Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

quarta-feira, maio 30, 2012

Em 25 anos, Mata Atlântica perdeu 17.354 km2

O ritmo de desmatamento da Mata Atlântica tem diminuído ano a ano, mas, mesmo assim,  nos últimos 25 anos, a Mata Atlântica perdeu 1.735.479 hectares, ou 17.354 km², ficando reduzida a 7,9% de sua área original, se considerados os remanescentes florestais em fragmentos acima de 100 hectares, representativos para a conservação de biodiversidade.

O mais recente Atlas de Remanescentes Florestais, divulgado, mostra que o pouco que resta do bioma – sobram apenas 7,9% deste tipo de floresta que já cobriu quase metade do Brasil – ainda está ameaçado.
Minas Gerais e Bahia lideram o ranking de desflorestamento no último período avaliado, que é baseado em fotos de satélite feitas entre 2010 e 2011.

Para o período de 2010 a 2011, foram verificados desflorestamentos de 13.312 hectares (ha), ou 133 Km². Destes:

12.822 ha correspondem a desflorestamentos,
435 ha correspondem à supressão de vegetação de restinga;
■e 56 ha à supressão de vegetação de mangue.
A Mata Atlântica, a floresta mais ameaçada do Brasil: resta somente 7,9% de remanescentes florestais em fragmentos acima de 100 hectares (fragmentos representativos para a conservação da biodiversidade). Considerando todos os pequenos fragmentos de floresta natural acima de 3 hectares, o índice é de 13,32%.

RANKING DE DESMATAMENTO
■ Minas Gerais liderou o desmatamento, com 6.339 hectares.
■ A Bahia ficou na segunda posição, com desflorestamento de 4.686 hectares.
■ Mato Grosso do Sul (588),
■ Santa Catarina (568),
■ Espírito Santo (364),
■ São Paulo (216),
■ Rio Grande do Sul (111),
■ Rio de Janeiro (92),
■ Paraná (71) e
■ Goiás (33).


MATA ATLÂNTICA
A Mata Atlântica é o ecossistema mais ameaçado do Brasil. Nela, vive mais de 62% da população brasileira e estão localizados 58% dos municípios do país. As florestas atlânticas abrigam árvores que atingem de 20 a 30 metros de altura. Elas acompanhavam todo litoral brasileiro do Rio Grande do Sul ao Rio Grande do Norte.
A área original no Brasil era 1.315.460 km², 15% do território. Atualmente o remanescente é 102.012 km², 7,91% da área original.

CARVÃO
Em relação aos municípios, os pesquisadores alertam para a região que chamam de "triângulo do desmatamento", entre Bahia e Minas Gerais. No ranking dos municípios, cidades dos dois Estados ficam no topo.
Entre os municípios campeões de desmate, três estão em Minas (Águas Vermelhas, Jequitinhonha e Ponto dos Volantes, 1º, 3º e 5º, respectivamente), formando o que especialistas chamaram de "triângulo do desmatamento". Lá, a pressão é dos fornos

SURPRESA POSITIVA
O atlas avaliou dez dos 17 estados que ainda têm remanescentes de Mata Atlântica. A diminuição no ritmo de desmatamento no Sul do Brasil foi considerada pelos pesquisadores como a surpresa positiva do levantamento. Em contrapartida, Minas Gerais e Bahia não conseguiram frear o avanço sobre o que resta da floresta. Para o coordenador de políticas públicas da Fundação SOS Mata Atlântica, Mario Mantovani, a redução nos casos de desflorestamento do bioma é posterior à aprovação, em 2006, da Lei da Mata Atlântica, que tirou qualquer dúvida sobre a proibição de devastar o que resta desse tipo de vegetação e estabeleceu punições mais específicas para quem desrespeitar a legislação.

 Para Márcia Hirota, diretora de Gestão do Conhecimento da SOS Mata Atlântica, o desafio é conservar o que restou do bioma. Por isso, a partir do atlas, a fiscalização passa a ser mais intensa nas áreas com mais desmatamento e denúncias são encaminhadas para a investigação do Ministério Público. Márcia destaca que boa parte do que está em bom estado de preservação está localizada em áreas acidentadas, de difícil ou oneroso acesso.

Fontes: Gazeta do Polvo, SOS Mata Atlântica, Estadão - 29 de maio de 2012 | 13h 30

Vídeo:


Comentário: 
Principais dificuldades encontradas  para reflorestamento
•  Alto custo de replantio
A recuperação da mata ciliar e o reflorestamento, em áreas devastadas,  requerem investimento em mudas, mão de obra, para plantio e construção  de cercas para evitar que os animais destruam as mudas plantadas.
•  Necessidade de formação de horto florestal
•  Cercar a área para impedir a entrada de animais
É imprescindível que a área escolhida para reposição da mata seja  cercada, para evitar que os animais alimentem-se das mudas plantadas,  pelo menos até atingirem um tamanho ideal. Fonte: Recomposição da Mata Ciliar – Governo do Estado do Ceará

Para reflorestar  a área de desflorestamentos de 13.312 hectares (ha), a estimativa é no mínimo 133 milhões de reais 

Marcadores:

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@1:13 PM