Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

segunda-feira, fevereiro 15, 2010

Acidente fatal com georgiano Nodar

A televisão canadense CTV, principal emissora do país, exibiu repetidas vezes o vídeo do acidente fatal sofrido pelo georgiano Nodar Kumaritashvili, na sexta-feira, 12 de Fevereiro, durante o treino do Luge (trenó) para a Olimpíada de Vancouver.

ACIDENTE
O acidente de Kumaritashvili aconteceu por volta das 17h (de Brasília, 11h locais) na curva chamada Thunderbird, já no final do circuito do luge no Whistler Sliding Center, ele saiu da pista e se chocou contra um poste de metal quando estava aproximadamente a 144 km/h..

Atendimento médico
A equipe médica dos Jogos de Vancouver tentou realizar procedimentos de reanimação, como massagem cardíaca e respiração boca a boca, antes de chamar um helicóptero para transferir Kumaritashvili ao hospital. Ele foi transferido de helicóptero a um hospital da região, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. As autoridades locais ainda investigam as causas do acidente.
Apesar da morte do atleta do luge, a delegação da Geórgia anunciou que continuará nos Jogos de Inverno, após cogitar a ideia de deixar a competição. A cerimônia de abertura de Vancouver 2010 será realizada na madrugada de sábado, 13 de Fevereiro, com início previsto para a 0h (de Brasília).

HISTÓRICO DE ACIDENTES
Esta é a segunda morte de atletas do luge na história das Olimpíadas de Inverno. A primeira ocorreu em 1964, na austríaca Innsbruck, quando o polonês naturalizado britânico Kazimierz Kay-Skrzypeski perdeu o controle de seu trenó e morreu, após sofrer fraturas na bacia.

Os Jogos de Inverno também registraram outras duas mortes. Ainda em 1964, o australiano Ross Milne bateu contra uma árvore durante um treino do downhill e também não resistiu aos ferimentos. Quase três décadas depois, em 1992, o suíço Nicolas Bochatay morreu ao se chocar contra uma máquina que estava na pista do esqui de velocidade.

INVESTIGAÇÃO DO ACIDENTE
A investigação principal sobre a causa da tragédia que culminou na morte do atleta será feita pelo Serviço Médico-legista do Canadá e do órgão de polícia local, sob o comando do Vanoc e do COI, Comitê Olímpico Internacional. Nenhum detalhe adicional foi divulgado..
Uma segunda investigação está a cargo da Federação Internacional de Luge, que afirmou que levará a fundo as investigações pelo bem do esporte.
O presidente do Comitê Olímpico Internacional, Jacques Rogge, e do Chefe Executivo do Vanoc, John Furlong, prestaram homenagens ao atleta georiano durante a cerimônia de abertura, realizada na sexta-feira.

O QUE É LUGE
Luge é a palavra em francês para "trenó". No luge, os esportistas atingem uma velocidade que pode até ultrapassar 140 km/h. Sobre o trenó, os competidores ficam deitados e com o corpo esticado. Os homens e as mulheres competem na mesma pista, com as mulheres começando a prova mais abaixo. O Luge chegou à Olimpíada em 1964 na cidade de Innsbruck, na Áustria.

PISTA DO LUGE SOFRE ALTERAÇÕES APÓS ACIDENTE
Após o acidente fatal com o atleta georgiano os organizadores dos Jogos Olímpicos de Inverno de Vancouver fizeram alterações na pista do luge. Além de um reforço no local em que o atleta se acidentou, o circuito será ‘encurtado’, com a largada da prova masculina sendo alterada para o mesmo ponto da feminina.
De acordo com o presidente da Federação Internacional de Luge, Svein Romstad, o motivo da mudança foi ‘emocional’, visando dar tranquilidade aos demais atletas. A medida fará com que os competidores atinjam uma velocidade menor durante o evento.
Além de mudar o local da largada, os organizadores dos Jogos de Vancouver modificaram a curva 16, local em que Kumaritashvili sofreu o acidente. Eles aumentaram a altura do muro de proteção e realizaram alterações no gelo.
As mudanças na pista foram anunciadas no mesmo dia em que os organizadores alegaram que a morte de Kumaritashvili foi causada por uma falha humana, defendendo a segurança do circuito de luge.
Fonte: Terra Noticias – 12 e 13 de fevereiro de 2010

COMENTÁRIO
Inicialmente os organizadores alegaram falha humana, erro do atleta. Numa pista onde o a velocidade predomina, os organizadores deveriam analisar os riscos potenciais máximos, tais como;
■ O atleta não consegue controlar o trenó, ele poderá ser lançado fora do trenó
■ O atleta poderá capotar com o trenó, ser lançado fora da pista
■ Obstáculos próximos a pista

PROBLEMAS DA PISTA - FOTOS
Nas curvas as muretas são altas, e depois elas são baixas. Se o trenó vem numa velocidade alta tangencial a curva, forçosamente o atleta será lançado fora do trenó (perda do controle)
Próximas a pista existem vigas sem proteção
Se a pista foi projetada com grau de complexidade elevada e poderá atingir velocidade alta, a pista deveria ter maior proteção de segurança, principalmente das vigas, elementos fixos, que nas fotos mostram claramente que não existiam essas proteções. O erro do atleta não deveria causar a sua morte, se houvesse segurança da pista, principalmente proteções dos obstáculos existentes próximos a pista. É um esporte de alto risco, mas a segurança deverá existir, para que o acidente fique confinado na pista.

Vídeo:
O vídeo mostra que essas pistas não têm proteções suficientes na entrada e saída das curvas. O atleta teve sorte, pois foi lançado fora do trenó bateu na mureta e voltou para a pista

Marcadores: ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@9:09 AM