Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

quarta-feira, março 23, 2011

O terremoto e os danos nas usinas nucleares japonesas


Imagem - Usina de Energia Nuclear Fukushima Daiichi- Imagens de alto resolução de satélites, mostram a Usina antes e depois do terremoto em 11 de março. Imagem obtida pelo satélite Geo-Eye-1 em 15 de novembro de 2009. A imagem da usina afetada foi tirada pelo satélite Ikonos em 17 de março de 2011


Um forte terremoto de magnitude 9 atingiu na sexta-feira, 11 de março a costa nordeste do Japão, segundo o Serviço Geológico dos EUA (USGS), gerando um tsunami com ondas de 10 metros de altura, que ameaça países da costa do Oceano Pacífico.
O terremoto ocorreu às 5:46 (UTC), 14:46 hora local, de 11 de março de 2011, que alcançou uma magnitude de 9 na escala sismológica de magnitude de momento (MW) e teve epicentro 130 km a leste de Sendai, no mar e ao largo da costa leste da região de Tohoku, na ilha de Honshu, Japão, e a 700 km da capital, Tóquio. O epicentro do terremoto foi registrado a 400 km de Tóquio, a uma profundidade de 32 km
O terremoto no Japão fez com que onze dos 54 reatores nucleares do país fossem desativados automaticamente, para evitar um acidente.

As instalações nucleares afetadas foram as seguintes:

USINA NUCLEAR DE TOKAI
A usina nuclear de Tokai, possui uma unidade geradora com capacidade total aproximada de 1.100 MW situada a 120 quilômetros a nordeste de Tóquio apresentou problema na bomba d'água do sistema de resfriamento da planta que entrou em pane no domingo, 13 de março (segunda-feira, no Japão). A bomba principal, que funciona com um gerador a diesel, parou, mas recorremos, então, ao sistema sobressalente — disse o porta-voz da Companhia de Energia Atômica do Japão, Masao Nakano, para que a temperatura do reator começa a baixar suavemente.

USINA NUCLEAR DE ONAGAWA
A Usina nuclear de Onagawa possui 4 unidades geradoras com capacidade total aproximada de 4. 400 MW. As unidades foram construídas no período de 1982 a 1989.
As autoridades japonesas informaram à AIEA que o primeiro estado de emergência (o nível mais baixo) na central de Onagawa foi registrado pela Tohoku Electric Power Company — explicou a agência da ONU, com sede em Viena.
Os três reatores da planta de Onagawa estão sob controle, segundo as autoridades japonesas. De acordo com a regulamentação japonesa, o alerta foi declarado depois dos níveis de radioatividade registrados superaram os níveis autorizados na zona próxima à central, explicou a AIEA.

USINA NUCLEAR FUKUSHIMA-DAIICHI
Relatório dos incidentes ocorridos nas Unidades 1, 2, 3 e 4 - Situação em 15 de março de 2011 – 23h30minh

UNIDADE 1
Uma explosão causada pela formação de Hidrogênio destruiu a cobertura do prédio do reator. O que ocorreu no reator não foi o que se chama de fusão do núcleo. O vaso de contenção do reator não foi danificado pela explosão.
Após o desligamento automático do reator houve falha no suprimento de água devido aos danos provocados provavelmente pelo tsunami formado pelo terremoto (acredita-se que isto foi causado pelo fato da magnitude do tsunami ter sido muito acima do previsto nos projetos das usinas). Houve aumento na temperatura do núcleo do reator.
Às 15h36min h do dia 12 de março foi verificado que nível da água dentro do vaso de contenção havia baixado. O hidrogênio gerado pela reação do metal com a água gerou hidrogênio, causando explosão.
Foram detectados césio e iodo. Acredita-se que parte do combustível nuclear foi danificado e uma parcela do material radioativo vazou para a água de refrigeração do núcleo do reator. Entretanto, isto não significa que o núcleo derreteu. Até esta data, está confirmado que o vaso de contenção manteve-se intacto. Não há risco de explosão de hidrogênio no vaso de contenção, uma vez que não há ali a presença de oxigênio. A baixa a probabilidade de vazamento de grande quantidade de material radioativo.

UNIDADE 2
A operadora das usinas relatou que foi ouvido ruído de explosão na Unidade 2 de Fukushima Daiichi às 16h10min do dia 15 de março. Existe a possibilidade de que a câmara de alivio de pressão tenha sofrido danos.
Após o desligamento automático do reator, a injeção de água foi mantida, mas o nível da água no vaso do reator baixou. A operadora relatou ainda que a Unidade 2 atingiu situação considerada de emergência em 14 de março.
Ás 06h10minh de 15 de março a operadora relatou que foi ouvida explosão na Unidade 2.
Foi informado que a pressão na câmara de alivio de pressão daquela unidade baixou, o que sugere a possibilidade daquela câmara ter sido danificada pela explosão.

UNIDADE 3
Uma explosão causada pela formação de hidrogênio destruiu o prédio do reator, exatamente como havia ocorrido na Unidade 1. Também neste caso o vaso de contenção manteve-se intacto. A explosão ocorreu às 11h01minh da manha de 14 de março.
Não existe risco de explosão de hidrogênio, pois não há oxigênio no vaso de contenção.

UNIDADE 4
Em 15 de março ocorreu incêndio na Unidade 4 de Fukushima Daiichi, embora a operação desta unidade estivesse suspensa para realização de inspeção periódica. O incêndio foi extinto por volta de 11h00minh da manhã. Houve aumento na temperatura da água na piscina de combustível usado desta unidade.

Situação Atual
De acordo com a monitoração, foram detectados valores de 11.930 μSv/h às 09h30minh do dia 15 de março.

EVACUAÇÃO
A evacuação das áreas de 10 e 20 km em torno da Central de Fukushima I está quase completa. Os moradores da área de 30 km estão sendo orientados a permanecerem em suas residências.

Fonte: Agência Japonesa de Segurança Nuclear e Industrial (NISA)



Situação da usina de energia nuclear de Fukushima em 23 de março de 2011

FUKUSHIMA DAIICHI

REATOR N º 1 (OPERAÇÃO SUSPENSA APÓS TERREMOTO)
■ fusão parcial do núcleo,
■ falta de refrigeração
■ escape de vapor,
■ prédio de contenção do reator foi danificado pela explosão de hidrogênio, a cobertura foi destruída e arrancada,
■ água do mar está sendo bombeada para refrigerar o núcleo,
■ o trabalho para restabelecer a energia elétrica está em andamento.

REATOR NO. 2 (OPERAÇÃO SUSPENSA APÓS TERREMOTO)
■ danos à estrutura de contenção do reator,
■ falta de refrigeração,
■ água do mar está sendo bombeada para refrigerar,
■ varetas de combustível totalmente exposta temporariamente,
■ escape de vapor,
■ prédio de contenção de reator danificado pela explosão do reator n º 3 ao lado, explosão ouvida perto de câmara de supressão do vaso de contenção,
■ o acesso à energia elétrica externa restabelecida no domingo,
■ vapor subindo foi visto na segunda-feira,
■ piscina das varetas de combustível, cheio de água na terça-feira com temperatura da água de 51º C.

REATOR NO. 3 (OPERAÇÃO SUSPENSA APÓS TERREMOTO)
■ receio da fusão parcial do núcleo,
■ falta de refrigeração,
■ escape de vapor,
■ água do mar está sendo bombeada,
■ o prédio de contenção do reator danificado por explosão de hidrogênio,
■ água do mar despejado na piscina de contenção do combustível nuclear por helicóptero,
■ água pulverizada a partir do solo por seis dias até terça-feira, 23 de março,
■ os trabalhadores temporariamente foram forçados a evacuar devido à fumaça acinzentada vista na cobertura na segunda-feira 21 de março,
■ retorno da iluminação na sala de controle na terça-feira.

REATOR NO. 4 (EM MANUTENÇÃO DURANTE O TERREMOTO)
■ não há varetas de combustível no núcleo do reator,
■ receio na reação em cadeia nuclear no combustível nuclear na piscina de contenção,
■ contenção do fogo no prédio do reator, somente estrutura da cobertura permanece,
■ a temperatura da piscina atingiu 84º C, em 14 de março,
■ água pulverizada na piscina por três dias até terça-feira, 22 de março.

REATOR N º 5 (EM MANUTENÇÃO DURANTE O TERREMOTO)
■ algumas varetas de combustível foram deixadas no núcleo do reator,
■ o resfriamento do combustível nuclear na piscina de contenção foi retomado no sábado, 19 de março, paralisação do resfriamento do reator, no domingo, 20 de março,
■ foi estabelecido o acesso à energia externa, fonte de alimentação ligada à energia externa de energia de emergência na segunda-feira, 21 de março.

REATOR N. º 6 (EM MANUTENÇÃO DURANTE O TERREMOTO)
■ algumas varetas de combustível foram deixadas no núcleo do reator,
■ gerador de energia de emergência e as funções de resfriamento restabelecidas no sábado, 19 de março,
■ paralisação do resfriamento no reator, no domingo, 22 de março.

Fonte: Kyodo News - March 23, 2011
Vídeo:
Explosão da Unidade 1 da usina nuclear Fukushima Daiichi


Vídeo (1)
Vídeo explica o que pode ter ocorrido no reator

Marcadores: , ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@3:12 PM