Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

terça-feira, março 27, 2007

Passarela de vidro flutua sobre o Grand Canyon


Com uma passarela toda envidraçada (inclusive no piso) em forma de ferradura, oferecendo uma vista panorâmica exuberante para a imensidão árida do Grand Canyon, os índios da Reserva Hualapai esperam atrair a atenção dos turistas e faturar com isso. Denominada de Skywalk, a passarela foi inaugurada em 20 de março e estará aberta ao público a partir do dia 28 de março, para que os visitantes possam apreciar a paisagem sobre o Rio Colorado a 1.220 metros de altura.

Passarela
O Skywalk projeta 21 metros da margem do Canyon , permitindo que os turistas dêem uma volta completa entre seus pés e o rio Colorado River a 1.220 metros abaixo, sob um piso de vidro de dez centímetros de espessura .

Projeto
Idealizado e financiado pelo empresário de David Jin, de Las Vegas, a Skywalk foi projetada por MRJ Architects e construída pela Lochsa Engineering, LLC. A estrutura da passarela é de aço e o revestimento é de vidro importado da Alemanha. O investimento foi de cerca de US$ 30 milhões.
O arquiteto Mark Johnson, da MRJ Architects, de as Vegas, trabalhou no Skywalk por aproximadamente três anos. Foram analisadas várias opções de projeto antes de definir pela passarela em forma de ferradura . Para o arquiteto responsável pelo projeto, os visitantes deverão ter a sensação de estar flutuando enquanto apreciam a paisagem.

Fundações da passarela e resistência da rocha
O Skywalk é ancorado por estacas gigantes com profundidade de 12 metros. Johnson diz que a parede da rocha, não o projeto da passarela é o cartão selvagem que pode determinar a extensão da vida do Skywalk.
Nessa altura, a parede é feita de material poroso de pedra calcária de 350 milhões de anos que é altamente propenso à erosão. Os geólogos têm uma explicação simples para a formação do Grand Canyon : o rio Colorado escavou através da rocha, e os lados do Gran Canyo desmoronam.
Os deslizamentos de rochas periódicas são uma realidade aceita e imprevisível . Johnson disse que não há de maneira de dizer se a parte do Canyon que suportará o Skywalk durará cem anos ou mil.
A passarela é capaz de suportar ventos mais de 161km/h, bem como terremoto de 8.0 magnitudes no raio de 80.5 km.

Público
A passarela comporta 121 pessoas por vez. O acesso será permitido por ordem de chegada ao local, mas também será possível fazer reservas. Para evitar arranhões no piso envidraçado, os responsáveis pela atração planejam oferecer proteções para os sapatos (pantufas).

Ingresso
O ingresso custará US$ 25 por pessoa, acrescido do custo da entrada para o Grand Canyon West, área da reserva operada pela tribo Hualapai na margem oeste do Grand Canyon. O complexo do Grand Canyon West é a único ponto através de todo o Grand Canyon onde os visitantes podem ter acesso ao rio e a atividades recreativas na água, com acesso a partir de passeios de helicóptero.

Centro de comercial de apoio à passarela
A passarela Skywalk terá um centro de visitantes em três andares, que abriga um museu, um cinema, uma sala VIP, loja de presentes e diversos bares e restaurantes - sendo o Skywakl Café o mais sofisticado, com uma varanda ao ar livre e mesinhas com vista panorâmica para o canyon. Através do segundo andar do complexo, os visitantes terão acesso à passarela Skywalk.

Propriedade
A tribo Hualapai, com aproximadamente dois mil indígenas é proprietária de aproximadamente um milhão de acres de terra na margem oeste do Grand Canyon.

Críticas ao projeto
Mas, a inauguração da passarela, que traz promessas de desenvolvimento para a tribo, que planeja ampliar o destino com a construção de hotéis e outras atrações no local, está provocando polêmica entre ambientalistas e indígenas que argumentam que o excesso de turistas pode trazer danos à região. Alguns membros da tribo consideram o local como terra sagrada, pois foram enterrados em cavernas, soldados americanos nativos mortos em conflitos passados.
Fotos ampliadas

Assinar
Postagens [Atom]