Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

sexta-feira, abril 14, 2006

Explosão de caldeira



Explosão de caldeira mata dois e fere oito

O acidente ocorreu às 17 horas, 26 de outubro de 2001, na Avenida República Argentina, 4.500, no Novo Mundo, em Curitiba. O barracão foi totalmente destruído e casas e empresas, num raio de 200 metros, chegaram a ser atingidas por peças da caldeira, telhas, tijolos e pedaços de madeira.

A caldeira funcionava a 150 graus para aquecer as máquinas de secagem de madeira. A empresa, também conhecida como Madeireira Gasparim, é de propriedade de Carlos Gasparim, e funciona há 47 anos naquele local.

Causas do acidente
As causas do acidente ainda são desconhecidas, mas deverão ser apuradas por peritos do Instituto de Criminalística e por fiscais do Ministério do Trabalho que já faziam levantamentos no local.

Violência da explosão
Cerca de 15 funcionários estavam no local, no momento do acidente, inclusive o proprietário. Alguns observaram que saiu bastante vapor da caldeira e ouviram um barulho estranho antes da explosão. A estrutura de todo o barracão ficou abalada e o local poderá ser interditado.

Danos a vizinhança
Nos prédios mais próximos também ocorreram danos, como a sede do HSBC, cujo telhado desabou, ferindo levemente alguns funcionários. Nos fundos, onde funciona uma revenda de veículos seminovos, o susto foi grande, segundo os proprietários. Dos 25 carros expostos, quatro ficaram bastante danificados, ocorrendo o mesmo com automóveis que estavam estacionados na rua ou que passavam pelo local no momento.

Explosão de caldeira pode ter sido por falha humana
Engenheiros e peritos fizeram levantamentos no local do acidente

A manipulação da caldeira de forma inadequada ou por um funcionário inexperiente e não preparado para a função, pode ter sido um dos motivos que levaram à explosão na Indústria Índio Ltda (conhecida também como Madeireira Gasparim), no Novo Mundo, em Curitiba. A avaliação é do chefe do setor de segurança e saúde da Delegacia Regional do Trabalho, Sérgio de Barros, que vistoriou o local juntamente com dois engenheiros-mecânicos e peritos do Instituto de Criminalística. A caldeira que explodiu estava em funcionamento há mais de 30 anos e trabalhava a uma temperatura de 150 graus para produzir vapor usado na secagem da madeira.

Vítimas
O acidente provocou a morte de duas pessoas e ferimentos em outras sete. Seis feridos ainda estão hospitalizados.

Prejuízos
Os prejuízos causados pela explosão também não foram totalmente contabilizados, uma vez que além da destruição total da caldeira, do barracão que a abrigava, e de uma chaminé de 27 metros, também houve danos em casas e prédios próximos, atingidos por pedaços de ferro, madeira e tijolos lançados com o deslocamento do ar. Os telhados de várias residências foram destruídos, assim como veículos estacionados nas imediações.

Inquérito e laudo
O laudo de perícia será realizado pelo Instituto de Criminalística e provavelmente seguirá para o Ministério Público, junto com toda a documentação e relatórios feitos pelos engenheiros e pela Delegacia Regional do Trabalho, para que sejam apurados os responsáveis pelo acidente.

Fonte: Gazeta do Povo – 27/28 de outubro de 2000

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@1:36 PM