Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

terça-feira, junho 29, 2010

Cultura de Segurança de Processo

O que tem em comum estes acidentes;
■ explosão e incêndio, da plataforma de petróleo Piper Alpha em julho de 1988,
■ explosão na fábrica de produtos químicos em Flixborough, Inglaterra, em junho de 1974,
■ explosão na refinaria de petróleo, Texas City, EUA, em março de 2005,

Todos foram resultantes de grandes falhas de sistemas técnicos complexos. Em todos eles, as investigações identificaram problemas na organização “cultura de segurança” como um importante fator de contribuição.

Mas o que é “cultura de segurança”? A agência de Segurança e Saúde do Reino Unido (The United Kingdom Health and Safety Executive) define a cultura de segurança como “ ... O produto de valores individuais e em grupos, atitudes, competências e padrões de comportamento que determinam o comprometimento, o estilo e a eficácia de programas de saúde e segurança de uma organização.”

Como parece muito complicado, a CCPS (Center for Chemical Process Safety - CCPS) sugere uma definição mais simples: “Cultura de Segurança é como a organização se comporta quando ninguém está observando.”

Apesar do gerenciamento tem um papel de liderança no estabelecimento de uma boa cultura de segurança numa organização, todos têm que contribuir para que ela realmente aconteça.

Concentraremos num importante aspecto da cultura de segurança – na conservação de uma “sensação de vulnerabilidade –e abordaremos em outras edições futuras.

O QUE VOCÊ PODE FAZER?
■ Seja vigilante em relação aos riscos de materiais e processos na sua fábrica.
■ Reconheça os eventos “quase acidentes” para lembrá-lo o que poderia ter dado errado.
■ Use os incidentes que ocorreram em outras instalações, tais como is incidentes relatados no Beacon, para lembrá-lo da possibilidade de ocorrência de problemas semelhantes na sua instalação.
■ Sempre opere a sua instalação dentro dos limites de operação segura e dos procedimentos operacionais estabelecidos. Quando isto não for possível, avise imediatamente o seu supervisor.
■ Use os procedimentos aprovados para a autorização de alterações aos procedimentos estabelecidos, incluindo avaliação de risco detalhado e aprovado por autoridades competentes.

Uma boa cultura de segurança depende de todos!

Fonte: Process Safety Beacon –Junho 2007

Comentário:
Recentemente podemos incluir a explosão e incêndio na plataforma Deepwater Horizont, no golfo do México, EUA, 20 de abril de 2010. Muito provável falha no sistema de segurança da plataforma e quebra de protocolo de segurança causado pela rapidez na prospecção.
No caso da BP a empresa partiu do principio que a tecnologia é a prova de falha, isto é, não teria necessidade de um plano de emergência quanto a uma eventual falha do sistema de segurança.
De acordo com noticia de jornais, o porta-voz da BP, explicando por que não tinha preparado plano de emergência, ele disse: “Não acho que ninguém previu as circunstâncias que vemos hoje.” Aparentemente “parecia inconcebível que o mecanismo que impede explosões fosse falhar –então para que se preparar?
Toda utilização de tecnologia, devemos utilizar o principio de cautela ou precaução, nada mais é do que um dos tópicos da “Cultura de Segurança”.
Devemos sempre partir do principio se o sistema falhar, que medidas deveremos adotar? Não há tecnologia segura, com ausência de risco.
O que acontece na maioria das grandes empresas, principalmente as que têm atividade de alto risco, a cultura predominante da empresa é produzir para cumprir metas, os responsáveis pela execução, vão priorizá-las. A empresa tem conscientizar que a atividade é de alto risco, que qualquer falha poderá transformar em catástrofe.
Cabe a empresa priorizar a gestão de segurança responsável (gestão de riscos) como uma ferramenta para direcionar o limite para o qual, o cumprimento das metas possam ser alcançadas.
Como disse Peter Drucker " a nossa tarefa hoje é estar preparados para um amanhã incerto ... a previsão de longa duração deverá ter em conta o futuro (decorrente) das decisões presentes". Lembramos da lei de Murphy “Alguma coisa sinistra vai acontecer e acontecerá, no pior momento possível”.

Marcadores: ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@2:11 PM