Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

segunda-feira, novembro 07, 2011

1 em cada 3 lesões de coluna ocorre em acidentes de obras e quedas de laje

Levantamento realizado no Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da FMUSP revela que um em cada três pacientes internados com fratura da coluna sofreu queda de altura (em obra autônoma ou de pequena empreiteira ou em atividades recreativas que ocorrem em lajes).

Segundo o ortopedista Alexandre Fogaça, muitos dos acidentes ocorrem por falta de proteção ou uso inadequado dos equipamentos de segurança.

LESÕES INCAPACITANTES
Comuns e altamente incapacitantes, as lesões acontecem, na maioria dos casos, em conseqüência de acidentes de trabalho ou de atividades recreativas onde ocorrem às quedas.

■ Mais de 80% das vítimas são homens entre 18 e 45 anos. "São pessoas que, no auge da produtividade, levarão seqüelas para o resto da vida", diz o ortopedista.
■ Na ortopedia do HC, 60% dos pacientes com fratura da coluna chegam com lesão neurológica que deixam o indivíduo permanentemente incapacitado e necessitando de auxílio permanente.
■ "Todos que dão entrada com lesão medular e são operados perdem, no mínimo, a mobilidade da coluna na área da cirurgia e a grande maioria evolui com alguma seqüela neurológica, limitando a força dos braços e pernas e o controle de micção e evacuação", explica Fogaça.

CONVALESCENÇA
A média de permanência de um lesado medular no hospital é de três meses, passam por uma ou duas cirurgias, e levam no mínimo um ano para se reabilitar.

SEQÜELAS
Apenas 30% deles retornam ao mercado de trabalho, mesmo assim, com algum tipo de comprometimento leve.

Fonte: Estadão - 04 de novembro de 2011
Comentário: É difícil fazer uma análise pontual dos acidentes ocorridos na construção e em outras atividades. O anuário estatístico da Previdência está mais preocupado com o tipo de bolo, pois utiliza a Classificação Nacional de Atividades Econômicas / CNAE, cuja origem é econômica e fiscal. A estrutura de códigos CNAE está preocupada com todas as atividades econômicas do país. Ela é útil até certo ponto, pois separa as atividades econômicas, mas não está preocupada com detalhamento de cada atividade correlacionando com acidentes, tornando-se muito difícil fazer essa análise com detalhamento. Nos EUA existe detalhamento criterioso relacionando o acidente com o tipo de atividade. É muito mais fácil obter dados estatísticos de acidentes de queda de altura dos EUA..

Marcadores: ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@10:37 AM