Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

segunda-feira, novembro 07, 2016

Manutenção e inspeção da mangueira de incêndio

Para que a mangueira de incêndio esteja sempre em boas condições e pronta para o combate, é necessário que sejam feitas manutenção e inspeção do equipamento frequentemente. É recomendado que a inspeção ocorra semestralmente e a manutenção, anualmente.

INSPEÇÃO VISUAL DA MANGUEIRA DE INCÊNDIO
Após ter sido utilizada no combate ao fogo, o equipamento deve passar pela inspeção visual, pois ela pode  apresentar:
■Desgaste por abrasão na parte externa do revestimento
■Manchas e resíduos na superfície externa, originadas por contato com produtos químicos.
■Desprendimento da parte externa
■Deslizamento das uniões em relação ao equipamento
■Dificuldades ao acoplar o engate (os flanges devem girar livre e suavemente)
■Deformações nas uniões, sejam elas causadas por quedas, golpes, arraste ou quaisquer outros.
■Ausência de vedação de borracha nos engates das uniões ou vedação com problemas (fendilhamento, ressecamento ou corte)
■Ausência de identificação do fabricante.

Caso a mangueira tenha seu comprimento reduzido por qualquer procedimento de manutenção, ela dó deve voltar a ser utilizada caso essa redução tenha sido de no máximo 2% do comprimento inicial.

LIMPEZA E SECAGEM DA MANGUEIRA DE INCÊNDIO
Todos os resíduos devem ser removidos da superfície externa da mangueira, e caso a limpeza seja a seco, devem ser utilizadas escovas com cerdas que não sejam metálicas, e o escovamento deve ser feito no sentido da trama.
A mangueira deve ser usada sempre seca, e sua secagem deve ser feita à sombra, com a mangueira na vertical ou em um plano inclinado. Quando for utilizado equipamento para secagem forçada, a temperatura não deve ultrapassar os 50ºC.

CUIDADOS DE PRESERVAÇÃO DAS MANGUEIRAS DE INCÊNDIO
a) Evitar contatos com cantos vivos e pontiagudos;
b) evitar manobras violentas de derivantes, entrada repentina de bomba e fechamento abrupto de esguichos, registros e hidrantes que causam golpes de aríete na linha (a pressão pode atingir sete vezes a pressão estática de trabalho, o que pode romper ou desempatar uma mangueira);
c) evitar contato com o fogo, brasas e superfícies quentes;
d) evitar arraste da mangueira e uniões sobre o piso, principalmente se ela estiver vazia ou com pressão muito baixa (isto pode causar furos, principalmente no v1nco);
e) evitar queda de uniões;
f) evitar contato da mangueira com produtos químicos e derivados de petróleo, salvo tipo apropriado para esta finalidade;
g) evitar guardar a mangueira molhada. As mangueiras são fabricadas com materiais sintéticos que não são afetados pela água ou pela presença de fungos (bolor), mas para evitar a proliferação destes organismos e odor desagradável, é recomendável fazer o escoamento da água após o uso ou ensaio hidrostático, antes de guardar a mangueira;
h) evitar curvamento acentuado da mangueira junto à união, quando em operação;
i) não utilizar as mangueiras para algum outro fim que não seja o combate a incêndio (lavagem de garagens, pátios etc.);
j) para maior segurança, não utilizar as mangueiras das caixas ou abrigos em treinamento de brigadas, evitando danos e desgastes. As mangueiras utilizadas em treinamento de brigadas devem ser identificadas e mantidas somente para este fim;
k) evitar a passagem de veículos sobre a mangueira durante o uso, utilizando-se um dispositivo de passagem de nível;
I) Inspecionar as caixas e abrigos para verificar se eles são adequados para a conservação da mangueira;
m) após a manutenção, retornar ao hidrante mangueira de mesmo tipo, diâmetro e comprimento conforme projeto;
n) de acordo com o tipo de utilização, as mangueiras podem ser acondicionadas conforme descrito a seguir:
De acordo com o tipo de utilização, as mangueiras podem ser acondicionadas:
■ na forma zigue‑zague deitada: a mangueira deve ser apoiada por um de seus vincos sobre superfície não abrasiva. Podem ser acoplados vários lances para formação de linha pronta;
■ na forma zigue‑zague em pé: a mangueira deve ser posicionada na vertical sobre ela própria;
■ na forma espiral: consiste em enrolar a mangueira a partir de uma de suas extremidades, sobre ela mesma, formando uma espiral. Esta forma só deve ser utilizada para armazenamento em estoque;
■ na forma aduchada: consiste em enrolar a mangueira previamente dobrada contra ela mesma, formando uma espiral a partir da dobra em direção às extremidades. Recomenda-se esta forma de acondicionamento nas caixas de hidrantes.
Obs: Convém que a mangueira seja enrolada para acondicionamento no vinco original, salvo recomendação específica do fabricante.
o) a mangueira aprovada para uso deve ser armazenada em local ou compartimento seco e ventilado, protegida da incidência direta de raios solares e atmosferas agressivas, tais como vapores de derivados de petróleo, vapores ácidos etc.;

p) antes de pressurizar a mangueira, verificar se as uniões acoplaram totalmente (cerca de um quarto e volta para uniões tipo engate rápido). Fonte: Fonte: Bucka

Marcadores:

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@3:00 AM

Assinar
Postagens [Atom]