Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

domingo, maio 20, 2012

Alerta da natureza: Onça-parda aparece no centro de Barretos

Uma onça-parda de 60 cm de altura apareceu no centro de Barretos (423 km de São Paulo) na manhã de sábado (19 de maio) e  demorou quase três horas para ser capturada pelos bombeiros, polícia ambiental e técnicos ambientais.

Foram desferidos seis dardos com calmantes contra o felino, uma fêmea adulta, mas somente o último tiro acertou o animal.  

A onça foi vista por trabalhadores de uma feira, às 6h, na rua 32. Os bombeiros foram chamados, mas não encontraram o animal imediatamente. A onça-parda, que também é conhecida como suçuarana, foi vista novamente às 8h, numa árvore. Nessa hora, a perseguição ganhou o reforço da polícia ambiental.

Ao perceber a aproximação dos policiais, o animal correu sobre telhados das casas das imediações e novamente sumiu. “Os cachorros ficaram enlouquecidos e deram a pista de onde ela estava”, afirma o soldado ambiental.

ELA CAIU DENTRO DA REDE
Por volta das 9h, o bicho foi visto em outra árvore, mas de porte menor do que a primeira na qual havia subido, e, desta vez, alvejado. “Ela caiu dentro da rede que a gente armou embaixo”, disse Santos. Após passar por um veterinário, o felino foi solto numa reserva, às 10h. Foi a primeira onça que aprisionamos em Barretos.

DEGRADAÇÃO AMBIENTAL
Esses animais estão vindo para a cidade se alimentar por causa da degradação do habitat deles. policial. Possivelmente a onça entrou em Barretos para se alimentar do lixo que os moradores depositam em frente a suas casas, afirma o policial.

Segundo o Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros, as onças estão aparecendo nas cidades do interior por causa dos desmatamentos, principalmente pelo plantio de cana-de-açúcar.


Fonte: UOL Notícias  e jornal de Barretos – 19 de maio de 2012

Comentário: O Estado de São Paulo está virando um mar de cana. Há varias ocorrências de surgimento de onças-pardas  em cidades e até  próximas a região metropolitana de São Paulo. É um alerta da natureza que está havendo desequilíbrio ecológico
Por exemplo, a região de São Jose do Rio Preto que dista quase 80 km de Barretos, a criação de gado e a expansão da cana-de-açúcar dizimaram as matas que margeiam os rios da região.No total, 80% da vegetação ciliar, ou 29,1 mil hectares, o equivalente a 35,3 mil campos de futebol foram devastados na bacia do Turvo/Grande, de acordo com a Coordenadoria de Biodiversidade e Recursos Naturais (CBRN), ligada à Secretaria de Estado do Meio Ambiente.

Onça-parda
A suçuarana (o macho pesa em média 50 kg e a fêmea 35 k)  é a melhor saltadora entre os felinos, pode saltar mais de doze metros em distância e cair de dezoito metros de altura sem se machucar. Salta com facilidade quatro metros em altura para subir numa árvore e pode saltar cinco metros de uma árvore para outra, quando persegue macacos. Sua longa cauda (um terço do comprimento total) dá equilíbrio e precisão a seu salto.
Suas presas preferidas são os cervos, veados e alces, capivaras, tatus, emas, aves, cotias, quatis e macacos. Se a caça escasseia, ataca cabras, ovelhas, e galinhas, mas raramente gado ou cavalos. Prefere as matas e só freqüenta os campos quando encontra capões ou grutas que lhe sirvam de refúgio durante o dia.  

É uma caçadora noturna e solitária, que percorre grandes distâncias. Ao contrário dos outros grandes felinos, não ruge e sim mia ou ronrona como um gato (mas muito mais forte).Pode alcançar mais de 60 km/h em distâncias curtas (cerca de 200 m), mas não tem resistência para corridas longas. É capaz, porém, de deslocar-se a passo até 80 km num só dia, em busca de caça.
Costuma fazer emboscadas furtivas, aproxima-se até 15 metros e então corre e salta sobre a vítima, tentando mordê-la no pescoço para quebrá-lo.

Depois de subjugar a vítima, a suçuarana a carrega para lugar seguro e, se sobra carne, guarda a carcaça para o dia seguinte. O território de um macho estende-se no mínimo por 65 km², o de uma fêmea, por 25 km². Vive até 12 anos em estado selvagem e 20 em cativeiro. O macho atinge a maturidade em 3 anos e a fêmea em 2 anos e meio. A gestação dura 90 dias e a ninhada é de um a seis filhotes, que nascem pintados e só ganham a coloração uniforme aos seis meses de idade.

Marcadores:

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@1:07 PM