Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

terça-feira, novembro 10, 2009

Perdeu o controle da empilhadeira

Na Rússia, um operador de empilhadeira perdeu controle do veiculo e estava sob influencia de álcool ao volante. O operador manobrando a empilhadeira de marcha ré bateu na estrutura de prateleiras de armazenamento de milhares de garrafas de conhaque e vodca. Com a colisão houve uma reação em cadeia das estantes de prateleiras, caindo todas em questões de segundos. O acidente deixou a rede varejista com prejuízo de estimado de 150 mil dólares.

Vídeo:


Comentário:
Os acidentes com empilhadeiras perfazem aproximadamente 1% dos acidentes industriais, mas eles produzem danos terríveis em 10% das vítimas. As empilhadeiras causam quase 10.000 ferimentos ao ano.

Nota-se no vídeo que o layout do local de trabalho contribui para acidentes com empilhadeiras com corredores abarrotados de mercadorias e desorganizados

A OSHA estima;
■ que há 68.400 acidentes por ano, envolvendo equipamentos industriais.
■ aproximadamente 90.000 trabalhadores sofrem algum tipo de ferimento nestes acidentes, resultando;
a-em perda de dias de trabalho,
b- reclamações trabalhistas (indenizações),
c-perda de produtividade e não mencionando danos infligidos nos equipamentos e nas instalações.
d- quase 100 pessoas perdem suas vidas a cada ano nestes acidentes.

Como acontecem os acidentes
1.Cerca de 26% dos acidentes de empilhadeiras são resultados de tombamento.
2. 14% dos acidentes de empilhadeiras são o resultado de uma carga ou queda de objeto caindo num trabalhador.
3. 18% dos acidentes de empilhadeira ocorrem quando um empregado caminhando ou outras pessoas são atingidas por uma empilhadeira.
4. 14% dos acidentes de empilhadeira ocorrem porque a empilhadeira é usada inadequadamente para transportar trabalhadores.
5. 3% dos acidentes de empilhadeiras ocorrem porque o operador perdeu o controle do veículo.
6. 7% dos acidentes de empilhadeira ocorrem quando a empilhadeira é operada nas docas de carregamento. Fonte: OSHA (Occupational Safety & Health Administration)

A pessoa sob influencia do álcool prejudica a condução do veículo, como:
■ Audácia incontrolada:
Sensação de bem-estar e de otimismo, com a conseqüente tendência para sobrevalorizar as próprias capacidades, quando, na realidade, estas já se encontram diminuídas.
■ Reduz a acuidade visual;
A visão é prejudicada, ficando o condutor incapaz de avaliar corretamente as distâncias e as velocidades.
■ Perturbação das capacidades perceptivas;
1) Aumento do tempo de reação
Em caso de necessidade de efetuar uma frenagem brusca devido, por exemplo, ao aparecimento de um obstáculo imprevisível na faixa de rolamento, a alcoolemia torna mais lento o processo de identificação, aumentando o tempo de reação e provocando, conseqüentemente, um alongamento da distância de frenagem do veículo.
2) Diminuição da resistência à fadiga:
O álcool desempenha um verdadeiro papel de analgésico ao nível dos centros nervosos e se, numa determinada fase, pode contribuir para criar um estado de euforia, este é, posteriormente, substituído por uma fadiga intensa que pode chegar até ao entorpecimento.
■ O álcool e a coordenação psicomotora
Sob o efeito do álcool, a coordenação psicomotora do motorista é afetada, podendo traduzir-se em frenagens bruscas e desnecessárias, mudança brusca de direção, etc.

De acordo com estatísticas do Ministério da Saúde da Rússia, um russo consome quase 18 litros de álcool puro por ano. Essa quantidade é bem maior que os oito litros anuais considerados saudáveis pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O alcoolismo na Rússia é considerado como calamidade pública.

Marcadores: ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@2:03 AM