Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

sábado, fevereiro 12, 2011

Um mês depois do desastre na Região Serrana

Um mês depois do desastre natural, a busca por corpos continua. A Empresa estadual de Obras Públicas (Emop) mantém quatro frentes para localizar soterrados.
■ O total de mortos chega a 892, e
■ ainda há 408 pessoas desaparecidas.

DOENÇAS
São 42 casos de leptospirose na região.

LIMPEZA
Os trabalhos emergenciais (limpeza e desobstrução de ruas, por exemplo) deverão ser mantidos até abril. Há 87 frentes de trabalho e 649 equipamentos pesados, como caminhões e tratores, em operação na região.

RECONSTRUÇÃO
A reconstrução, já começou, mas serão necessários dois anos para concluir os trabalhos. Os projetos de reconstrução vão incluir a recuperação da infraestrutura (pontes, muros) e a desobstrução de rios e córregos.

AGRICULTURA
Trinta dias após o desastre natural, áreas rurais ainda estão sem água e energia elétrica, o que impede a retomada da produção agrícola. A recuperação total da zona rural pode levar até dois anos, segundo estimativa da Secretaria de Agricultura do Estado, uma vez que cerca de 500 pequenas pontes ainda precisam ser recuperadas para permitir o transporte dos alimentos plantados na região.
Aproximadamente 3.200 famílias tiveram suas lavouras afetadas pelos alagamentos e deslizamentos de terra que atingiram sete municípios. Alguns campos ficaram cobertos por camadas de até 50 centímetros de lama e por toneladas de pedra. Toda a colheita se perdeu e as plantações que resistiram começaram a morrer devido aos danos em máquinas, sistemas de irrigação e redes de energia. As lavouras dos municípios atingidos pela chuva representam 28,5% da produção agrícola do Estado.

QUASE 35 MIL PESSOAS FORA DE CASA
Segundo dados das prefeituras e da Defesa Civil do estado,
■ Teresópolis tem 9.110 desalojados e 6.727 desabrigados;
■ Petrópolis (incluindo Itaipava) soma 6.223 desalojados e 191 desabrigados; e
■ Nova Friburgo já contabiliza 3.220 desalojados e 2.031 desabrigados.

Outros municípios bastante afetados;
■ São José do Vale do Rio Preto registra 2.018 desalojados e 300 desabrigados;
■ Bom Jardim tem 1.186 desalojados e 632 desabrigados;
■ Sumidouro soma 311 desalojados e 200 desabrigados; e
■ Areal contabiliza 1.469 desalojados.

A lista da Defesa Civil cita ainda outros municípios atingidos;
■ Santa Maria Madalena, 284 desalojados e 44 desabrigados,
■ Trajano de Moraes, 188 desalojados e 28 desabrigados,
■ Sapucaia, 30 desalojados e 140 desabrigados,
■ São Sebastião do Alto, 32 desalojados e 75 desabrigados,
■ Três Rios, 36 desalojados e 33 desabrigados,
■ Cordeiro, 43 desabrigados,
■ Carmo, 55 desalojados e 12 desabrigados,
■ Macuco, 28 desalojados e 24 desabrigados,
■ Cantagalo, 8 desalojados e
■ Cachoeiras de Macacu. 4 desabrigados.

Fontes: Globo Online e Estadão - 12 de fevereiro de 2011

Vídeo:
Vôo virtual sobre Nova Friburgo, primeira imagem sem nuvens após o desastre. Produzido pelo INPE com imagens de satélite do International Charter Space & Major Disasters. Imagem Geoeye via USGS sobre DEM do Google Earth.

Vídeo:
Campo Grande, Teresópolis

Marcadores: , ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@5:03 PM