Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

sexta-feira, janeiro 21, 2011

Imagens de satélite mostram extensão da tragédia na região serrana do Rio

Imagens de satélite reveladas pela primeira vez pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostram com precisão a destruição causada pelas chuvas nas cidades serranas do Rio.

Nos mapas - produzidos pelo Núcleo de Pesquisa e Aplicação de Geotecnologias em Desastres Naturais e Eventos Extremos - é possível observar a extensão da tragédia. As imagens foram feitas no dia 16 de janeiro. Os pontos marcados em azul representam as inundações.






Área em azul - inundada




Observa-se pelo Google que a cidade foi desenvolvida em ao longo do rio, ocupando as matas ciliares. A cidade fica praticamente no fundo de vale, propiciando ocorrência de inundação. O círculo em amarelo indica a posição do rio.

Segundo dados do IEF - Instituto Estadual de Florestas., o desmatamento no Estado do Rio de Janeiro ocorreu mais intensamente na primeira metade do século XX, quando a cobertura florestal do Estado diminuiu de 81% para 25% de sua área total. De 1960 para cá, o desmatamento diminuiu mas não parou. Conforme levantamento realizado pela Fundação SOS Mata Atlântica, os desmatamentos ocorridos entre 1985 e 1990 no Estado foram observados de forma significativa nos seguintes locais: Parque Estadual do Desengano, entre os municípios de São Fidélis e Santa Maria Madalena; na região próxima às cidades de Volta Redonda, Rio Claro e Piraí; e entre os municípios de Nova Friburgo, Bom Jardim e Sumidouro. Todos na bacia do rio Paraíba do Sul. Fonte: Programa Estadual de Investimentos da Bacia do Rio Paraíba do Sul – RJ - SUB-REGIÕES A, B e C - CONTROLE DE EROSÃO - Junho de 1998. Obs: O s fatores para o desastre estavam se acumulando ao longo dos anos.



Região quase toda desmatada













Área em azul - inundada



Nova Friburgo - Campo do Coelho










A cidade foi construida no fundo de vale. Cercada por topografia acidentada

























A topografia é favorável a inundação e deslizamento.












Os municípios da Região Serrana, caracterizada pela maior expressão de remanescentes florestais na bacia, principalmente nos municípios mais procurados pelo turismo – Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo. Por outro lado, o rápido desenvolvimento urbano nos últimos anos, com crescimento de favelas e agravamento das condições de saneamento básico, vem atingindo os remanescentes florestais (Teresópolis e Friburgo foram os mais desmatados para ocupação urbana no período 1990-95) e criando áreas de risco de deslizamentos de terra. A Região Serrana destaca-se também pelo uso agrícola, com predomínio da olericultura e seus problemas ambientais associados (erosão, uso abusivo de fertilizantes químicos e agrotóxicos) e pelo pólo cimenteiro de Cantagalo. Fonte: Programa Estadual de Investimentos da Bacia do Rio Paraíba do Sul – RJ - SUB-REGIÕES A, B e C - CONTROLE DE EROSÃO - Junho de 1998


O estudo retrata fielmente os problemas, apontando os fatores para o desastre. Não existe fatalidade, chuva excessiva, mas sim os fatores básicos para provocar o efeito dominó. A chuva foi apenas o gatilho. Na regiao estava presentes, uso e ocupação do solo inadequado, falta de planejamento urbano, população excessiva para uma regiao montanhosa e degradação do meio ambiente. Nenhum desastre resulta de uma só causa.

BALANÇO DA TRAGÉDIA
Sobe número de mortes na Região Serrana no décimo dia de buscas a vítimas das chuvas
O número de mortes chegou a 770 nesta sexta-feira, 21 de janeiro, décimo dia de buscas a vítimas. De acordo com informações dos municípios, até o momento foram registradas:
■ 373 mortes em Friburgo,
■ 304 em Teresópolis,
■ 64 em Petrópolis,
■ 22 em Sumidouro,
■ 6 em São José do Vale do Rio Preto e
■ 1 em Bom Jardim.

DESAPARECIDOS
Já chega a 400 o número de desaparecidos.

DESABRIGADOS E DESALOJADOS
Segundo a Defesa Civil, mais de 20 mil pessoas estão desalojadas e desabrigadas em sete municípios da região.
■ Em Petrópolis são 3.600 desabrigados, e 2.800 desalojados.
■ Em Teresópolis, 960 desalojados, e 1.280 desabrigados,
■ Em Nova Friburgo 3.220 desalojados, e 1.970 desabrigados,
■ Em Bom jardim 632 desalojados, e 142 desabrigados,
■ Em São José do Vale do Rio Preto 3.020 desabrigados e desalojados, e
■ Em Areal 1.480 desabrigados e 130 desalojados.
■ Em Sumidouro são 200 desabrigados. Ao todo, 72.355 pessoas foram afetadas pelas chuvas, segundo o órgão.

Marcadores: , ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@3:55 PM