Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

sábado, agosto 13, 2016

Incêndio em empilhadeiras

Empilhadeira pega fogo em terminal portuário em Guarujá, SP

Uma empilhadeira de contêineres pegou fogo, na manhã de sexta-feira (5), em um terminal portuário de Guarujá, no litoral de São Paulo.  O acidente aconteceu por volta das 7h30 no terminal da empresa Santos Brasil, em Guarujá.
Segundo testemunhas, uma empilhadeira que estava em funcionamento começou a pegar fogo. O operador do equipamento notou as chamas, saiu da empilhadeira e não ficou ferido.

Para combater as chamas foram utilizados um caminhão auto-bomba com dois brigadistas e uma viatura com dois guardas portuários para fazer isolamento do local. O veículo utilizado foi adquirido pela Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) e tem capacidade para 6 mil litros de água.
As chamas também atingiram os contêineres, porém, segundo a Santos Brasil, não houve danos às cargas armazenadas no terminal. Após o acidente as operações prosseguiram normalmente.
Fonte: @ZR, A Tribuna e  G1 Santos-05/08/2016


Incêndio atinge empilhadeira e contêiner em depósito da APM Terminals em Itajaí

Um incêndio atingiu uma empilhadeira de grande porte e um contêiner que estavam em um depósito da APM Terminal em Itajaí. O Corpo de Bombeiros Militar informou que o fogo teria começado no motor da máquina e se espalhado para o contêiner vazio do pátio. O funcionário que estava operando o equipamento conseguiu sair em segurança antes das chamas se alastrarem.

O incêndio começou por volta das 20h30 no porto seco (depósito de contêineres) da rodovia Jorge Lacerda, próximo a churrascaria Ataliba. O combate às chamas durou cerca de uma hora e meia, porém, o equipamento ficou totalmente queimado. Conforme os Bombeiros, uma mangueira de pressão da empilhadeira teria se rompido e espalhado óleo pela cabine. O fogo iniciou quando o óleo chegou ao motor. Em seguida, o funcionário percebeu as chamas e desceu do veículo.

Foram necessários 12 mil litros de água para apagar o incêndio. Também foram usados 120 litros de espuma para cobrir os quase 400 litros de óleo que se espalharam no local. O fogo teria provocado, ainda, pelo menos três explosões — segundo os Bombeiros, o barulho ocorreu quando estouraram os pneus da empilhadeira. Fonte: @ZR, Jornal de Santa Catarina - 01/07/2015

Comentário:
O relatório recente da Associação Nacional de Proteção contra Incêndios (NFPA, National Fire Protection Association) sobre  incêndios de empilhadeira no local de trabalho destaca a necessidade de as empresas serem vigilantes nos procedimentos de segurança, como mostram os números;  mais de 20 lesões por ano e milhões de dólares de danos causados por incêndios.

O  relatório de incêndio de equipamentos e empilhadeiras (movimentação industrial) no período de 2003 a 2006, mostra que os Corpos de Bombeiros  atenderam 1.300 incêndios por ano em edificações, equipamentos e  empilhadeiras envolvidas diretamente com os acidentes. Os incêndios causaram em  média por ano 22 vítimas e 36 milhões de dólares de danos a propriedade.

TIPOS  DE ACIDENTES
■ Quase dois terços destes incidentes foram classificados como incêndios em veículos, que começaram na parte mecânica.
27% dos incêndios foram classificados com falha mecânica ou avaria
26% dos incêndios foram causados por falha elétrica
14% foram causados por problemas hidráulicos (vazamento ou freio).
■ Os outros um terço envolveram combustíveis, tubulações, filtros como ponto de ignição.
Em um quarto destes incidentes, foram causados por fiação elétrica ou  isolamento do cabo como fonte de ignição.

A IMPORTÂNCIA DA MANUTENÇÃO PREVENTIVA DA EMPILHADEIRA.
A manutenção preventiva visa eliminar ou reduzir as probabilidades de falhas por manutenção (limpeza, lubrificação, substituição e verificação) das instalações em intervalos pré-planejados.
Deve-se definir um cronograma para que seja feita uma vistoria e a manutenção necessária para o bom funcionamento da máquina.
Também é necessário operar as empilhadeiras em locais sem nenhum obstáculo, como embalagens e resíduos, podendo danificar desde o eixo até o motor e com perigo até iniciar incêndio.
Com o planejamento da manutenção é possível evitar as falhas. Caso ao contrário, o equipamento parado pode gerar gastos excessivos exorbitantes, pois além da manutenção e a troca de equipamentos por desgaste, a logística da empresa ficará sem o equipamento.

O cronograma de manutenção deve levar  em conta:  manutenção preventiva, corretiva e preditiva, ocorrências de avarias, vida útil das baterias, parte elétrica, etc

Marcadores: , ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@2:10 PM