Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

quinta-feira, maio 28, 2015

Carro explode após mulher acender cigarro e usar desodorante no DF

Uma mulher ficou ferida no sábado, 24 de janeiro, após uma explosão ocorrida dentro de um carro em um estacionamento de uma quadra residencial na Asa Norte, em Brasília.

USO DE DESODORANTE AEROSSOL
Segundo a Polícia Civil, a vítima, de 39 anos, relatou ter usado um desodorante aerossol e depois ter acendido um cigarro, momento em que houve a explosão. O acidente ocorreu por volta de 0h

SPRAY E CIGARRO ENCONTRADO NO CARRO
O Corpo de Bombeiros informou à polícia ter encontrado uma ponta de cigarro dentro do carro e uma lata de spray. O pai da vítima relatou que a mulher acionou dois frascos de aerossol e acendeu um cigarro.

DANOS NO CARRO
A polícia informou que o veículo ficou com as quatro portas amassadas e abertas, parabrisa estilhaçado e o porta-malas aberto.

BARULHO MUITO ALTO
Estava em casa quando ouvi um barulho muito alto. Quando olhei para fora da janela, o carro já estava muito amassado. De repente encheu de gente ao redor do carro e os bombeiros chegaram, Lucas Silva, morador
Morador da 305 Norte, Lucas Silva disse ter se assustado com o barulho da explosão. "Estava em casa quando ouvi um barulho muito alto. Quando olhei para fora da janela, o carro já estava muito amassado", disse ele. "De repente encheu de gente ao redor do carro e os bombeiros chegaram."
"Ouvi a explosão de casa. Foi muito, muito alto mesmo", disse uma moradora que não quis se identificar. "O vidro quebrado ainda está na calçada. Os vizinhos comentaram que foi um morador do bloco da frente quem entrou no carro e resgatou ela. O cabelo dela ficou todo para cima."

HOSPITALIZAÇÃO
Segundo ocorrência registrada pelo Corpo de Bombeiros, a pessoa que ligou para o 192 pedindo socorro informou que havia uma mulher "toda queimada" e que ouviu um barulho de "estrondo" vindo de um carro.
A mulher foi levada para o Hospital Regional da Asa Norte (Hran).  A maior parte das queimaduras foi de primeiro grau e que em algumas partes foi de segundo grau. O estado dela no momento do socorro era considerado estável e obteve alta no mesmo dia.

INQUÉRITO  POLICIAL
O carro foi guinchado pela Policia Civil, que soliticou perícia para o local. O caso será investigado pela 2ª DP.

PRODUTO INFLAMÁVEL
De acordo com o engenheiro químico e professor da Universidade de Brasília (UnB), Celso Cavalcanti, alguns desodorantes têm em sua composição o Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), que é altamente inflamável. O componente age empurrando o produto para fora do recipiente, por meio do spray.
"Se você está fumando, tem uma fonte de ignição na boca. Se vira o rosto para perto da axila e aperta o spray, o que você efetivamente fez foi criar uma nuvem de gás inflamável. O cigarro iniciou a combustão", disse.
"O GLP é mesmo que o gás de cozinha. Se você aperta um spray de desodorante e acende um isqueiro na frente, você faz uma chama. Se você levar o [recipiente] do desodorante direto ao fogo, provoca um incêndio que daria até uma explosão. Se o desodorante tivesse explodido, ela poderia ter perdido até o dedo", afirma.
"Por isso a importância das pessoas lerem os rótulos para saberem o que alguns desodorantes possuem na sua composição química." Fonte: @ZR, G1 DF-25/01/2015

Comentário:
Esse tipo de acidente acontece com todo spray que tem como propelente substância inflamável Basicamente o aerossol é um sistema que consiste em uma embalagem que permita ser pressurizada, onde temos no interior desta embalagem uma mistura de um produto (desodorante, cabelos, tinta, inseticida, lubrificante, etc.) e um gás propelente (isobutano, butano, propano, di-metil éter, etc.). Essa mistura permanece no interior desta embalagem, por meio de um dispositivo que chamamos de válvula. Ao pressionarmos essa válvula, a mistura de produto e gás é liberada para a atmosfera sob a forma de um spray com o nome técnico de aerossol (dispersão de partículas em um meio). Não percebemos que estamos manuseando um produto que pode transformar-se num lança-chamas ou uma pequena bomba incendiária ou num foguete, dependendo da situação potencialmente perigosa no local (incêndio, calor, perfuração da lata, etc.).

Cuidados:
■ Conteúdo sob pressão, o vasilhame mesmo vazio não deve ser perfurado.
■ Não use ou guarde próximo ao calor da chama ou exposto ao sol.
■ Nunca coloque esta embalagem no fogo direto ou incinerador.
■ Guardar em lugar ventilado.
■ Desligue os aparelhos e ferramentas elétricas antes da aplicação.
■ O calor pode provocar explosão.
■ Pode ser nocivo se ingerido. Se ingerido, não provoque vômito.
■ Evitar inalação do produto.
■ Utilize em áreas bem ventilada.
■ Mantenha fora do alcance das crianças.
■ Não expor a temperatura superior a 50ºC.
■ Não aplicar perto de chama ou superfícies aquecidas.

O isobutano é um hidrocarboneto que nas condições ambientes é um gás incolor, altamente inflamável e não tóxico. É considerado um gás asfixiante simples.
Em caso de super-exposição ao produto, ele pode causar asfixia e neste caso os sintomas são: náuseas, pressão na testa e nos olhos, pode ainda causar perda de consciência e morte.

O butano é um hidrocarboneto que nas condições ambientes é um gás incolor, altamente inflamável e não tóxico. É considerado um gás asfixiante simples.
Em caso de super-exposição ao produto, ele pode causar asfixia e neste caso os sintomas são: náuseas, pressão na testa e nos olhos, pode ainda causar perda de consciência e morte.

O propano, é um hidrocarboneto que nas condições ambientes é um gás incolor, inflamável, não tóxico e com odor característico de gás natural.
Em caso de super exposição ao produto, ele pode causar asfixia e neste caso os sintomas são: náuseas, e pressão na testa e nos olhos, podendo ainda causar perda de consciência e morte

Funcionamento do aerossol
Um aerossol é basicamente a mistura de dois líquidos guardados na mesma lata. Um deles é o produto em si, que pode ser creme de barbear, desodorante, tinta ou inseticida. O outro é o chamado propelente, uma substância capaz de impulsionar o produto para fora. Na maioria dos casos, o propelente é um gás líquido. Um gás líquido? Na verdade, essa aparente contradição é o segredo que faz o aerossol sair com a força de um jato cada vez que acionamos o spray. Dentro da lata, a pressão é tão grande que o gás usado como propelente fica comprimido e se transforma em líquido, misturando-se ao produto. Enquanto o frasco está fechado, os dois ficam quietinhos lá dentro, mas quando alguém aperta a válvula, começa uma revolução! A pressão dentro do frasco diminui e uma parte do gás líquido propelente se expande com violência, virando gás de verdade. Como seu volume fica grande demais para o frasco, ele escapa com força total, levando parte do produto para fora.

Essa transformação também explica por que a lata fica gelada. Quando chacoalhamos o frasco, as moléculas do gás liquefeito também se agitam e isso faz com que parte delas arrume espaço dentro da própria lata para se expandir. "Para que alguma substância consiga passar do estado líquido para o gasoso, ela precisa consumir energia de algum lugar. No caso do aerossol, a energia é tirada do calor da lata. Por isso, a temperatura dela diminui", diz o físico Cláudio Furukawa, da Universidade de São Paulo (USP). Hoje, quem protagoniza toda essa reação é o chamado GLP, sigla para gás liquefeito de petróleo. Ele veio para substituir os CFCs, os perigosos clorofluorcarbonos, usados nos sprays até a década de 80. Os CFCs faziam bem o papel de propelentes, mas prejudicavam muito a camada de ozônio da Terra.

TEMPERATURA EVAPORADA
Substância que passa do estado líquido para o gasoso deixa a lata do spray mais fria
1. Dentro de um frasco de aerossol existe algum creme, desodorante ou tinta e uma substância chamada propelente, que é um gás liquefeito (na forma líquida). Quando se aciona o spray, o conteúdo fica exposto à pressão do ambiente, bem menor que a da lata. Parte das moléculas do propelente se expande, passando para a forma gasosa e forçando a saída para fora da lata junto com o produto
2. Após o jato de aerossol sair, dentro do frasco sobram algumas moléculas do propelente em estado gasoso. Se a embalagem é agitada, parte dessas moléculas se dilui no conteúdo líquido do frasco. Com isso, aparece um espaço extra que algumas moléculas do propelente em estado líquido aproveitam para ocupar. Essas moléculas líquidas se expandem e se transformam em gás. Tal reação rouba calor do metal da lata, deixando-a gelada

SELO ESTRATÉGICO
Este dispositivo abre e fecha a válvula, liberando ou preservando o conteúdo do spray. Quando o botão é apertado, as substâncias do frasco entram em contato com a pressão ambiente através de uma pequena abertura.

USO TOTAL
É por um tubo, que tem sua abertura voltada para o fundo da lata, que o conteúdo despressurizado corre e sai na forma de um jato de aerossol. Essa simples arquitetura garante que todo o líquido seja usado por completo

DOSE CERTA
Uma pequena bolinha flutua na lata, ajudando a misturar o produto ao propelente. Assim, na hora em que a válvula é acionada, ambos saem da lata numa proporção ideal. Não fosse assim, o jato teria gás demais e produto de menos. Fonte: Mundo Estranho

Marcadores:

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@3:00 AM

Assinar
Postagens [Atom]