Isto cria condições para uma segunda explosão, muito maior, que pode ser catastrófica. (efeito dominó)

Uma pequena quantidade de pó – uma camada com menos de 1 mm de espessura em superfícies expostas – quando suspensa no ar pode criar uma nuvem de pó explosiva. Pode-se considerar que uma camada de pó cria uma situação perigosa se ela cobre, toda superfície, uma área superior a 5% da área do piso do compartimento.

Como saber se há pó suficiente? Duas orientações que as pessoas acostumam usar quando há muito pó acumulado:
(1) quando não se consegue distinguir a cor do equipamento ou do piso sob a camada de pó, ou
(2) quando se escreve o seu nome no pó e se formam sulcos leves nas extremidades das letras.

Uma boa limpeza (housekeeping) é uma prática necessária de segurança quanto à preocupação de risco de explosão.
Outras práticas de segurança incluem reduzir o potencial de descargas eletrostáticas através de aterramento e das ligações equipotenciais dos equipamentos, classificação adequada de área de instalações elétricas em atmosfera explosiva e seleção de equipamento.

Se sua fábrica manipula pós potencialmente explosivos garanta que você compreenda: os perigos, todas as práticas e equipamentos de segurança necessários para uma operação segura.
Fonte: Process Safety Beacon – May 2008

Obs:
Um oxidante é um material que libera oxigênio rapidamente para sustentar a combustão dos materiais orgânicos. Outra definição semelhante afirma que o oxidante é um material que gera oxigênio à temperatura ambiente, ou quando levemente aquecido. Assim, pode-se verificar que ambas as definições afirmam que o oxigênio é sempre liberado por um agente oxidante.
Devido à facilidade de liberação do oxigênio, estas substâncias são relativamente instáveis e reagem quimicamente com uma grande variedade de produtos.
Apesar da grande maioria das substâncias oxidantes não ser inflamável, o simples contato delas com produtos combustíveis pode gerar um incêndio, mesmo sem a presença de fontes de ignição.
Outro aspecto a considerar é a grande reatividade dos oxidantes com compostos orgânicos. Geralmente essas reações são vigorosas, ocorrendo grandes liberações de calor, podendo acarretar fogo ou explosão. Mesmo pequenos traços de um oxidante podem causar a ignição de alguns materiais..

Video:
O vídeo é demorado, mas muito bom. É da agência independente Chemical Safety and Hazard Investigation Board (CSB)

Marcadores: ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@12:32 PM