Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

sexta-feira, maio 01, 2015

Homem desmaia e morre durante lavagem de caminhão-tanque, em GO

O funcionário de um lava a jato que não teve a idade divulgada morreu na terça-feira, 28 de abril de 2015, enquanto fazia a limpeza de um caminhão-tanque em Rio Verde, no sudoeste de Goiás. O veículo é usado para transportar resíduo de melaço de cana de açúcar.

CAUSA PROVÁVEL
A suspeita do Corpo de Bombeiros é que o resíduo de melaço tenha tido uma reação química com o produto usado para a limpeza e tenha reduzido o oxigênio no tanque.

RESGATE
Os dois homens foram socorridos e levados para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Rio Verde. O funcionário que entrou no tanque morreu minutos depois de chegar ao hospital e o colega que tentou ajudá-lo também desmaiou, mas conseguiu sobreviver. Ele passou por uma avaliação médica e está consciente. O estado de saúde dele não foi informado.

EMPRESA
O gerente do estabelecimento, Carlos Sganzella, afirmou que os dois funcionários tinham experiência neste tipo de trabalho. Eles já tinham o costume de fazer. Certos tanques de veículos,  eles limpam e outros a gente não tem autorização para lavar, alega.

CORPO DE BOMBEIROS
De acordo com o sargento do Corpo de Bombeiros, o tanque estava vazio no momento dos desmaios. Porém, ele explica que este tipo de trabalho deve ser feito com o auxílio de materiais especiais.
O ideal nesse caso é que a pessoa desça com um Equipamento de Proteção Respiratória [EPR] para se evitar esse tipo de acidente. Além disso, ele tem que descer ancorado por uma corda‑guia, que em caso de acidente possa ser resgatado com facilidade, explica.

INQUÉRITO POLICIAL
O delegado regional Danilo Fabiano Carvalho informou que o caso está sendo investigado pela Polícia Civil. "A Polícia Técnico-Científica foi até o local e realizou a perícia. Só depois dos laudos pericial e cadavérico é que vamos poder afirmar se foi um acidente ou existiu dolo de alguma parte", explica. Fonte: G1 GO- 28/04/2015

Irmãos morrem intoxicados ao tentar lavar caminhão tanque

O que deveria ser uma simples limpeza de um caminhão‑tanque terminou na morte de dois irmãos, na sexta-feira, pela manhã, em 02 de Julho de 2010..

COMO ACONTECEU
O acidente ocorreu quando Élcio entrou no caminhão­‑tanque com uma mangueira para fazer a lavagem. Ele nem teve tempo de gritar por socorro e desmaiou. Alexandre estava no lado de fora para ligar a água e como não ouviu Élcio pedir que acionasse a torneira, foi averiguar e acabou desmaiando também, dentro do tanque.
Eles inalaram sulfeto de sódio hidratado, segundo consta na nota fiscal de transporte de mercadoria do caminhão.
O caminhão‑tanque era da empresa Duplaquímica, cliente da lavação Léo, na avenida João Goulart, loteamento Jardim Celina, Lageano, Santa Catarina.
O motorista deixou o caminhão para que fosse lavado o interior do tanque que mede cerca de 1,80 m de altura por 12 m de comprimento.  
Élcio fez uma pré-lavagem sem entrar no tanque. Só colocou o braço pela abertura superior e esguichou água à vontade. Depois colocou a escada e quando desceu perdeu os sentidos.
Ele desmaiou em menos de um minuto. Também o Alexandre foi a mesma coisa. A mulher dele queria entrar, mas não deixamos, contou o cunhado das vítimas.

VÍTIMAS
As mortes ocorreram por voltas das 9h30min. Alexandre de Souza Coelho, 33 anos, e Élcio de Souza Coelho, 29 anos,por intoxicação.
O Corpo de Bombeiros ainda chegou a reanimar Alexandre. Ele era dono da lavação e o irmão era funcionário.
Eles tinham no estabelecimento máscaras e luvas de proteção, mas não usavam no momento do acidente. Inquérito policial foi instaurado para apurar as mortes. Fonte: Correio Lageano - 02/07/2010  

NORMAS REFERENTES A ESPAÇO CONFINADO

Comentário: Não existe política de segurança para a microempresa ou empresa de pequeno porte. Nos USA a agência de segurança do trabalho possui um programa de segurança específica para empresas média e pequena, onde elas solicitam suas inscrições e recebem treinamento para implementação do programa de segurança. Nesse período a agência não aplica nenhum tipo de sanção. São enfoques diferentes para um mesmo problema em relação à aplicabilidade das normas. Enquanto nos USA, a agência procura disseminar a política de segurança através de palestras, treinamento, cooperação entre as entidades representativas, aqui no Brasil, a nossa mentalidade é inquisitorial, isto é, investigar o cumprimento das normas e punir.    

Recomendações para limpeza e entrada no tanque
■O tanque deve ser limpo com vapor para a remoção residual do inflamável e de seus vapores. O fluxo e temperatura do vapor devem ser suficientes para elevar a temperatura do tanque acima da temperatura de ebulição do inflamável e a vaporização deverá ser continuada até que os vapores do inflamável tenham sido removidos. O tanque deve depois ser resfriado, preferivelmente enchendo-o de água e drenando-o uma ou duas vezes. O tanque deve ser depois limpo com ar fresco e o ar deve ser testado quando à presença de vapores do inflamável, por um método aprovado, antes de se permitir à entrada do pessoal. As linhas de vapor e água devem estar aterradas para evitar-se o acúmulo de eletricidade estática.
■ Ninguém deve estar no tanque ou em espaço confinado até que uma permissão para o trabalho tenha sido assinada por pessoas autorizadas, indicando que a área foi testada e julgada segura (detecção da atmosfera do tanque, para se averiguar o nível de oxigênio e a possível explosividade do ar.). Além do mais, nenhum operário deve entrar num tanque ou recipiente que não tenha uma abertura de saída suficientemente larga para passar uma pessoa usando dispositivos de segurança, para efetuar um resgate através de cordas e equipamento respiratório de emergência. Deve ser verificado se o tanque ou recipiente pode ser abandonado pela entrada original.
■ Um elemento do lado de fora do tanque manterá os demais dentro do tanque, sob observação e outro elemento deve estar disponível por perto para prestar ajuda no resgate de algum outro, caso isto seja necessário.
■ Uma máscara respiratória com suprimento de ar ou máscaras autônomas, juntamente com equipamentos de resgate, devem estar sempre localizados do lado de fora da entrada do tanque, para serem usados em operações de resgate, qualquer que seja o tipo de equipamento respiratório utilizado pelo pessoal no interior do tanque.
■ Ventilação especial é recomendada durante todo o tempo que os homens estiverem limpando, reparando ou inspecionando o tanque e pode ser feita por exaustão ou remoção de vapores do fundo do tanque, seja através das aberturas do fundo ou por meio de exaustão através de tubos grandes flexíveis, quando os tanques tiverem apenas aberturas no topo. Os ventiladores ou aparelhos supridores de ar usados para a ventilação, necessária para evitar qualquer deficiência de oxigênio, deverão ser à prova de centelhas, devidamente revisados para se evitar atritos e aterrados. Nos tanques contendo só uma abertura no topo, deve-se tomar cuidado para se ter certeza da completa remoção dos vapores de todo o tanque. Também se deve tomar cuidado para evitar que os gases de exaustão reciclem para o interior do tanque.
■ Durante o curso do trabalho, testes freqüentes deverão ser feitos para determinar se a atmosfera do tanque está sendo mantida dentro da faixa de segurança. Esta precaução é necessária porque resíduos não completamente removidos pela lavagem podem recontaminar a atmosfera do tanque.
■ Em todos os casos, se o trabalho de reparo é interrompido, a atmosfera do tanque deve ser verificada completamente e emitida uma nova permissão de trabalho antes de se reassumir o serviço.
■ Se um funcionário limpador ou reparador de um tanque sentir-se mal, ele deve ser resgatado para se ministrar imediatamente os primeiros socorros.

Fatores que contribuíram para o acidente
■Trabalho em ambiente confinado em atmosfera IPVS (Atmosfera Imediatamente Perigosa à Vida ou à Saúde)
■Falha na antecipação / detecção de risco / perigo.
■Falta ou inadequação de analise de risco da tarefa
■Procedimentos de trabalho inexistentes ou inadequados.
■Designação de trabalhador não qualificado / treinado / habilitado
■Não prescrição de EPI necessário a atividade.

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@3:00 AM