Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

quinta-feira, maio 10, 2007

Buncefield – Estudo do Impacto econômico e Interrupção de negócios


Resumo da análise efetuada quatro meses depois do incidente por uma empresa de Consultoria Inglesa, SQW, em relação ao impacto econômico do incidente do Depósito de Buncefield.
O estudo é extremamente interessante, pois analisa o impacto do desastre na comunidade, município e suas conseqüências econômicas. Em geral os especialistas de prevenção de perdas não tem essa noção da grandeza e complexidade do incidente em relação à cadeia produtiva na comunidade. Às vezes o impacto é tão grande que dificilmente o município recuperará dos prejuízos sofridos indiretamente.
Foto ao lado - The Time - tirada minutos após a explosão
Maylands
Maylands é uma das maiores zonas industriais e de negócios na região leste da Inglaterra, abrigando cerca de 630 empresas e empregando quase 16.5000 pessoas. A interrupção dos negócios foi sentida por todas as empresas de Maylands 48 horas após o incidente, sendo que a maioria foi afetada por longo tempo e muitas ainda estão sofrendo dos efeitos pós-incidente.
Cerca de 90 empresas foram severamente afetadas pelo incidente com destruição total ou parcial de suas instalações e outros ativos. A maioria delas ainda está sofrendo dos efeitos do incidente.

Tipos de empresas afetadas
Dos 90 negócios afetados severamente incluem; empresas de todos tamanhos; 12 empresas de grande porte, 16 empresas médias, 33 empresas pequenas, 19 micros e 10 não especificadas.
Esses impactos severos nos negócios tiveram de enfrentar com ampla faixa de efeitos, resultante da destruição de suas instalações ou restrições de acesso às edificações e muitas delas ainda estão operando em estado de emergência.

Impactos
Para as empresas severamente afetadas, o mais importante dos impactos foi o aumento dos custos de operação. Desagregando as empresas pelo tamanho, aumentaram os custos de operação afetando as empresas em todo o sistema.

Os efeitos do mercado e clientes variam conforme o tamanho e atividade das empresas. Falha para encontrar ordens de pedidos foi os maiores problemas encontrados nas empresas média, pequena e micro, enquanto, nas empresas grandes esse problema não foi constatado.

Preocupação com a falta de novos pedidos foi mencionada por algumas empresas grandes, mas a proporção maior foi de empresas média, pequena e micro.

Fluxo de caixa é particularmente crucial para as empresas média e pequena e seguro inadequado ou insuficiência de coberturas é extremamente grave que atingem as empresas pequena e micro.
Para as empresas menos afetadas, falhas para encontrar ordens de pedidos e aumento de custos de operação foram mencionados como fatores chave que estão afetando todas as empresas. Falta de novos pedidos é um problema particularmente sério para microempresa, possivelmente refletindo sua confiança em pedidos de outros negócios.

Na relação com essas questões, até as firmas que sobreviveram a esta crise, provavelmente foram severamente enfraquecidas e pode bem, consumindo suas reservas financeiras, prejudicaram a sua recuperação. As firmas que não enfrentam questões de sobrevivência imediatas, ainda hoje podem estar seriamente em perigo se confrontado com outra questão imprevista no futuro.

Mudanças de local
Das vinte e cinco empresas seriamente afetadas, quase cinco mudaram totalmente ou parcialmente suas operações, dezesseis delas totalmente e quatro parcialmente. O numero total de transferência de postos de trabalho foi de 1.422.
O padrão de mudança varia por tamanho da empresa;
Empresas grandes foram capazes de transferir para outras instalações através da região sudeste da Inglaterra ou para outros locais, alternativamente, outros ocuparam escritórios temporários.
Empresas pequenas transferiram para locais próximos a Hemel Hempstead, incluindo o centro da cidade e também em locais num raio de 10 a 15 km do centro de Hemel.

Parte econômica
O condado de Hertfordshire participa com 21% do Valor Adicionado Bruto (VAB) da região Leste da Inglaterra (37 bilhões de dólares de 178.3 bilhões) e a região que pertence Hertfodshire participa com 14% do VAB de Hertfordshire (5,18 bilhões)

Estimativa de perda liquida
O total de perda VAB (não incluindo a depreciação) entre as empresa da região de Maylands é estimado numa faixa de 125 milhões de dólares a 156 milhões de dólares (sem o efeito multiplicativo, incidência da cadeia produtiva) e 203 milhões de dólares com efeito multiplicativo.

Futuro das operações em Maylands
As empresas seriamente afetadas (40%) e não seriamente afetadas (quase 30%) não têm certeza sobre o futuro no local. Separadas por categorias de atividade, aquelas que não tinham certeza de seu futuro no local estavam mo comercio e serviços e alta tecnologia.

Impactos individuais
Individuais, como empregado, residentes ou membros da comunidade, todos foram afetados pelo incidente.
O impacto inicial por enquanto tem sido limitado, não houve perda de emprego significativo. Entretanto existe uma preocupação com os efeitos retardados que estão começando a surgir, tais como; perda de mercado, custos de operação elevados, novas instalações, etc.

O futuro
À parte da devastação física extrema causada pelo incidente e o duro golpe nos negócios, há questões específicas apontadas que afetam o futuro do local.
Em particular a questão e a extensão de responsabilidade legal e se o depósito permanecerá no local ou a sua configuração será mudada

Obviamente, o incidente também criou interesses que afetam inevitavelmente a atratividade da propriedade ao potencial que ocupa. Já há planos para uma campanha do marketing que apresentará informação efetiva da causa da explosão e as etapas que estão sendo tomadas para prevenir uma nova ocorrência. A campanha, que acreditamos para ser uma parte essencial do plano de ação de recuperação, também destacará a posição excelente da propriedade e planos para sua regeneração.

A explosão apresenta oportunidades. Em particular, forneceu um novo foco para o setor público e privado para rever o futuro da propriedade de Maylands. Acreditamos que este foco pode abrir novos horizontes que poderiam transformar a propriedade e ajustá-la para ajudar encontrar novas ocupações.

Lições de Buncefield
Uma das lições importantes de Buncefield é que as empresa pequenas foram duramente atingidas. Elas muitas vezes operam em um único local e têm, por isso, pouca margem para evitar aumento dos principais custos. Há pouca folga em seus recursos de gerência, assim a tensão tão grande é imposta aos indivíduos chaves. Junto com custos de operação mais elevados, podem enfrentar redução de vendas devido ao foco em mercados locais.

Apesar dos esforços consideráveis de muitas agências. Tornou-se evidentemente óbvio que há uma lacuna no apoio financeiro disponível. Para lidar com o resultado de um incidente desta escala, o apoio de emergência deve do início incluir auxílio financeiro flexível. O governo e suas agências devem considerar a provisão de um fundo substancial que fornece pagamentos de compensação provisório, em uma maneira não burocrática, aos negócios na necessidade como parte da resposta às emergências futuras. O fundo de emergência Whilst Bellwin fornece alguma ajuda financeira às autoridades locais na resposta a uma emergência em relação à proteção à vida e a propriedade, mas nenhuma provisão semelhante existe para as empresas de pequeno porte que enfrentam a adversidade corporativa

Seguro
Espera-se que a perda total segurada seja aproximadamente US$ 355 milhões.
As reclamações que se relacionam com a perda de estoque de óleo e danos à fábrica alcançarão aproximadamente US$ 212 milhões, enquanto os danos e as reclamações de interrupção de negócios de empresas afetadas adjacente à propriedade industrial provavelmente totalizarão US$ 124 milhões. Os danos às casas circunvizinhas ao local do incidente e reclamações de pessoas feridas na explosão comporão as perdas restantes.

Terminal Buncefield
O terminal normalmente mantém um total de 77 milhões de litros (20 milhões de galões) de produtos de óleo refinado, que equivale grosso modo a 484,000 barreis.
A parte do terminal que foi danificado tem os estoques previstos em mais de 35 milhões de litros (9 milhões de galões) de produtos, segundo um porta voz da Associação de Indústria de Petróleo britânica. O porta voz do Departamento de Comércio e Indústria disse as seções afetadas participa com 5 % do fornecimento do Reino Unido.

Comentário
Numa catástrofe como esta que aconteceu na Inglaterra, quais são as conseqüências para a comunidade de modo geral, por exemplo, no Brasil;
1. Perda de receita financeira do município, da população afetada, comércio, indústria e agricultura
2. Paralisação ou interrupção da infraestrutura da cidade (luz, água, comunicação, ruas, estradas, etc)
3. Paralisação de fábricas, que poderá atingir valores elevados, cujo produto agrega outros insumos. (há perda na cadeia produtiva).
4.Agricultura, perdas nas lavouras , infra-estrutura e construções rurais. A perda de produção na agricultura é grave, pois o agricultor depende da produção para saldar dívidas
5. Comércio, consumidores, etc.
6. Recuperação ou reconstrução de prédios públicos, ou edificações particulares (moradores) , comerciais e industriais

No Brasil temos vários riscos semelhantes ao Buncefield na área petrolífera e química, próximas de bairros densamente povoados, rios e mares.etc.
Enquanto o Corpo de Bombeiros inglês estava preparado para enfrentar essa emergência com recursos materiais e pessoais suficientes, com planejamento e principalmente com centro de gerenciamento de emergência na coordenação, aqui no Brasil, os Corpos de Bombeiros padecem de faltas de recursos necessários e principalmente de tecnologia (viaturas, equipamentos auxiliares, treinamento em áreas de risco, etc).
Temos sorte até o momento não tivermos esse tipo de catástrofe, pois se a hora da verdade chegar descobriremos tarde demais que não estávamos preparados para enfrentar essa situação.
Na prevenção de risco não existe uma solução mágica, devemos estar preparados para enfrentar o imprevisto ou é como a caixa preta de avião: só é aberta depois do desastre e aí descobriremos as falhas. ACCA

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@2:24 PM