Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

sexta-feira, novembro 06, 2009

Equipamento de emergência falha durante o teste

O salto no espaço do segundo andar era para mostrar as vantagens de um sistema de evacuação em altura em caso de incêndio acabou numa falha do equipamento.

Equipamento
AMSPI abreviação de Aparelho Mecânico para o Salvamento de Pessoas em Incêndios, ganhou três prêmios de feiras de patentes e inventos de reconhecido prestígio internacional. Nos últimos meses, foi submetido a diversos testes, como o demonstram os vídeos que a empresa mantém em sua página web e no canal de vídeos YouTube.

O equipamento facilita a evacuação e o salvamento de pessoa que se vêem presas em conseqüência do fogo em edifícios.
Seu funcionamento se baseia num braço mecânico com um cabo que se fixa na fachada, na varanda ou numa janela, e que posteriormente é conectado a um cinto de segurança e o sistema controla a descida (desacelera).

Para escapar das chamas que ameacem o imóvel ou de uma possível intoxicação só é necessário colocar um cinto de segurança e deixar cair. O sistema permite a quem o utilize descer até ficar a poucos metros do solo, já a salvo e a uma distância que os bombeiros possam resgatar.

Teste
No dia anterior da simulação prevista o equipamento foi testado no local. Nesse dia, utilizaram tambores de diferentes pesos e também com várias pessoas, entre as se encontrava o mesmo trabalhador que acidentou-se na simulação.

O incidente incomum aconteceu minutos antes das onze horas da manhã de quarta-feira, 4 de novembro. Tudo aconteceu diante das câmaras convidadas para exibição e de dezenas de curiosos. J. C. D. R., de 39 anos, trabalhador da empresa AMSPI, lançou-se do segundo andar do hotel Amara de San Sebastián, Espanha, que simulava ser um hóspede do hotel ameaçado pelo fogo.

Com cinto de segurança conectado a um conjunto de peças de aço inoxidável mecanizada instalado no terraço, caiu de uma altura de 16 metros sem ao menos ativar o mecanismo de bloqueio que devia desacelerar a sua descida.
A descida, que devia realizar-se em 10 segundos, ocorreu em pouco mais de 3 s.

Vítima:
Os responsáveis do equipamento, estavam tão convencidos de que tudo iria correr bem, que nem sequer tinha no local uma ambulância para caso de emergência.
O trabalhador ferido foi atendido na calçada do estabelecimento hoteleiro por pessoal de saúde da DYA e posteriormente foi levado para um hospital de San Sebastián, onde foi diagnosticado fratura do tornozelo esquerdo e dos calcanhares.

Causa
O inventor e responsável pela empresa Joaquín Tamayo disse num primeiro momento desconhecer as razões do acidente

Investigação
A policia lacrou o equipamento e está investigando o acidente.

Fontes: El País e Diario Vasco - 5 noviembre 2009


Vídeo:

Marcadores:

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@3:06 AM