Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

domingo, setembro 09, 2012

Violência no trânsito


Homem morre em batida entre dois carros no Meio-Oeste
Um homem morreu em um acidente na SC-454 na manhã de sexta-feira, 7 de setembro, em Catanduvas, no Meio-Oeste catarinense.
A vítima estava com outros dois rapazes em um Verona, com placas de Campos Novos, que bateu em um Honda Civic, de Vargem Bonita, que levava duas mulheres e uma criança.

Todos os feridos foram encaminhados ao Hospital Universitário Santa Terezinha, em Joaçaba. Pelo menos duas vítimas tiveram lesões graves. Segundo os Bombeiros, o impacto da batida foi tão forte que o Verona ficou partido ao meio. Fonte: Diário Catarinense - 07/09/2012


Duas mulheres morrem em batida entre três veículos no Meio-Oeste
Duas mulheres morreram na tarde de  sexta-feira, 7 de setembro,  em um acidente na BR-282 em Joaçaba, no Meio-Oeste catarinense. A batida envolveu dois carros e um caminhão por volta das 16h30min.

As vítimas, que estavam em um Golf de Ponte Serrada, ainda não foram identificadas. O motorista do outro carro, um Focus de Herval d’Oeste, sofreu ferimentos leves. O caminhoneiro não se feriu.

Conforme a Polícia Rodoviária Federal, o condutor do Focus estaria transitando em zigue-zague pela pista. O acidente teria sido provocado durante uma ultrapassagem forçada.

Outros dois passageiros do Golf foram encaminhados ao Hospital Universitário Santa Terezinha, em Joaçaba. O trânsito está em meia pista no local, para remoção dos veículos.
Fonte: Diário Catarinense - 07/09/2012

Comentário:
O progressivo agravamento da violência no tráfego das vias públicas levou as Nações Unidas a proclamar a Década de Ação pela Segurança no Trânsito 2011/2020, procurando estabilizar e, posteriormente, reduzir as cifras de vítimas previstas, mediante a formulação e implementação de planos nacionais, regionais e mundial.

Os números apresentados pela Organização Mundial da Saúde (OMS)para a formulação dessa resolução são estarrecedores, indicativos de uma real pandemia.    
Só no ano de 2009, aconteceram perto de 1,3 milhão de mortes por acidentes de trânsito em 178 países do mundo. Se nada for feito, a OMS estima que deveremos ter 1,9 milhão de mortes no trânsito em 2020 e 2,4 milhões em 2030. Entre 20 e 50 milhões sobrevivem com traumatismos e feridas.
Os acidentes de trânsito representam;
·         3ª causa de mortes na faixa de 30-44 anos;
·         2ª na faixa de 5-14 e a
·         1ª na faixa de 15-29 anos de idade.

A OMS estima que, na atualidade, 90% dessas mortes acontecem em países com ingressos
baixos ou médios que, em conjunto, possuem menos da metade dos veículos do mundo. E vai ser precisamente nesses países que as previsões da OMS indicam que a situação se agravará muito mais ainda, em função de um esperado aumento nos índices de motorização desses países, sem equivalentes investimentos na segurança das vias públicas.
Atualmente, esses acidentes já representam um custo global US$ 518 bilhões/ano.
Número e taxas de óbitos em acidentes de trânsito. Brasil: 1996/2010*
Ano
Número
Taxa por 100 mil habitantes
1996
35.281
22,5
1997
35.620
22,3
1998
30.890
19,1
1999
29.569
18
2000
28.995
17,1
2001
30.524
17,7
2002
32.753
18,8
2003
33.139
18,7
2004
35.105
19,6
2005
35.994
19,5
2006
36.367
19,5
2007
37.407
19,8
2008
38.273
20,2
2009
37.594
19,8
2010*
40.989
21,5
518.500
Fonte: SIM/SVS/MS * 2010: dados preliminares.
Fonte: Mapa da Violência 2012. Instituto Sangari - Julio Jacobo Waiselfisz

A violência no trânsito no Brasil  custa US$ 15 bilhões por ano ao país.
As cinco principais causas da matança, apontadas por pesquisadores e órgãos públicos, são:
·         álcool,
·         cansaço,
·         desrespeito à sinalização e imprudência,
·         excesso de velocidade e
·         impunidade e falta de fiscalização.

EXTERIOR
No Japão, o índice de mortes por 100 mil habitantes é de 4,72. Na Alemanha, 5,45; França, quase sete; Itália, 8,68. Nos Estados Unidos, o índice passa de 12. No Brasil, salta para 21,5.  

Um dado espantoso vem da Alemanha: o número de mortos nas estradas em 2009 foi o mais baixo desde 1950. Isso em um país que não tem limite de velocidade em 45% das rodovias. As razões são a excelente qualidade das pistas e o extremo respeito dos alemães pela sinalização.

RIGOR CONTRA O ÁLCOOL

JAPÃO
Em um bairro boêmio de Tóquio, todas as noites, principalmente depois da meia-noite, há muito movimento. As pessoas saindo dos bares, as ruas lotadas, mas repare: praticamente só tem táxis. Os japoneses bebem, mas não se arriscam a dirigir. É que as leis são extremamente rigorosas.

Quem dirigir depois de alguns goles pode pegar cinco anos de cadeia. Os acompanhantes podem ficar presos até três anos. Resultado: as mortes no trânsito no Japão caem há nove anos seguidos. Em 2009, morreu mais gente andando de bicicleta no Japão do que em acidentes com motoristas bêbados.

ESTADOS UNIDOS
Entre os países desenvolvidos, os Estados Unidos têm um dos índices mais altos de morte per capita nas estradas. Mas esses números vêm caindo. Em 2009, pela primeira, vez ficou abaixo de 40 mil mortos. O principal motivo é o rigor contra os motoristas alcoolizados.

A cada ano, cerca de 1,5 milhão de americanos são presos por dirigirem embriagados, perdem a licença e, se tiverem antecedentes, vão para cadeia. No estado de Nova York, a pena de prisão é automática se houver alguma criança no veículo. Desde 1980, quando as primeiras leis contra os motoristas embriagados foram adotadas, o número de mortes causadas por eles caiu pela metade. Fonte: G1 - 10/01/10 

Marcadores:

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@7:20 PM