Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

segunda-feira, novembro 21, 2011

Perigo de liberação de vapores inflamáveis em áreas congestionadas

Em 7 de fevereiro de 2010, seis trabalhadores morreram e pelo menos outros 50 ficaram feridos em uma explosão de gás natural em uma usina de energia elétrica em construção em Middletown, Connecticut, EUA. As explosões resultaram de execuções de trabalho que liberaram grande quantidade de gás natural inflamável na presença de trabalhadores e de fontes de ignição. Middletown é uma cidade universitária a 37 quilômetros ao sul de Hartford, a capital do Estado.

A explosão foi sentida até em East Haven, a 48 quilômetros de distância, e fumaça negra era visível por quilômetros em volta do local.

No momento do acidente, os trabalhadores estavam realizando a limpeza da tubulação, denominada "gás blow", no qual o gás natural é forçado pela tubulação à alta pressão e volume para remover resíduos , como parte da fase de comissionamento e startup do projeto.

O gás natural foi forçado a partir de uma tubulação aberta entre duas grandes estruturas em uma área perto do prédio de geração de energia (1).

Neste local, uma área ao ar livre, em seu entorno estava repleto de equipamentos de geração de energia (2). Medidas foram tomadas para eliminar ou controlar as potenciais fontes de ignição na área.

No entanto, fontes de ignição permaneceram dentro e fora do edifício. O gás natural liberado encontrou uma fonte de ignição e explodiu (3).

Este acidente ocorreu durante a construção e colocação em funcionamento de uma usina, e envolveu uma grande quantidade de gás inflamável.

Entretanto, não é raro em muitos outros tipos de instalações de processo a exigência de passagem de líquido inflamável ou vapor através de tubulação ou equipamento para manutenção ou paralisação.

. Você sabia?
■ Uma área congestionada, significa uma área que contém grande quantidade de tubulações, equipamentos, estruturas, edifícios e até mesmo recursos naturais, tais como terrenos irregulares ou árvores.
■ A liberação de uma pequena quantidade de vapor inflamável numa área congestionada pode resultar em uma nuvem de vapor perigosa.
■ A explosão de uma nuvem de vapor inflamável numa área congestionada é provavelmente mais violenta e destrutiva do que uma explosão de uma nuvem de vapor equivalente em uma área mais aberta.
■ A Comissão de Segurança Química Americana ( Chemical Safety Board -CSB) recomendou às indústrias e órgãos reguladores que a prática de liberar gás inflamável na atmosfera com a finalidade de limpeza da tubulação de gás combustível deve ser proibida, e alternativas de gás não inflamáveis devem usados.

O que você pode fazer?
■ Não presuma que o gás ou vapor perigoso lançado para o exterior dispersará de forma segura. Inspecionar a área e analisar os efeitos do confinamento.
■ Se a liberação de líquido inflamável ou gás é inevitável, procure uma saída para local seguro, distante de pessoal e de fontes de ignição, de preferência com sistema de ventilação projetado para tratar com segurança vapores perigosos. Evitar áreas congestionadas ou outros lugares onde vapores poderiam acumular, em vez de se dispersar.
■ Faça análise de risco minucioso, sempre que a ventilação de material perigoso é necessária, para minimizar a liberação e controle potencial de fontes de ignição, e proteger pessoas e bens de propriedade.
■ Nunca confiar no seu olfato para detectar a presença de gases perigosos.

Obs:
Comissionamento (inspeção/aceitação): Procedimentos de execução, aceitação de materiais e equipamentos; Preservação adequada; Verificações nas redes de precedência e emissão de documentos que garantam e comprovem parâmetros e performances estabelecidos no projeto original.

Fonte: Process Safety Beacon - August 2011 - The Hartford Courant-February 7, 2010

Comentário: Existe uma grande diferença entre hidrocarbonetos líquidos e gases inflamáveis liquefeitos. Vapores liberados de hidrocarbonetos líquidos se espalham por curta distância, mas vapores liberados por gases inflamáveis espalham-se por centenas de metros.
O que disse a OSHA sobre esse acidente e recomendações as empresas:

Em 7 de fevereiro de 2010, uma explosão devastadora na usina de energia Kleen em Middletown, Connecticut provocou perda elevada de vidas humanas, matando seis trabalhadores e ferindo outras cinqüenta. Esta explosão foi provocada pela ignição de gás natural sob pressão que estava sendo usado para limpeza de tubulação de combustível recém-construída.

MULTAS
Após inspeção completa no local do acidente, a OSHA aplicou penalizações com sanções propostas, totalizando mais de US $ 16,5 milhões. Essa tragédia poderia ter sido facilmente evitada mediante o uso do bom senso, a adesão às normas OSHA e procedimentos adotados pela indústria de segurança, e seguindo as normas de segurança interna.

RESPONSABILIDADE DO EMPREGADOR
O empregador é responsável por eliminar ou controlar os riscos que podem matar ou ferir seus empregados nessas unidades. É responsabilidade de todos os empregadores, especialmente as que operam em indústrias de alto risco, garantir a segurança e a saúde de seus empregados no local de trabalho. Nenhum dos principais empregadores da Energia Kleen em 07 de fevereiro de 2010, tomou as medidas adequadas para eliminar ou reduzir os riscos associados a uso de gás inflamável para limpeza (gas blow), apesar de saber do potencial de incêndio e riscos de explosão associados a essas operações. Os empregadores tinham revisto e aprovado os procedimentos de segurança para a realização dessas operações. A investigação da OSHA, no entanto, determinou que muitas dessas precauções não foram seguidas.
A prática de usar gás natural para limpar sistemas de tubulação é inerentemente perigosa

RECOMENDAÇÃO DA CSB
A Comissão de Segurança Química dos EUA (CSB), também investigou a explosão, recomendou que os empregadores sejam proibidos de lançar gás inflamável para a atmosfera com a finalidade de limpeza de tubulação de gás combustível Existem alternativas viáveis para a limpeza de tubulação de gás combustível com gás natural; essas alternativas incluem o uso de não-inflamável, não explosivo para limpar as tubulações. A OSHA recomenda o uso alternativo de gás não-inflamável, não explosivo, quando é necessário o uso de gás para limpar tubulações.

Se as empresas envolvidas na construção ou reforma de usinas de geração elétrica alimentadas a gás, no entanto, optar pelo uso de um procedimento de “gás blow”, que utilizam gás natural, você deve avaliar e relacionar todos os riscos potenciais antes e durante a limpeza e tomar as medidas eficazes para eliminar a exposição dos trabalhadores a esses riscos.

RECOMENDAÇÃO: EXPURGO NA VERTICAL
Deve fazer o expurgo do gás natural na vertical e, acima de todas as estruturas, eliminar todas as fontes de ignição, retirar todos os trabalhadores não essenciais do local, e monitorar a atmosfera potencialmente perigosa durante e após a conclusão da limpeza. No mínimo, os seguintes requisitos aplicáveis a estas operações:

29 CFR 1.926,20 (b) (2) - O empregador deve ter um profissional competente, capaz de reconhecer os riscos de construção no local de trabalho, incluindo aqueles associados à limpeza com gás inflamável.

29 CFR 1.926,21 (b) (2) - O empregador deve treinar os trabalhadores para reconhecer os riscos no local de trabalho de construção, incluindo aqueles associados com gás inflamável.

29 CFR 1926,352 (c) - O empregador deve assegurar que a operação de corte e solda não é executada na presença de compostos inflamáveis, incluindo o gás natural.

29 CFR 1926,403 (b) (2) - O empregador deve assegurar que os equipamentos de fabricantes registrados, rotulados e identificados ou certificados em locais de construção são utilizados de acordo com as instruções incluídas nos respectivos equipamentos (proibir o uso de equipamentos que possam inflamar gás natural).

CLÁUSULA DE PRINCÍPIOS GERAIS DA ADMINISTRAÇÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA
Seção 5 (a) (1) Cláusula de Princípios Gerais da Administração de Saúde e Segurança - O empregador deve manter o seu local de trabalho livre de riscos reconhecidos que causem ou possam causar a morte ou lesões físicas graves. Os riscos de limpeza de gás natural (gás blow) são bem reconhecidos na indústria da construção de usina. Esta cláusula fornece aos empregadores a obrigação de conhecimento direto dos perigos.

É imperativo que a empresa avalia cuidadosamente todos os aspectos da operação de limpeza com gás natural (gás blow) no sistema de combustível e seguir com a implementação de todos os procedimentos de segurança necessários.

Se a empresa é terceirizada ou sub-contratante e não está diretamente envolvida na operação de limpeza com gás, a empresa, no entanto, deve garantir que seus trabalhadores estejam totalmente protegidos.

É de sua responsabilidade de cumprir a lei e para proteger totalmente os trabalhadores nesses locais. Qualquer falha no cumprimento da lei e nos padrões de segurança aceitos pela indústria durante a operação de limpeza com gás no sistema de combustível será rigidamente aplicada pelo governo ou pela agência OSHA em toda a extensão da lei.

A intenção desta cláusula é garantir o conhecimento dos perigos inerentes à operação de limpeza no sistema de gás combustível, bem como atender os requisitos de segurança da OSHA.

Se a OSHA encontrar violações desses requisitos, ela aplicará infrações citando por violações intencionais que levam a uma penalidade máxima de US$ 70 mil. Se qualquer empregado morrer como resultado de uma explosão associado com a limpeza com gás (gás blow), além das penalidades civis propostas, a OSHA comunicará o acidente ao Departamento de Justiça para o processo criminal em conformidade com as disposições criminais da Cláusula de Princípios Gerais da Administração de Saúde e Segurança de 1970.
Fonte: U. S. Department of Labor Assistant Secretary for Occupational Safety and Health
Washington, D.C.

Vídeo:

Marcadores: , , ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@2:15 PM