Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

sábado, novembro 20, 2010

Pequim enfrenta nuvem de poluição


Más condições na capital chinesa ultrapassam escala que mede qualidade do ar


Uma grossa cortina de fumaça encobriu o centro de Pequim na sexta-feira, 19 de novembro, reduzindo a visibilidade para poucas centenas de metros. .

Os arranha-céus da capital chinesa praticamente desapareceram, e escolas suspenderam aulas de educação física para evitar problemas respiratórios.

O problema levou especialistas a recomendar que crianças e idosos não saíssem de casa.

Autoridades afirmaram que a má qualidade do ar de Pequim neste outono está ainda pior por causa da queima de carvão mais intensa em vilarejos e fábricas.

Além disso, calcula-se que mais de 1,2 mil novos carros estejam chegando às ruas da capital diariamente.

A intensa poluição de Pequim levou a embaixada americana na capital a descrever a qualidade do ar como 'péssima', bem acima do limite superior para classificação do índice de poluição atmosférica.

Fonte: G1-19/11/2010

Vídeo:



Comentáio:
A cidade de São Paulo tem esse tipo de problema, poluição, mas não em tanta intensidade como Pequim, mas as causas dos problemas são os mesmos; crescimento da cidade, crescimento da frota de veículos. A perda de área verde é bem superior a sua reposição.

Em 2009, a cidade de São Paulo recebeu 202.949 novas árvores no âmbito do Programa Municipal de Arborização Urbana. Desde 2005, quando foi iniciado o programa, já são cerca de 800 mil árvores novas na Cidade. Enquanto isso no mesmo período de 2005 a 2009 a cidade recebeu 1.1000.000 veículos.

Em 1904, ano em que foi criada a Inspetoria de Veículos, existiam apenas 84 automóveis em São Paulo. Já em 1920 esse número teve um crescimento para 5.596 veículos e 222 caminhões.
Em 1936, em relatório do então diretor de trânsito do Estado de São Paulo, Costa Netto, existiam cadastrados 58.520 veículos circulando. Em 1939, esse número vai para 43.657 veículos e 25.858 caminhões. Hoje a frota é de quase 6.913.000 veículos

São Paulo ganha cerca de mil e duzentos novos veículos por dia, de acordo com o Detran-SP. Existe, hoje, aproximadamente um veículo para cada dois habitantes na capital. Se enfileirada, toda a frota de quase 6.913.000 veículos seria quase suficiente para dar uma volta na Terra, que tem cerca de 40 mil quilômetros de circunferência.

A frota gigante de São Paulo preocupa porque seu crescimento não acompanha o ritmo de expansão de ruas e avenidas da cidade. Na década de 70, havia 14 mil quilômetros de ruas pavimentadas para 965 mil veículos. Trinta e oito anos depois, há 15,3 mil quilômetros para a frota de 6 milhões. Na prática, não há espaço para todo mundo.

Se todos os donos de veículos resolvessem sair ao mesmo tempo em fila única, seriam 392 veículos em cada quilômetro de vias da cidade. Considerando que um carro popular mede 3,8 metros, somente 263 caberiam no espaço. Ficariam sem asfalto para rodar 129 veículos. Isso explica porque basta um carro quebrar ou um acidente interditar parte de uma via para que o trânsito na cidade fique à beira do caos.

Marcadores: ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@10:48 AM