Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

quinta-feira, julho 30, 2009

Explosão de compressor

Explosão de compressor mata

Uma explosão no compressor de ar da empresa Codapar/Copel, em agosto de 2001, localizado na BR-153-PR, feriu gravemente o funcionário Hildo Zago.
O impacto fez com que Hildo tivesse uma das pernas decepada na hora do acidente, sendo a outra amputada no hospital. Após 48 horas na UTI, Hildo acabou falecendo sendo seu corpo transladado para a cidade de Palmas-PR, onde reside seus familiares.

Fonte: Jornal Caiçara - União da Vitória PR

Explosão de compressor em fábrica
A explosão de um compressor de ar da fábrica Estofados Bahia Sul, aconteceu por das 15h 30min, quarta-feira, 30 de agosto de 2000, no bairro do Ibura, Recife, PE.
O compressor, de 750 libras de potência, começou a apresentar problemas à tarde, pouco antes da explosão. “Uma mangueira de ar estourou sem agüentar a pressão do ar na máquina. O proprietário, Sandro de Oliveira, decidiu, então, substituí-la, mas o problema se repetiu. Quando ele se aproximou do compressor para tentar consertá-lo novamente, a explosão aconteceu”, disse Jose Roberto, funcionário da fabrica. “Foi tudo muito rápido. Sandro foi jogado contra a parede pela pressão”. Ele afirmou ainda que não havia registros de outros acidentes no local, onde eram produzidos móveis e estofados.

Danos Materiais:
A explosão destruiu parte do imóvel onde funcionava a Estofados Bahia Sul.

Vítimas:
Apenas uma hora depois, Sandro de Oliveira Ribeiro, 31 anos, proprietário da fábrica, morreu ao dar entrada no Hospital da Restauração (HR), depois de receber os primeiros socorros na Policlínica Arnaldo Marques. “Ele foi mutilado nas costas e apresentava fraturas nas pernas e braços. Tentamos reanimá-lo, mas não houve resposta”, afirmou Gil Brasileiro, diretor do HR.

Entre os feridos, o caso mais grave era o de José Roberto da Silva, que perdeu um dos dedos da mão esquerda, devido à explosão. “As demais pessoas que foram atendidas apresentavam apenas ferimentos leves ou pequenas escoriações e foram liberadas rapidamente. Eram transeuntes ou funcionários que foram atingidos por estilhaços de ferro”, afirmou Solange Luna, diretora da Policlínica Arnaldo Marques, para onde foram encaminhadas as vítimas do acidente, por populares. José Roberto, que também foi transferido para o HR e ficará em observação. Ele será medicado para evitar inflamações ou mesmo a gangrena do tecido da mão esquerda.
Segundo familiares de Sandro de Oliveira, informaram que a fábrica havia sido inaugurada há quatro anos.

Fonte: Jornal do Commercio – Recife, 31 de agosto de 2000

Comentário:
Antes de iniciar a utilização de um compressor, é necessário que seja verificado alguns itens para que possa aumentar o seu desempenho, durabilidade e qualidade.
■ Verifique o nível de óleo no reservatório, antes de dar a partida. Caso o nível esteja baixo, complete com a quantidade necessária. Se as adições de óleo forem muito freqüentes, há algum problema que está causando este consumo excessivo.
■ Verifique o nível de óleo do motor e o nível de água do radiador.
■ Observe os manômetros e indicadores após a partida de rotina e após o seu aquecimento, certificando-se de que eles operam adequadamente e indicam leituras corretas em cada fase de operação.
■ Averigúe o indicador de manutenção do filtro de ar. Se necessário limpe ou troque-os.
■ Lubrifique, coloque óleo preservativo no motor, compressor e combustível quando for utilizar o compressor por um longo período.
■ Permita que o compressor funcione por aproximadamente 10 minutos para que o óleo preservativo possa chegar a todas as partes do compressor.
■ Mantenha sempre o compressor nivelado para poupar desgaste de seu sistema de amortecimento.
■ Só dê partida no compressor quando for iniciar as atividades.
Fonte: Atlas Copco

Os pulmões de ar comprimido acoplados a compressores, são considerados vasos de pressão e estão sujeitos as exigências da Norma Regulamentadora NR-13 e devem ser inspecionados periodicamente por empresa especializada.Devemos efetuar algumas medidas de segurança, tais como;
■ Medição de espessura da chapa do vaso por Ultra-Som, para verificar perda de espessura da chapa do vaso;
■ Executar Teste Hidrostático, para verificar a resistência mecânica;
■ Calibrar e Revisar a Válvula de Segurança periodicamente, com emissão do certificado de calibração;
■ Os Manômetros devem ser periodicamente, revisadas e calibradas com certificado de calibração;
■ Manutenção e revisão dos Pressostatos;
■ Os responsáveis pelo manuseio do vaso de pressão, devem cumprir Estágio Prático Supervisionado de duração mínima de 100 horas;
■ Os drenos dos pulmões devem ser acionados diariamente, a fim de eliminar o condensado existente dentro do vaso.
■ Existem algumas exigências e cuidados que devemos cumprir, quando compramos um compressor acoplado a um vaso de pressão que está enquadrado na NR-13, devemos também tomar muito cuidado ao comprarmos estes equipamentos usados, sem documentação,manutenção e inspeção, pois o risco pode ser maior.
■ A documentação de construção do vaso deve estar à disposição para consulta pelo pelos auditores do Ministério do Trabalho - Fonte: Conerge - Inspeção e Engenharia
Vídeo
Em 10 de fevereiro de 2009- Dois trabalhadores de uma oficina estavam perto do equipamento quando houve a explosão. Um sofreu queimaduras no rosto e o outro foi ferido por estilhaços.

Marcadores: ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@2:06 PM

0 comments

domingo, julho 26, 2009

Caminhão com excesso de altura e viaduto

Uma série de acidentes com caminhões com excesso de altura ocorre no viaduto ferroviário localizada na cidade de Durham, Carolina do Norte. O viaduto situa-se próxima a confluência das ruas Gregson e Peabody.

O viaduto é da propriedade da ferrovia Norfolk Southern Railway, tem uma série de sinalização luminosa e limitador de altura com sensor eletrônico que avisa os motoristas com caminhões com excesso de altura. O viaduto tem altura de 4,35 m, considerado baixo, mas com sinalização indicando essa altura.

Dos 46 acidentes no cruzamento Durham, desde 2000, 30 foram causados por caminhões batendo no viaduto, de acordo com estatísticas elaboradas pelo Departamento de Estado dos Transportes. Os danos somaram mais de US $ 115.000.

Comentário:
O vídeo mostra como o motorista em geral desconhece totalmente o veiculo que dirige quanto a sua altura, carga excessiva, velocidade. Existe sinalização no local, mas ele não se preocupa dirigir com cautela, olhar as placas indicativas de trânsito. Dirige no piloto automático, sem preocupação. Em São Paulo tem esse mesmo problema, as marginais têm sinalização aérea e limitador de altura, mas os motoristas não se preocupam ler essas informações. Para a maioria dos motoristas a sinalização é apenas um enfeite.

Um estudo da Companhia de Engenharia de Trafego da cidade de São Paulo quanto à percepção de sinalização foi realizada uma pesquisa em determinada rua da cidade.
A pesquisa foi realizada em um ponto após uma curva, de modo não permitir que os motoristas percebessem a presença dos entrevistadores.

Através de canalização com cones, estreitou-se a pista no ponto de pesquisa de forma a permitir a abordagem aos motoristas. Um observador colocado em ponto estratégico indicava os veículos que passavam sobre a legenda, de modo a garantir que a pesquisa fosse aplicada somente aos condutores que tiveram a mensagem em seu campo visual.

As entrevistas foram realizadas em dias claros, com tempo bom. Foram aplicados 50 questionários no total, em duas datas, no período da tarde. Na aplicação do questionário, procurou-se deixar bem claro o objeto da pesquisa, através do texto.
Qual foi a ultima sinalização de solo pela qual você se recorda de ter passado?
Apenas 4% dos motoristas pesquisados, ou seja, 2 pessoas em um grupo de 50 citaram a legenda “DEVAGAR” como última que se recordava de ter visto, segundos após ter passado pela sinalização em questão.

Conhece as placas de sinalização

Vídeo:


Vídeo(1)

Marcadores:

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@10:43 AM

0 comments

sexta-feira, julho 24, 2009

Fábrica da AmBev é interditada por falta de higiene e segurança

A fábrica da AmBev, localizada na BR-135, em São Luís, Estado do Maranhão foi interditada parcialmente pela Vigilância Sanitária e pelo Ministério Público do Maranhão (MP) na quarta-feira, 15 de julho de 2009. Segundo o MP, a vistoria foi motivada por dois inquéritos abertos na promotoria de Defesa do Consumidor, que apontam a falta de condições de higiene para o funcionamento da empresa.

Foto: Tanque onde as garrafas são lavadas
Durante a vistoria organizada pelo Ministério Público local, foram encontrados os seguintes problemas:
■ As garrafas saem da máquina onde são lavadas e vão sendo conduzidas por uma esteira. Enquanto vão passando, do teto - que está caindo aos pedaços - despencam insetos e outros elementos infectos nos vasilhames
■ Falta de equipamentos de segurança. Os trabalhadores trabalhavam sem luva, toucas ou protetores auriculares.
■ Corpo de Bombeiros verificou a ausência de manutenção dos hidrantes e do sistema de pára-raios e a inexistência de sinalização de emergência. Fios elétricos expostos também foram encontrados.
■ A fábrica é muito suja, até o setor de limpeza é imundo.

Falta de higiene, irregularidades e interdição
A inspeção confirmou a causa da presença dos insetos nas garrafas: a sujeira no setor de engarrafamento - declarou a promotora de Justiça Lítia Cavalcanti, titular da 15ª Promotoria de Justiça de defesa do consumidor

Foto: Cacos de vidro foram encontrados no chão da fábrica

De acordo com a promotora Lítia Cavalcanti, foram encontrados insetos em cervejas engarrafadas na fábrica das marcas Skol e Brahma, fato constatado pelo Instituto de Criminalística e que tornam os produtos impróprios para o consumo.
No laboratório da fábrica, a Vigilância Sanitária encontrou produtos químicos com prazo de validade vencido, uma ameaça à qualidade das cervejas produzidas.
Diante de tais condições, o Ministério Público e a Vigilância Sanitária do Estado interditaram parcialmente a fábrica, as duas linhas de produção de cervejas em garrafas. Apenas o envase em lata continua, pois o processo é feito no interior de um equipamento, sem interferência do ambiente. A fábrica terá prazo de 48 horas para realizar as melhorias nos principais problemas apontados pela vistoria.
No setor de engarrafamento da AmBev, são produzidas as cervejas em garrafas de 600 ml das marcas Brahma, Antártica e Skol. Os produtos são distribuídos para todo o Maranhão e também para os estados do Pará e do Amapá. A interdição não afetará a produção de chope nem de latas de cerveja.

Foto: Falta de limpeza

O que diz a AmBev
Em nota publicada em jornais locais, a AmBev afirmou que opera com licença sanitária e alvará do Corpo de Bombeiros atualizados e em vigor. A AmBev informou ainda que atua sob os padrões internacionais de produção e que os produtos da empresa têm total garantia de qualidade.
Fontes: Ministério Público do Maranhão, 17 de julho de 2009

Comentário
Se acessarmos o site da AmBev encontramos o que a empresa imagina ou procura transmitir aos consumidores e para a sociedade sobre responsabilidade; “A AmBev é uma empresa que atua em diversos países e para manter unida nossa companhia, nossos funcionários devem agir com base em valores e objetivos comuns. Isso se reflete nas atitudes diárias adotadas por todas as pessoas que fazem parte da AmBev e assumem um termo de compromisso com os padrões descritos em nosso Código de Conduta de Negócios”. O Código de Conduta de Negócios é o nosso compromisso com uma atuação responsável, ética, transparente e de respeito mútuo entre nossos profissionais. Esse valor também inclui a responsabilidade perante os consumidores, expressa no investimento para colocar no mercado produtos de alta qualidade e criar canais eficazes para acolher suas eventuais reclamações.

Os portfólios das empresas na internet lembram muito os calendários com fotos de mulheres bonitas. Hoje em dia com o programa photoshop qualquer imperfeição desaparece. É o marketing do botox, é o marketing da simulação, o importante não é o que as coisas são, e sim o que parecem ser ou procuram transmitir para que os outros pensem que sejam, no caso da AmBev, produto de alta qualidade, atuação responsável, etc

E a atuação do Ministério do Trabalho? Parece-me que não existe uma programação de vistoria? Ou ele atua somente com a posse da caixa preta, que é aberta depois do desastre?

Como no Brasil todos os problemas discutem em volta de uma mesa repleta de pizzas, a segurança do trabalho faz parte desse contexto e tudo termina em pizza.
É a velha discussão brasileira quanto à segurança do trabalho;
■ Falta de recursos dos órgãos responsáveis,
■ Falta de fiscalização,
■ Falta de aplicação das normas de segurança e
■ Falta de prevenção.
■ Falta de gerenciamento de segurança
■ Falta de cultura de segurança da empresa

Marcadores: , ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@7:43 AM

0 comments

quarta-feira, julho 22, 2009

Nasa e tecnologia a serviço da sociedade

Muitos criticam o desperdício de dinheiro no programa espacial, que poderiam resolver o problema da fome no mundo, porém esquecem que desde a corrida espacial houve transferência de tecnologia para a sociedade em geral.
A Nasa demonstrou que os projetos espaciais traduziram em benefícios concretos para a sociedade.
As áreas beneficiadas foram:
■ saúde e medicina;
■ transporte;
■ segurança pública;
■ consumidor, casa e recreação;
■ meio ambiente e recursos agrícolas;
■ tecnologia de computação e produtividade industrial.

■ Segurança Alimentar: A Nasa desenvolveu um sistema de segurança alimentar que foi utilizado para controlar a comida dos astronautas nas missões espaciais. O sistema é chamado HACCP - Hazard Analysis and Critical Control Point (análise de perigo e ponto de controle crítico) e é aplicado pela FDA, órgão que controla alimentos e medicamentos nos EUA, e por instituições semelhantes em vários países. Abrange práticas de segurança alimentar, temperaturas mínimas de cozimento para eliminar bactérias e métodos para lidar com situações de emergência envolvendo alimentação. O HACCP tornou-se padrão de segurança alimentar no mundo inteiro.

■ Comunicações: Satélites
A Nasa vem aprimorando sua tecnologia de desenvolvimento, lançamento e manutenção de satélites artificiais em órbita terrestre.
Principais aplicações:
■ as comunicações telefônicas de longa distância, um sistema mundial cada vez mais abrangente, e com chamadas claras e confiáveis.
■ as conexões de TV, de dados e o sistema GPS.
■ satélites da NOAA (National Oceanic and Atmospheric Administration) vêm monitorando condições e padrões de mudanças climáticas de modo a melhorar as previsões de furacões e sistemas tropicais, analisando suas rotas, efeitos e intensidade.

Tratamento médico: Luz mágica
Uma nova tecnologia de iluminação desenvolvida pela Nasa em experimentos de crescimento de plantas no espaço está sendo aproveitada no tratamento de tumores cerebrais e de pele, e em outros problemas médicos tais como tratamento de ferimentos. A técnica está aprimorando procedimento de quimioterapia chamado terapia fotodinâmica, que usa feixes luminosos para ativar medicamentos que matam tumores cancerosos. Antes essa terapia usava fonte de luz laser, mas a nova origem luminosa por LEDs é mais eficiente, versátil e barata.

Análise estrutural: Nastran
O software de análise estrutural desenvolvido pela agência, chamado NASTRAN (NAsa STRuctural ANalysis), se tornou quase um padrão nesse ramo da ciência. Ele permite economizar tempo e dinheiro por usar um método de projeto computadorizado para identificar pontos fortes e fracos na estrutura de um produto antes dele ser fabricado. O NASTRAN foi desenvolvido originalmente para os voos espaciais e as versões comerciais que se sucederam são usadas para projetar;
■ fábricas de produtos químicos, refinarias,
■ trens, aviões-caças,
■ automóveis,
■ caixas acústicas, guitarras elétricas e
■ arranha-céus. O software foi escrito originalmente na linguagem Fortran e tem milhões de linhas de código. No final dos anos 60, a empresa MSC (MacNeal-Schwendler Corporation)

Acelerômetros: Mems
Sistemas microeletromecânicos (Mems = MicroElectroMechanical Systems) são dispositivos e sensores minúsculos, de tamanho comparável à espessura de um fio de cabelo humano. Começaram a ser desenvolvidos quando a Nasa estava quebrando a cabeça com miniacelerômetros para medir mudanças de velocidade em pequenos objetos e avaliara atividade física de pessoas e animais durante voos espaciais. Atualmente, a tecnologia Mems é usada em produtos corriqueiros;
■ airbags em automóveis,
■ marcapassos cardíacos e
■ até lavadoras e secadoras de roupas.
Mais de 85 patentes fazem referência ao invento original da Nasa, sendo a mais antiga de 1975 e a mais recente de 2003.

Oftalmologia e Medicina em geral
Uma pesquisa da Nasa envolvendo física dos fluidos permitiu avanços à oftalmologia. Trabalhando com efeitos do ambiente espacial em sistemas coloidais (pequenas partículas sólidas suspensas em líquidos), pesquisadores da agência encontraram aplicações na detecção de catarata, uma condição degenerativa visual comum em idosos. Os instrumentos usados pela Nasa na pesquisa com colóides permitem identificar condições perigosas de catarata em estágio anterior do desenvolvimento da doença. O próximo passo é usar a técnica em terapias não cirúrgicas e na detecção prematura de outras doenças oculares, diabetes e até Mal de Alzheimer. O motivo da pesquisa original era o alto risco de os astronautas desenvolverem rapidamente catarata como efeito colateral à exposição a radiação em voos espaciais de longa duração.

Ranhuras: Grooving, evitar aquaplanagem
Pesquisadores da Nasa determinaram que abrir ranhuras em pistas de pouso de aeronaves reduz o risco de aguaplanagem . As ranhuras, que criam canais para drenagem do excesso de água da chuva, melhoram acentuadamente o atrito das rodas do trem de pouso em condições de pista molhada. Atualmente centenas de aeroportos comerciais no mundo inteiro têm ranhuras em suas pistas.
A técnica é usada
■ curvas em autoestradas,
■ rampas, degraus,
■ fábricas e estábulos.
O uso de ranhuras em estradas de rodagem permitiu uma redução de 85% no número de acidentes. Essa é uma das mais bem sucedidas tecnologias da Nasa em termos de salvar vidas e acidentes evitados.

Tesoura hidráulica: desencarcerador
A tecnologia usada para desconectar e separar em vôo os grandes tanques de combustível do ônibus espacial deu origem à ferramenta atualmente usada para remover vítimas presas em ferragens em acidentes rodoviários e outras situações de perigo. Conhecida pelo nome de "desencarcerador", a tesoura hidráulica também tem sido usada por equipes de resgate em busca de sobreviventes em locais de desabamentos de estruturas, desastres aéreos, terremotos e atentados

Aparelhos ortodônticos invisíveis
Ter os dentes em ordem costumava significar encher a boca de metal. Os aparelhos invisíveis chegaram ao mercado em 1987, e agora existem várias marcas.
Feito de alumina policristalina translúcida (TPA), material desenvolvido pela Nasa para proteger a antena infravermelha de mísseis de rastreamento térmico, os aparelhos ortodônticos invisíveis estão na boca de qualquer pessoa .
Os aparelhos ortodônticos invisíveis são feitos de alumina translúcida policristalina (TPA).
Lentes resistentes a arranhões
As lentes resistentes a arranhões surgiram de tecnologia desenvolvida para proteger equipamentos espaciais e capacetes de astronautas
A sujeira e as partículas encontradas nos ambientes espaciais, levou a Nasa a desenvolver um revestimento para proteger os equipamentos no espaço, particularmente os visores dos capacetes dos astronautas.

Espuma inteligente
O plástico de silício-poliuretânico de célula aberta (espuma de poliuretano de alta resistência), que ficou conhecido como espuma espacial, foi criado para uso nos assentos das espaçonaves da Nasa com a finalidade de diminuir o impacto durante os pousos. A espuma tem uma propriedade única que permite que ela distribua igualmente o peso e a pressão em seu topo, o que proporciona absorção de choque. Mesmo depois de ter sido comprimida para 10% de seu tamanho, a espuma com memória retornou à sua forma original. Além da memória, a espuma absorve o calor do corpo, mantendo-se sempre em uma temperatura agradável.
Utilidade:
■ Os médicos podem moldar a espuma para suportar pacientes, enquanto reduzem a pressão de certas partes do corpo para evitar escaras, por exemplo.
■ Algumas empresas também integraram a espuma Tempur a próteses de braços e pernas porque ela tem a mesma aparência e comportamento da pele, diminuindo a fricção entre a prótese e as juntas.
■ Outros usos comerciais da Tempur incluem banco de motocicletas, proteção para pilotos de corrida e revestimento interno para capacetes de jogadores de futebol americano.
■ A espuma Tempur é encontrada em várias marcas de colchões, travesseiros e almofadas.

Termômetro de ouvido
O termômetro auricular usa raio infravermelho para medir a temperatura que irradia do tímpano
Em 1991, os termômetros infravermelhos que você coloca no ouvido conquistaram o mundo ao simplificar e agilizar o processo de tirar a temperatura de uma pessoa - principalmente de crianças e bebês.
A Diatek, que desenvolveu o primeiro desses tipos de termômetros, viu a necessidade de reduzir o tempo gasto pelas enfermeiras medindo temperatura dos pacientes. Com cerca de 1 bilhão de temperaturas tomadas nos hospitais americanos anualmente e um número de enfermeiras cada vez menor, a empresa se viu obrigada a começar a cortar os preciosos minutos gastos na observação da subida do mercúrio do termômetro tradicional. Em vez disso, a Diatek tirou vantagem dos avanços anteriores da Nasa na medição da temperatura de estrelas com a tecnologia de infravermelho.
Junto com o Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa (JPL), a empresa inventou um sensor infravermelho que serve como termômetro. Os termômetros auriculares tomam nossa temperatura medindo a quantidade de energia que o tímpano desprende dentro do canal do ouvido. Já que o tímpano está dentro do nosso corpo, ele atua como um sensor eficaz da energia interna, que aumenta quando nós ficamos doentes. Os modelos para hospital podem medir a temperatura em menos de dois segundos..

Palmilha de tênis
A tecnologia das botas espaciais foi aplicada às palmilhas de tênis, que absorvem o impacto das passadas dos atletas
A roupa espacial projetada para as missões Apollo incluía botas especialmente feitas para proporcionar um salto nos passos dos astronautas ao mesmo tempo em que forneciam ventilação. As empresas de calçados esportivos adotaram esse tecnologia para construir tênis melhores, que absorvem o impacto nos pés e pernas.

Detector de fumaça ajustável
A Nasa e a empresa Honeywell desenvolveram o detector de fumaça para a primeira estação espacial americana, a Skylab
Os engenheiros da Nasa sabiam disso quando estavam projetando a Skylab nos anos 70. A Skylab foi a primeira estação espacial americana, e os astronautas precisariam saber se um incêndio havia começado ou se gases venenosos estavam sendo liberados dentro do veículo. Em parceria com a Honeywell Corporation, a Nasa inventou o primeiro detector de fumaça ajustável com diferentes níveis de sensibilidade para prevenir falsos alarmes.

Ferramentas sem fio
As missões Apollo à Lua levaram a Black & Decker e a Nasa a desenvolver e aprimorar ferramentas sem fio
Quando você está aspirando a poeira ou migalhas em casa com um aspirador sem fio, na verdade você está usando a mesma tecnologia que os astronautas usaram na Lua. Embora a Black & Decker tenha inventado as primeiras ferramentas à pilha em 1961, a pesquisa relacionada da Nasa ajudou a redefinir a tecnologia que levou a instrumentos médicos leves e sem fio, aspiradores de pó e outras ferramentas.
Em meados dos anos 60, para preparar as missões à lua Apollo, a Nasa precisou de uma ferramenta que astronautas pudessem usar para obter amostras de rochas e solo.
A furadeira tinha de ser levíssima, compacta e poderosa o suficiente para cavar fundo na superfície lunar. A Nasa e a Black & Decker inventaram uma furadeira de motor magnético movida à bateria. Trabalhando com o contexto de ambiente espacial limitado, a Black & Decker desenvolveu um programa de computador para a ferramenta que reduziu a quantidade de energia gasta durante o uso para aumentar a vida útil da bateria.
Depois do projeto com a Nasa, a Black & Decker aplicou os mesmos princípios para fazer outras ferramentas leves movidas à bateria para o uso diário dos consumidores.

Filtros de água
Os astronautas precisavam de uma maneira de limpar a água que eles levavam para o espaço, já que bactérias e doenças seria altamente problemáticas. A tecnologia de filtrar água já existia desde o começo dos anos 50, mas a Nasa queria saber como limpar a água em situações mais extremas e mantê-la limpa por períodos mais longos de tempo.
Este filtro de carvão ativado contém íons de prata que neutralizam patógenos na água. Além de matar as bactérias na água, os filtros previnem o crescimento de mais bactérias. As empresas utilizaram essa tecnologia espacial para os sistemas de água filtrada usados por milhões de pessoas em todo o mundo.

Roupa de bombeiro
Os trajes usados pelos bombeiros para combater incêndios são feitos de um tecido resistente ao fogo desenvolvido para uso em roupas espaciais.

Geração de imagens médicas
A Nasa desenvolveu meios de processar os sinais que vinham das naves espaciais para produzir imagens mais claras. Essa tecnologia também permite produzir imagens fotográficas de nossos órgãos, como as vistas em uma ressonância magnética ou em uma tomografia computadorizada.

Botas e luvas térmicas
Têm elementos de aquecimento que funcionam com baterias recarregáveis usadas no interior do pulso das luvas ou incrustadas na sola da bota de esqui. Essa tecnologia foi adaptada do desenho de um traje espacial para os astronautas das naves Apollo.

Roda aerodinâmica para bicicletas
Uma roda especial para bicicletas utiliza uma pesquisa sobre aerodinâmica das asas de uma espaçonave e um software de design para programa espacial. Os três travões na roda atuam como asas, tornando a bicicleta mais eficiente para corridas.

Controles de joystick
Os joysticks são usados para muita coisa hoje em dia, inclusive jogos de computadores e veículos para pessoas com deficiência. Eles evoluíram de uma pesquisa para desenvolver um controle para o veículo lunar Apollo.

Fonte: Globo Online, 20 de julho de 2009 e HowStuffWorks

Vídeo
Mostra algumas tecnologias com transfêrencias de benefícios para a sociedade

Marcadores: ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@12:47 PM

0 comments

segunda-feira, julho 20, 2009

Em 20 de julho de 1969, o homem pisa na Lua pela 1ª vez


Em 16 de julho de 1969 (9h32), o foguete Saturno V, transportando a espaçonave Apollo 11, foi lançado do Centro Espacial Kennedy, na Flórida. Ele transportava o módulo de comando e serviço, que alojava os astronautas, e o módulo lunar que Armstrong e Aldrin utilizariam para o pouso na Lua. Depois de completar uma órbita e meia em torno da terra, o terceiro estágio do Saturno V voltou a ser acionado e colocou a Apollo 11 no caminho da Lua. Pouco depois, o módulo de comando, conhecido como Colúmbia, separou-se do foguete, reverteu sua posição e se conectou pelo nariz ao módulo lunar, o Eagle. A espaçonave combinada assim formada prosseguiu em seu percurso.

19 de julho - a Apollo 11 entrou na órbita da Lua. Depois de 24 horas em órbita e de uma verificação dos sistemas e da comunicação no módulo lunar, Armstrong e Aldrin separaram o Eagle do Colúmbia, e se prepararam para o pouso na superfície lunar. Collins ficou no Colúmbia, para servir como elo de comunicação entre o módulo lunar e o controle da missão, na Terra.

20 de julho (16h17) - 102 horas depois do lançamento, Armstrong e Aldrin pousaram no Mar da Tranqüilidade, uma planície de lava na superfície da Lua. Armstrong enviou sua famosa mensagem ao controle da missão: "Houston, aqui Base Tranqüilidade. O Eagle pousou". Pouco minutos depois, os dois astronautas começaram os procedimentos para um cancelamento de emergência da missão e retorno ao módulo de comando, para o caso de alguma emergência. Depois, desativaram os sistemas do módulo.

Seis horas e meia mais tarde. Armstrong deu seus primeiros passos na superfície da Lua.

Assim que Aldrin se uniu a Armstrong na superfície da Lua, os dois astronautas começaram a coletar material. Enquanto trabalhavam, anotavam as diferenças entre a gravidade lunar e a terrestre. Como a gravidade da Lua equivale a 1/6 da terrestre, os astronautas tinham de se mover com passos lentos ou saltando com os dois pés, como cangurus.

Na Lua, Armstrong e Aldrin criaram uma imagem que entrou para a História, quando instalaram uma bandeira dos Estados Unidos. A tarefa foi menos fácil do que pareceu. A estaca penetrou facilmente no solo da Lua por 10 ou 15 centímetros, mas depois surgiu resistência. Os astronautas tiveram de incliná-la ligeiramente para que ficasse no chão.

Durante o período passado na Lua, eles recolheram cerca de 22 quilos de material lunar, fotografaram a área do pouso, montaram equipamentos e extraíram duas amostras do subsolo lunar. Deixaram para trás um disco com 73 mensagens de países do mundo, um distintivo da Apollo 11, medalhas de cosmonautas russos e um símbolo da águia norte-americana levando um ramo de oliveira.

21 de julho (1h54) - 21 horas depois do pouso, Armstrong e Aldrin decolaram da Lua, deixando o estágio inferior do módulo lunar para trás. Dentro do módulo, eles voltaram à órbita do satélite, onde se acoplaram ao módulo de comando e serviço e depois soltaram o Eagle no espaço.

24 de julho - a Apollo 11 entrou em órbita da Terra a uma velocidade de 11.031 metros por segundo e pousou no Oceano Pacífico às 12h51.

Ao voltar à Terra, a tripulação da Apollo 11 ficou em quarentena. Os astronautas conversaram com o presidente Nixon pela janela do veículo de quarentena.

Apolo11 - Lançamento NASA

Fonte: Howstuffworks

Comentário
O momento mais histórico é quando Neil Armstrong proclama a mais célebre frase do Século 20: "Este é um pequeno passo para o Homem; um salto gigantesco para a Humanidade". Eram 23:56 do dia 20 de julho de 1969.

Existe toda uma mística que o pouso do módulo lunar na Lua foi uma montagem ou falsificação do Programa Apollo, chamada de teoria da conspiração.
Vista da Terra elevando-se desde o horizonte da Lua; alguns teóricos da conspiração afirmam que imagens como estas seriam falsas, porque não aparecem estrelas (isto se deve ao fato da superfície da Lua estar iluminada pelo Sol, cuja luminosidade ofusca qualquer outro brilho menor e que não é captado pela lente fotográfica, regulada para equalizar a luz solar).As acusações de falsificação nas alunissagens do Programa Apollo constituem uma teoria de conspiração que afirma que as alunissagens do programa Apollo jamais ocorreram, à medida que teriam sido falsificadas pela NASA. Todos os cientistas, técnicos e interessados na história da exploração espacial tem rechaçado estas afirmações qualificando-as de infundadas e de não possuir caráter científico. Fonte: Wikipédia

Controvérsias
1. Por que a bandeira norte-americana tremula em um dos vídeos se não há vento na lua?
2. Por que não há estrelas no céu, se elas deveriam ser mais visíveis na Lua, onde não tem atmosfera?
3. Por que as sombras estão em diferentes direções, como se houvessem duas fontes de luz, quando a cena toda deveria ser iluminada apenas pelo Sol?
4. O filme usado nas máquinas fotográficas não suporta as temperaturas extremas da Lua.
5. Pegadas não se formam em ambiente sem umidade.
6. A conversa entre astronautas e a base terrestre aconteceu em tempo real, sendo que esta tecnologia não existia na época.
7. Há evidência de formação de penumbras na Lua, o que não pode acontecer em um ambiente sem oxigênio.
8. A tecnologia existente na época (1969) era inferior à tecnologia de um telefone celular moderno.
9. As missões Apollo aconteceram todas durante o governo Nixon, e a sua história o condena.

Respostas

A teoria da conspiração lembra muito a Inquisição, o Obscurantismo que predominaram no início do conhecimento científico.
Os iniciadores do conhecimento cientifico e da ficção científica deram um pequeno passo para o grande conhecimento que a humanidade tem atualmente sobre ciência e tecnologia.

Vídeo

Marcadores: ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@10:35 AM

0 comments

sábado, julho 18, 2009

Motorista e falha humana

Com toda segurança existente no veiculo, tais como; freio ABS, estabilidade, airbag, continuam provocar acidentes. Os acidentes não reduziram na proporção em que eles deveriam reduzir, em relação à segurança existente.

Vídeo:
O vídeo mostra a manobra de uma motorista para entrar na vila. Ela perdeu a direção do veiculo e conseguiu tombar o veículo em baixa velocidade. Os acidentes acontecem de forma mais inesperada possível. Não existe lógica, mas os acidentes seguem com suas próprias leis.

Marcadores:

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@2:40 PM

0 comments

sexta-feira, julho 17, 2009

Taga: veiculo multifuncional

É um belo projeto, prático e funcional. Lembra muito a praticidade e rapidez da transformação do brinquedo Transformer. O projeto e design são de uma empresa holandesa e ganhou o premio de design Eurobike 2008 Award. É uma bicicleta ou bike com múltiplas funcionalidades, denominada Taga. Você tem um carrinho de criança ou um carrinho de compras ou uma bicicleta. É um projeto genial

Resumo:
Taga é uma bicicleta ou bike ecológica que pode ser convertido em um carrinho de criança ou carrinho manual. Taga permite aos pais passear facilmente e com segurança com seus filhos e levando objetos pessoais na cidade, deixando seu carro em casa ou estacionado. Quando chegar a qualquer edifício, como uma loja, café ou playground interno, Taga pode ser transformado em um carrinho padrão de criança em poucos segundos, o que lhes permite entrar no prédio, usar elevador ou subir as escadas. Taga também pode ser levado em transporte público ou no porta‑mala do carro.

Acessórios: bancos para duas crianças, assento, cesto para compras e outras coisas. Taga é uma solução verde, pode ir para qualquer lugar, pedalando, empurrando e usando transporte público.

O que é Taga
Taga é um veiculo urbano multifuncional, projetado especificamente para as necessidades dos pais atuais e crianças. Taga combina os benefícios extras de um carrinho de criança e uma bicicleta de transporte (crianças, objetos, compras) para criar uma nova modalidade de transporte.

Confiável
Segura, confiável e divertida, Taga permite a locomoção dos pais e filhos facilmente na cidade, transformando num típico passeio diário numa aventura.

Fácil locomoção
Quando chegar ao local pretendido, seja uma loja, café, playground ou em casa de um amigo, Taga converte-se em questões de segundos em um carrinho de criança, permitindo que os pais e crianças entrem nas instalações, entrem no elevador ou subir escadas. Não há necessidade de guardar Taga ou deixar para trás.
Taga também pode ser levado no metrô, trem, ônibus ou qualquer tipo de transporte público, alcançando-os pedalando.

A diferença; Taga
Taga é capaz de transportar em longas distâncias do que simplesmente um carrinho de criança - e oferece divertimento para os pais e crianças.
Taga é mais modular, manobrável e confortável do que uma bicicleta - e muito mais seguro para pedalar com crianças
■ Taga tem um custo mais eficaz e melhor para o meio ambiente do que um carro - e para o seu bem-estar.

Emoções em movimento
■ Taga oferece experiência dupla; movimento e emoção
■ Pais e as crianças podem conversar enquanto pedalam criando maior afetividade.
■ Circulando com Taga e explorando a cidade juntos, cada passeio torna-se um passatempo agradável e compartilhado.
■ Verdadeiramente uma experiência enriquecedora para a família.

Fonte: Taga

Vídeo

Marcadores:

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@6:52 AM

0 comments

segunda-feira, julho 13, 2009

Caça à baleia, pesquisa cientifica, macarrão bolognesa com carne de baleia

O governo japonês se reserva o direito de lançar a frota anualmente baseado em questões culturais. Segundo o governo, usamos as baleias de forma sustentável, pois fazemos pesquisa de acordo com a Convenção das Baleias.

A captura de baleias pelo Japão em sua mais recente caçada na Antártida ficou abaixo da meta do país após manifestações de ativistas contra a caça desses cetáceos, disse a Agência Pesqueira do Japão em 13 de abril de 2009..

O Japão, que considera esse tipo de caça uma estimada tradição cultural, matou 679 baleias da espécie minke, apesar dos planos de caçar cerca de 850 animais. O país também pescou apenas uma baleia-comum (ou baleia-fin), contra uma meta de 50 estimada no início da caça, em novembro.

Alguns navios da frota japonesa de seis embarcações retornaram para casa após conflitos com o rigoroso grupo Sea Shepherd Conservation Society, incluindo uma colisão que danificou um dos navios japoneses.

A Agencia Pesqueira japonesa disse que os navios não continuaram com a pesca em um total de 16 dias, devido ao mau tempo e aos conflitos com os ativistas.

O Japão interrompeu oficialmente o comércio de pesca de baleias após entrar em acordo com uma moratória global em 1986, mas começou no ano seguinte o que é chamado de um programa de pesca científica de baleias para pesquisa. A carne de baleia pode ser encontrada em alguns supermercados e restaurantes japoneses.

A Islândia retomou a caça comercial das baleias em 2006 e é um dos dois únicos países, junto com a Noruega, a autorizar a caça explicitamente para o comércio da carne. Nenhum dos dois países reconhece a autoridade da Comissão Baleeira Internacional (CBI).

Pesquisa cientifica ou gastronômica?
Depois de abatidas, boa parte delas chega em forma de filé ao mercado consumidor japonês, onde há muitos apreciadores da iguaria. De coloração vermelha, ela é quase tão saborosa quanto à carne bovina, na opinião dos gourmets.

Capacidade lenta de reprodução da baleia
O status de preservação de cada espécie não leva em conta apenas a quantidade, mas também a capacidade de reprodução e o ambiente onde vive cada grupo de cetáceos. Em geral, eles são animais com desenvolvimento demorado. Podem viver até 70 anos e sua capacidade de reprodução é bastante limitada. As fêmeas das baleias só atingem a maturidade sexual entre 8 e 15 anos de idade. Elas têm somente um filhote de cada vez. E levam no mínimo três anos para poder parir novamente.
Os cetáceos têm estruturas sociais igualmente mais elaboradas. Uma baleia morta pode fazer falta às que ficam, afirma os especialistas.
Diante do apetite dos arpões, esse relógio pode ter-se tornado lento demais para garantir a perpetuação da espécie.

Caça a baleia
Num aspecto estão todos de acordo: a corrida descontrolada às baleias, foi desastrosa. Iniciou-se de forma artesanal, com embarcações a remos e arpões manuais. Hoje, com navios baleeiros mais rápidos, armas modernas e navios-fábrica elevaram a exploração a níveis extremos e ficaram mais fáceis de caçar baleias..
■ Em 1931, já se abatiam cerca de 40 mil animais por ano - sobretudo por frotas da Noruega, Reino Unido e países da Commonwealth, como Austrália e África do Sul.
■ Em 1946 criou a Convenção para a Regulação da Caça à Baleia. Dele nasceu a Comissão Baleeira Internacional (CBI), com o objetivo de zelar pela preservação dos estoques, de modo a manter a atividade da caça.
■ Em 1962, atingiu-se o recorde de 66 mil baleias mortas, equivalente a 226 mil toneladas - a maior parte, pelo Japão, Rússia e Noruega.
■ Em 1982, adotou a moratória à caça comercial, ainda em vigor.
■ Em 1986, entra em vigor da moratória que proíbe a caça comercial das baleias, votada pela CBI em 1982. Só se permite a caça "com objetivos científicos".
■ Em 1985 houve um declínio que reduziria o total a apenas 15 mil toneladas, equivalente a 5.000 baleias
■ Em 2006, o Japão matou 1.073 baleias minke, cuja carne terminou em restaurantes, supermercados, refeitórios escolares.
■ Em 2008, foram mortas 759 baleias.

Preservação das espécies
Ainda há dez anos, data da última estimativa da CBI, não havia mais do que 2300 baleias-azuis em todo o Hemisfério Sul. Da baleia-franca no Atlântico Norte há apenas três centenas de indivíduos.
Os países pró-caça defendem que, apesar de haver espécies em perigo, há outras mais abundantes. A própria Comissão Baleeira Internacional (CBI).reconhece.
As baleias-anãs contam-se às centenas de milhares. O último cálculo da CBI, de 1989, apontava para 760 mil no Hemisfério Sul. É nos mares da Antártida, que o Japão caça algumas centenas por ano, para um programa científico contestado por ambientalistas.

Fontes: O Estado de São Paulo - 3 de fevereiro de 2009, Ultima Hora - Portugal , 22. de junho de 2009,

Vídeo
Mostra os restaurantes com cardápios incomuns que oferecem delicados pratos que englobam do tradicional sashimi ao espaguete à bolognesa – todos com a carne de baleia.
Da pesquisa cientifica para pesquisa gastronômica?

Vídeo (1):
Mostra como se caça a baleia. O navio baleeiro caça a baleia e depois transfere para o navio-fábrica, onde processa a baleia, corta e embala para o mercado japonês. O sistema de caça a baleia é uma máquina mortífera com toda tecnologia disponível para caçar e matar a baleia.

Marcadores: ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@8:38 PM

0 comments

sábado, julho 11, 2009

Trabalhadores morrem asfixiados com gás de aquecedor

Três homens morreram na madrugada de quarta-feira, 8 de julho de 2009, no alojamento de um espaço de eventos, em Campos do Jordão, na região serrana, no Estado de São Paulo, aparentemente asfixiados pelo vazamento de gás de um aquecedor.

De acordo com a Polícia Militar, na manhã de quarta-feira, uma funcionária encontrou os trabalhadores já mortos em uma das duas casas usadas como alojamento para quem trabalha no espaço de eventos. Eles trabalhavam na instalação do local, de responsabilidade da WDB Group.

Emergência
Eles chegaram a ser levados por uma unidade de resgate para um hospital, mas já chegaram mortos no local.

Foto: Modelo de aquecedor a gás para em ambiente externo que foi usado pelos trabalhadores no alojamento. Eles retiraram um aquecedor portátil usado na área de eventos para aquecimento.

Aquecedor inadequado no quarto
De acordo com a Polícia Militar, os trabalhadores levaram um aquecedor portátil para o quarto quando foram dormir. Às 10h, eles foram encontrados inconscientes, mas chegaram mortos ao pronto socorro. O aquecedor era próprio para ser usado em ambientes abertos. Em um local fechado, como é o alojamento em que os três rapazes estavam, todo o oxigênio do local foi consumido em pouco tempo.
O local onde ocorreu o acidente funciona somente durante a temporada de inverno, onde acontecem eventos variados, de shows a oficinas de arte.
Fonte: Folha Online - 08 de junho de 2009

Comentário
A exposição a monóxido de carbono (MC) pode provocar perda de consciência e morte. Os sintomas mais comuns de envenenamento por MC são dores de cabeça, vertigens, fraqueza, náuseas, vômitos, dores torácicas e confusão. As pessoas que se encontrem dormindo ou tenham ingerido álcool podem morrer de envenenamento por MC antes de sentir os sintomas. Sugestões importantes
■ Nunca utilize forno a gás ou forno para aquecer uma casa.
■ Nunca utilize fogão a carvão, ou fogão ou aquecedor portáteis no interior da casa.
■ Nunca utilize um gerador ou qualquer motor que funcione a gasolina na garagem ou em estrutura fechada, mesmo que as portas e janelas estejam abertas, a não ser que o equipamento tenha sido instalado e o respectivo respiradouro colocado por profissionais. Mantenha os respiradouros e tubos livres de detritos, principalmente.
■ Nunca utilize um veículo motorizado, gerador, ou qualquer motor que funcione a gasolina próximo de uma janela ou porta aberta onde a fumaça poderá penetrar Fonte: Center Disease Control and Prevention

Morte doce
A morte por inalação de monóxido de carbono é conhecido como a "morte doce", produz-se sem que os afetados "se dêem conta do perigo" ao cair em "estado de estupor". Trata-se de uma morte muito doce que não dá sensação de aperto nem de asfixia e a maioria dos casos as vítimas não percebe do que está acontecendo e ocorrendo a inalação, provoca paralisia nas pernas, que impede a saída do local para procurar ajuda. A "morte doce" pode ocorrer enquanto as pessoas dormem e, portanto, morrem sem acordar Os perigos dos vazamentos em espaços fechados e sem ventilação e, muito especialmente, nos banheiros. Neste sentido se há uma instalação de calefação a gás no banheiro, a chama que produz a combustão pode apagar-se devido ao vapor d'água, mas o gás segue saindo.

Primeiros Socorros
Remova a vítima imediatamente para um lugar descontaminado. Se ela estiver respirando, administre oxigênio pelo melhor método disponível (uma máscara de oxigênio seria o melhor). Se a respiração estiver fraca ou tiver parado, comece a fazer respiração artificial imediatamente e administre oxigênio simultaneamente (se for possível), mas não espere um médico ser encontrado para começar a respiração artificial.

Afinidade do monóxido de carbono com hemoglobina
A hemoglobina é uma substância localizada dentro dos glóbulos vermelhos do sangue e que transporta oxigênio e dióxido de carbono entre os pulmões e os tecidos corporais. Quanto certas substâncias químicas ou medicamentos são introduzidos na corrente sangüínea, eles podem alterar a hemoglobina e impedir sua função de meio de transporte entre os pulmões e os tecidos do corpo.
A carboxihemoglobina é a combinação de hemoglobina e monóxido de carbono, que tem muito mais afinidade por ela que o oxigênio (210 vezes mais). Grandes quantidades de monóxido de carbono no sangue resultam em envenenamento, ou seja, excesso de carboxihemoglobina no sangue, impedindo a transferência de oxigênio e tomando seu lugar nos glóbulos vermelhos.

Efeitos no organismo
A concentração de gás, o tempo de exposição, a intensidade da atividade física e a própria sensibilidade do indivíduo vão determinar a porcentagem de conversão de hemoglobina em carboxi-hemoglobina. Os efeitos produzidos dependem do grau e da duração da saturação do sangue com o monóxido de carbono. Os sintomas causados pela quantidade de carboxi-hemoglobina no sangue são dados na tabela ao lado.







Vídeo:
Mostra que nos USA morrem anualmente 500 pessoas devido a inalação de monóxido de carbono e cerca de 20.000 pessoas entram no setor de emergência para tratamento.

Marcadores: ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@1:16 PM

0 comments

quinta-feira, julho 09, 2009

Lixo da Inglaterra para o Brasil

Mapa: Portos: Rota marítima do mercado de lixo tóxico

Rio Grande do Sul e São Paulo entraram no roteiro de importação de lixo internacional. Da Inglaterra veio 64 contêineres carregados com quase 1.200 toneladas de lixo industrial, tóxico e domiciliar. Os destinos no Brasil foram; Porto de Rio Grande, Rio Grande do Sul e Porto de Santos, São Paulo

Dos 64 conteineres , 40 foram desembarcados e retidos no porto do Rio Grande (RS), 8 foram no porto seco (aduana) de Caxias do Sul (RS) e 16 no porto de Santos (SP).

A carga foi importada por uma empresa de Bento Gonçalves e chegou descrita como polímeros de etileno para reciclagem.

No interior dos contêineres foram encontrados;
■ banheiros químicos prensados,
■ camisinhas, seringas,
■ cartela de remédios,
■ tambores
■ pilhas de bateria, entre outros,
■ além de material orgânico
■ brinquedos estragados

Conforme o chefe da Alfândega no porto Rio Grande, Marco Antônio Medeiros, a descrição da carga levava a crer que se tratasse de desperdício de indústria petroquímica que viria para reciclagem.

As 740 toneladas de lixo chegaram ao porto do Rio Grande no final de fevereiro de 2009 até o final de maio, em oito embarques diferentes, com uma média de cinco contêineres em cada embarque.

E foi descoberta pela Receita Federal a partir de uma denúncia anônima de irregularidade em uma carga deste tipo. Fiscais da Alfândega que fazem análise de risco passaram a procurar no sistema e descobriram qual era a importação.

Investigação
A carga partiu do porto de Felixstowe, um dos maiores do Reino Unido. Antes de chegar ao Brasil, o navio passou pelo porto de Antuérpia, na Bélgica. As investigações apontam que o lixo foi enviado por uma exportadora inglesa.
A carga entrou no país como se tivesse sido importada por duas empresas de Bento Gonçalves, Rio Grande do Sul. Mas o produto encomendado seria um plástico usado na fabricação de telhas. As empresas efetivamente não compraram aquilo que está nos contêineres. A documentação toda está em dia, está perfeita, porém o que não está perfeita é a mercadoria que está dentro do contêiner, afirmou a advogada das empresas, Silvana Werner.

Lixo retido
■ No porto seco em Caxias do Sul, chegaram quase 150 toneladas de resíduos em oito contêineres. Por ordem do importador, a empresa que fez o transporte recolheu as caixas e descarregou o material no pátio, a céu aberto, junto de outras cargas. O lixo agora está sob a guarda da Receita Federal até que tudo seja removido
■ No Porto de Santos, foram 16 contêineres com 290 toneladas de lixo.
■ No Porto do Rio Grande foram 40 contêineres com 740 toneladas de lixo

Devolução do lixo ao pais de origem e multa
O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) multou cinco empresas - duas importadoras e três transportadoras - em R$ 408 mil cada uma. O órgão pretende fazer com que as empresas devolvam o carregamento.
A carga terá que ser devolvida em dez dias ao país de origem no mesmo navio que a trouxe.
E queremos saber se houve importações anteriores desse lixo. Já foi aberto um processo administrativo e será aberta uma investigação criminal, já que a importação de lixo tóxico não pode ser feita sem autorização - afirmou Ana Angélica Alabarce, agente de fiscalização do Ibama de Santos.

Convenção de Brasiléia
Conforme Sandro Klippel, chefe do escritório regional do Ibama no Rio Grande do Sul, a convenção de Basiléia, da qual o Brasil e a Inglaterra são signatários, ficou acertado de que qualquer país pode proibir a entrada de lixo ou impor restrição ao ingresso de resíduos em seu território. E a Inglaterra não poderia deixar essa carga vir para cá.

Investigação policial
A Polícia Federal abriu inquérito para investigar o despejo de lixo nos portos brasileiros.

Fontes: Jornal Agora, Rio Grande, 29 de junho de 2009 e Globo Online, 08 de julho de 2009

Comentário
Enquanto os paises do primeiro mundo, geradores de lixo tóxico, discutem aquecimento global, degradação ambiental, eles indiretamente fazem negócios ilícitos ou fazem de conta não enxergam esse problema, que tornou um negocio ilícito altamente lucrativo. É uma forma de descarte do lixo para evitar problema ambiental no pais de origem para paises do terceiro mundo ou por meio de fraude. No ano de 2003, o tráfico de lixo rendeu bilhões de euros.
A Convenção da Basiléia proíbe a exportação de lixo tóxico dos países ricos para os países pobres e emergentes, mas é um negocio altamente lucrativo e também atende interesse do pais gerador do lixo como um meio de descarte de material a um custo baixo.

O mundo considerado civilizado e o lixo industrial
■ Em 1988, a Itália depositou dois mil barris de lixo radioativo em praias da Nigéria.
■ Em 1992 a Alemanha levou para a Romênia e a Albânia 350 toneladas de pesticidas velhos, porém foi forçada a recolhê-los depois que o caso se tornou público.
■ Em 19 de agosto de 2006, o navio Probo Koala desembarcou em Abidjan quase 400 toneladas de dejetos de refinaria, altamente tóxicos, distribuindo-as por nove depósitos de lixo da cidade de quatro milhões de habitantes. A embarcação pertence a uma empresa grega e trafega sob bandeira panamenha, porém fora fretada pela firma holandesa Trafigura. Após o escândalo, em outubro de 2006, o lixo volta para Europa, mais de 4500 toneladas de resíduos contaminados já foram retiradas de aterros sanitários em Abidjan, na Costa do Marfim. Material causou a morte de dez pessoas na cidade africana.
■ Lixo eletrônico. Aqui, as estratégias das empresas para encobrir a exportação ilegal são altamente criativas. Por exemplo, elas não declaram computadores obsoletos como lixo, mas sim com o fim de conserto ou reciclagem. "No porto de Hamburgo, há contêineres cheios de computadores não embalados, que certamente não estarão intactos ao serem descarregados", revela Michael Dreyer, da Sociedade de Cooperação Técnica (GTZ).
O lixo eletrônico é exportado sobretudo para a África Ocidental e a Ásia. "Na Nigéria, 85% dos componentes eletrônicos vindos do Oeste europeu ou da América do Norte acaba nos depósitos de lixo, onde são incinerados", acusa Andreas Bernstorff. Fonte: Deutsche Welle
■ Da Inglaterra pelo menos 23.000 toneladas métricas de resíduos de componentes clandestino ou sem marca foram ilegalmente transferidos em 2003 para o Sudeste Asiático, Índia, África e China, diz o relatório de Greenpeace.
■ Nos Estados Unidos, o Silicon Valley Toxic Coalition (SVTC), em grupo ambientalista contra a exportação de resíduos eletrônicos, estima que 50-80 por cento dos resíduos eletrônicos recolhidos para reciclagem está sendo exportado para os países em desenvolvimento.
■ No seu relatório "Exportando danos - lixeira de alta tecnologia da Ásia, lançado em 2002, o SVTC estima que entre 1997 e 2007, cerca de 500 milhões de computadores usados, em que se tornaram obsoletos nos EUA, lideraram na produção de mais de 600.000 toneladas de resíduos tóxicos, incluindo plásticos, chumbo, cádmio, cromo e mercúrio.

Vídeo:



Vídeo:
Mostra o comércio de lixo eletrônico na China. As pessoas manipulam metais, fiação, plásticos sem proteção. Queimam plásticos e inalam substancias tóxicas e corrosivas.

Marcadores: ,

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@12:59 PM

1 comments

terça-feira, julho 07, 2009

Incêndio em discoteca na China

O incêndio teve início às 21h25 (horário local) de segunda-feira, 25 de dezembro de 2000, em um estabelecimento comercial, o shopping Dongdu, situado na periferia da cidade de Luoyang. O fogo começou no subsolo e depois se propagou para os demais andares do prédio, atingindo uma discoteca no quarto andar, onde mais de 300 pessoas participavam de uma festa de Natal.

Causa
O fogo provavelmente começou no subsolo que estava sendo reformado para abrigar um novo mercado, disse Fang Shuangjian, diretor de Assuntos Externos da cidade de Luoyang. Segundo Fang, os pedreiros queriam terminar a obra antes do ano-novo chinês (meados de fevereiro) e "não teriam agido com o cuidado suficiente", por isso uma faísca de solda ou um curto-circuito podem ter causado a catástrofe. A causa do incêndio ainda está sendo investigada.

Vítimas
309 pessoas morreram (135 homens e 174 mulheres). A maioria das vítimas morreu asfixiada pela fumaça. Na tentativa de escapar das chamas, muitos jovens se jogaram pelas janelas do prédio. Sessenta pessoas conseguiram fugir e sete foram internadas com queimaduras de diversos graus e problemas respiratórios.

Pânico
O nightclub estava lotado no momento da tragédia. A popular Dongdu Disco estava quase às escuras e a música era tão alta que muitos dos que estavam lá dentro só perceberam o perigo quando já era tarde demais. O pânico tomou conta dos participantes da festa.
"Quando o incêndio começou, todo o salão virou um caos", disse Wang, uma sobrevivente que tinha as mãos ensangüentadas e o rosto enegrecido pela fumaça.
Ela conseguiu escapar pulando de uma janela, mas não sabia se o marido tinha conseguido se salvar.
Segundo testemunhas, apenas cinco ou seis pessoas tiveram coragem para pular do quarto andar do prédio, enquanto outras foram resgatadas pelos bombeiros nos estreitos corredores. Muitas ficaram agarradas às janelas, olhando para fora, desesperadas.
O Natal não é um feriado oficial na China, mas muitos, principalmente os jovens, costumam festejar a data reunindo-se com amigos, trocando presentes ou indo a restaurantes e clubes noturnos.

Falta de segurança
Moradores locais disseram que o prédio era um verdadeiro emaranhado de lojas e pequenos corredores repletos de caixas.

A segurança do edifício - construído na década de 80, com fachada de vidro e colunas de mármore - não havia sido aprovada numa inspeção realizada na semana anterior ao incêndio, por causa de diversas irregularidades:
■ corredores obstruídos
■ falta de sistemas de alarme contra incêndio e
■ e sistema de chuveiros automáticos.

Corpo de Bombeiros
Foram necessárias três horas e meia para que 750 bombeiros conseguissem extinguir as chamas. Inicialmente, apenas dois caminhões-pipa puderam aproximar-se do prédio, pois as ruas de acesso estavam bloqueadas por vendedores ambulantes.

Falta de fiscalização
As autoridades chinesas demonstram relaxamento na fiscalização com relação a restaurantes, casas noturnas e bares de karaokê que proliferam na China, geralmente com a cumplicidade da administração local e até mesmo de policiais envolvidos diretamente na administração desses estabelecimentos.

Saídas de emergência bloqueadas
Materiais de construção bloquearam as saídas de emergência e os corredores, contribuindo para aumentar a catástrofe.
Na tentativa de sair do prédio, muitas pessoas foram impedidas por causa do bloqueio das saídas de emergência com produtos estocados pelos comerciantes. Quase todos morrerem por asfixia,

Inquérito
As autoridades já abriram investigação para determinar as causas do incêndio, que pode ter sido provocado pela negligência dos operários que trabalhavam na reforma de uma ala para a construção de um supermercado no primeiro andar do shopping.

Fiscalização rigorosa após o incêndio
As autoridades chinesas pediram que fossem adotadas medidas rigorosas de segurança nos edifícios de acesso público durante os meses de inverno, depois que um incêndio matou mais de 300 pessoas na cidade de Luoyang.
O ministro da Segurança Pública ordenou aos governos locais que "não meçam esforços para garantir a segurança" e façam inspeções de hotéis, shopping centers e hospitais. Casas noturnas sem alvará de funcionamento ou que não passem na inspeção devem ser fechadas.

Polícia chinesa faz várias prisões no caso do incêndio em discoteca
As autoridades chinesas prenderam várias pessoas em conexão com o incêndio.
A televisão oficial chinesa diz que 20 pessoas foram indiciadas no caso.

Prisão para os responsáveis pelo incêndio
Um tribunal da China condenou 23 pessoas à prisão por responsabilidade no incêndio.
Segundo a imprensa estatal do país, a mais longa sentença foi de 13 anos de prisão, dada a Wang Chengtai, um soldador acusado de ter iniciado o incêndio e fugido sem acionar o alarme.

Fonte : O Estado de São Paulo, BBC Brasil, Folha de São Paulo, período de 27 de dezembro de 2000 a 22 de agosto de 2001

Comentário:
As deficiências de segurança encontradas na tragédia da discoteca chinesa, praticamente são as mesmas constatadas em outras discotecas no mundo. São as deficiências das autoridades competentes, isto é, o ciclo dos quatro F’s;
■ Falta de recursos dos órgãos responsáveis,
■ Falta de fiscalização,
■ Falta de aplicação das normas de segurança e
■ Falta de prevenção.

País é recordista em tragédias em casas noturnas
Incêndios em restaurantes, teatros, cinemas e discotecas têm sido freqüentes na década, com um saldo de milhares de mortos e feridos.
O incêndio do dia de Natal na província de Henan, que deixou 309 mortos, figura entre os piores acidentes desse tipo nos últimos 50 anos.
Segundo estatísticas oficiais, 971 pessoas já morreram em mais de 36 mil incêndios ocorridos na China durante os três primeiros trimestres de 2000.

Os piores incêndios na China nos últimos dez anos

■ Novembro de 1993: 87 operários morrem e 57 ficam feridos em um incêndio que destrói uma fábrica em Shenzhen (sul).
■ 27 de novembro de 1994: 234 pessoas morrem no incêndio de um clube noturno em Fuxin, província de Liaoning (nordeste).
■ 8 de dezembro de 1994: 324 pessoas, das quais 288 crianças em idade escolar, morrem no incêndio em um cinema da cidade de Karamay, situada na região autônoma de Xinjiang (noroeste).
■ 14 de março de 1995: pelo menos 30 mortos deixa o incêndio em um hotel situado em um centro comercial em Anshan (nordeste).
■ 24 de abril de 1995: 51 pessoas morrem em um bar de karaokê clandestino em Urumqi, a capital da província de Xinjiang.
■ 27 de novembro de 1996: 36 pessoas morrem no incêndio intencional em um prédio residencial de Xangai.
■ 21 de setembro de 1997: 32 mortos no incêndio intencional de uma fábrica de sapatos em Jinjiang, sudeste da China.
■ 29 de março de 2000: Pelo menos 74 pessoas morrem no incêndio em um cinema pornô em Yiazuo na província central de Henan.
■ 22 de abril de 2000: um incêndio em uma avícola de Qinzhu, província de Shandong (leste da China) provoca pelo menos 38 mortos e 20 feridos.
■ O pior incêndio ocorrido na China se deu em 18 de fevereiro de 1977, em um cinema de Xinjiang, causando 694 mortos.

Fonte: Folha Online - France Presse – 26 de dezembro de 2000

Os piores incêndios em discotecas no Mundo

■ Rhythm Nightclub, 23 de abril de 1940; Natchez, Mississippi, EUA; 209 mortes
■ Cocoanut Grove, 28 de novembro de 1942; Boston, Massachusetts, EUA; 492 mortes
■ Summerland Leisure Centre, 2 de agosto de 1973; Douglas, Ilha de Man; 51 mortes
■ Beverly Hills Supper Club, 28 de maio de 1977; Southgate, Kentucky, EUA; 165 mortes
■ Stardust, 14 de fevereiro de 1981; Dublin, Irlanda; 48 mortes
■ Alcalá 20 Nightclub, 17 de dezembro de 1983; Madri, Espanha; 82 mortes
■ HappyLand, 25 de março de 1990; New York , EUA; 87 mortes
■ Kheyvis Nightclub, 20 de dezembro de 1993; Olivos, Buenos Aires, Argentina; 17 mortes
■ Gothenburg Nightclub, 29 de outubro de 1998; Gothenburg, Suecia, 63 mortes
■ Luoyang Nightclub, 25 de dezembro de 2000; Luoyang, China; 309 mortes
■ The Station Nightclub, 20 de fevereiro de 2003; West Warwick, Rhode Island, EUA, 100 mortes
■ Cromagnon Republic Nightclub, 30 de dezembro de 2004; Buenos Aires, Argentina; 194 mortes
■ Wuwang Club, 21 de setembro de 2008; Shenzhen, China; 43 mortes
■ Bangkok Nightclub, 1 de janeiro de 2009; Watthana, Bangkok, Tailandia; 61 mortes

Vídeo
Simulação do incêndio na discoteca The Station Nightclub, 20 de fevereiro de 2003; West Warwick, Rhode Island, EUA, onde morreu 100 pessoas. Observa-se que neste tipo de incêndio, onde não há equipamentos de incêndios adequados e saídas de emergências suficientes, a maioria das pessoas morre asfixiadas.

Marcadores:

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@8:51 AM

0 comments

sábado, julho 04, 2009

Cuidados em dirigir com neblina e chuva

As férias de Julho já chegaram, é hora da família fazer os preparativos para viajar com segurança e conforto. Algumas precauções são importantes para que a viagem de carro seja tranqüila, pois nessa época do ano há muita neblina e chuva nas estradas.

Preste atenção nestas dicas:
Em primeiro lugar, é importante manter uma velocidade constante, pois se você parar ou diminuir bruscamente o carro que vier atrás pode não lhe ver e colidir na traseira do seu veículo.

Lembre-se sempre, que não é só o seu campo visual que está reduzido, o dos outros condutores também, então, qualquer manobra que você for fazer avise para os outros motoristas com muita antecedência.

Os faróis de neblina devem ser acesos somente quando necessário. Se isto acontece de dia, quando se está claro, é melhor não ligá-los, pois eles refletem muito no carro da frente deixando a situação pior (isto também é recomendável no caso de dias chuvosos). Este equipamento serve muito mais para que outros veículos o vejam do que para melhorar sua visibilidade.

No caso da neblina, mais luz não implica em melhor visão. Quando você acende os faróis altos, nesta situação, você fica apenas enxergando uma parede branca, então deixe as luzes baixas e lembre-se que tudo parecerá mais longe do que realmente está.

Outro fator importante é não ligar o pisca-alerta (como muitos fazem). Se você vir um carro com este equipamento ligado nunca saberá se ele está quebrado/acidentado (parado) ou em movimento (você perde as referências de distância).

O ABC para dirigir na neblina :

■ Importante: manter uma velocidade constante;
■ Parar: se você precisar parar o carro preste muita atenção no lugar que irá estacioná‑lo;
■ Tempo: avise com mais antecedência (do que o habitual) cada manobra que fará;
■ Visão dupla: as luzes antineblina não servem para melhorar sua visão e sim para que os outros motoristas te enxerguem;
■ Cuidados: não ponha seus faróis antineblina direcionados para o chão, prejudicará a sua visão e a dos outros;
■ Menos por mais: mais luz implica em menos visibilidade;
■ Referências: com a neblina as distâncias parecem maiores, com isso você perde referências;
■ Nunca: utilize o pisca-alerta se você estiver em movimento.

Como atravessar locais alagados
Quem já não ficou retido em um alagamento? Antes de colocar o carro na água, verifique as condições e a distância a ser atravessada. Só cruze o local se o nível da água estiver abaixo da metade da roda. Mesmo assim é preciso muito cuidado. Engate a primeira marcha e mantenha aceleração constante, sem tirar o pé do acelerador, para a água não entrar no sistema de escapamento. Durante a travessia ande bem devagar. Se correr, há o risco da água ser lançada para dentro do cofre e gerar uma pane no sistema elétrico, fazendo o motor apagar. Outro risco mais sério: o bocal do filtro de ar pode sugar essa água para dentro dos cilindros e provocar um calço hidráulico, travando os pistões e danificando irremediavelmente o motor.

Enfrentando temporal na estrada
Copas de árvores se agitando de um lado para outro é sinal de ventos fortes. Reduza a velocidade na estrada e fique preparado para surpresas. Seu carro pode ser envolvido a qualquer momento por uma tempestade, chuva de granizo ou vendaval. No início, as gotas de chuva se misturam à poeira do asfalto e deixam o piso bastante escorregadio. Quando caírem os primeiros pingos de água acenda os faróis e acione os limpadores de pára-brisa. Se a tormenta se intensificar evite estacionar no acostamento. Procure um local seguro, como uma área de descanso para parar o carro. Atenção: os vendavais costumam jogar galhos na pista e provocar danos aos veículos.

Como evitar embaçamento dos vidros
O embaçamento dos vidros costuma ser um problema em dias de chuvas fortes ou muito frio. Ele ocorre devido a grande diferença entre as temperaturas externa e da cabine do veículo. Para melhorar a visibilidade feche todos os vidros, ligue o ar-condicionado e acione o desembaçador elétrico traseiro. Nos modelos sem esses equipamentos, a recomendação é abrir um pouco os vidros e deixar o ar externo circular pelo carro. Se isso não estiver resolvendo, pare num posto e compre um líquido desembaçante. Com um pano macio, aplique um pouco desse produto nas partes interna e externa dos vidros. Você perceberá que a visibilidade irá melhorar.

Como reduzir os efeitos da aquaplanagem
Uma situação muito comum nas estradas em dias de chuva é o acúmulo de água sobre a pista. Quando o carro passa em velocidade sobre essas poças gigantes, se forma uma película de água entre a roda e o asfalto e o pneu perde momentaneamente o contato com o piso, deixando o carro descontrolado. Quando for surpreendido por uma situação dessas, mantenha a direção firme e evite frear, apenas tire o pé do acelerador. Logo você sentirá a direção voltar para seu controle.

Fonte : Carsale – Dicas de segurança na estrada e Motorpress Internacional

Vídeo
Mostra uma série de acidentes, com motoristas dirigindo de modo inseguro ou com excesso de velocidade.

Marcadores:

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@8:46 PM

0 comments

sexta-feira, julho 03, 2009

Alerta nas estradas! Neblina, os acidentes aumentam até 30%


Motoristas que trafegam pelas rodovias federais e estaduais no período de inverno precisam ter a atenção redobrada. Nesta época do ano, com os dias e as noites mais frios, aumentam as ocorrências de neblina e chuva nas rodovias. Essas condições adversas elevam o índice de acidentes em 30% nas rodovias estaduais e quase 20% nas rodovias federais.

Foto: Motoristas devem reduzir a velocidade ao passar por neblina, acender a luz baixa e aumentar a distância do veículo que vai à frente

As Polícias Rodoviárias Federal e Estadual alertam motoristas para cuidados que devem ser tomados para evitar surpresas desagradáveis;
■ Os nevoeiros prejudicam a visibilidade do motorista e ocorrem geralmente à noite e no início da manhã. Nestes casos, o condutor deve circular com a luz baixa sempre acessa e aumentar a distância do veículo da frente, além de diminuir a velocidade e evitar a ultrapassagem em pista simples,
■ Em casos de neblina muito densa que o motorista pare em algum lugar, fora da pista e fora também do acostamento. O ideal é parar em uma estrada rural, fora da rodovia, ou em um posto de combustível. Em hipótese alguma o motorista deve circular com o pisca alerta acesso, pois isso pode confundir os outros condutores e causar acidentes.
■ A neblina tira o raio de visão do motorista. Sendo assim, a amplitude de visão fica comprometida e o tempo que ele teria para resolver algum problema que acontece à sua frente fica reduzido. Por causa disso, podem ocorrer desde acidentes leves como saídas de pista e batida em muretas até grandes engavetamentos com pessoas machucadas.
■A probabilidade de um acidente acontecer em meio a neblina é muito maior que em condições climáticas favoráveis. Nesta época, entre 28 e 30% dos acidentes acontecem por conta do mau tempo. O tempo frio faz com que a névoa levante e prejudique a visão dos motoristas.

As regiões da Serra do Mar e próximo a rios, além das planícies são mais propensas à ocorrência de neblina. .

Chuva e neblina, um perigo
A chuva pode ser bastante perigosa. Ela pode se misturar com pedaços de borracha e pneus que soltam na pista, junto ao óleo e areia, e a combinação deixa a pista bastante escorregadia. Uma chuva fraca é ainda mais perigosa. A pista fica muito lisa e os riscos de derrapar e provocar um acidente são altos. Sempre que começar a chover o motorista deve reduzir a velocidade.

Os tipos de acidentes mais comuns em condições climáticas adversas são
■ saída de pista, colisão traseira,
■ colisão lateral ou frontal, em caso, de ultrapassagens,
■ colisão com objeto fixo,
■ capotamento,
■ colisão transversal e
■ atropelamento de pedestre ou ciclista.

Fonte: Gazeta do Povo - 29 de junho de 2009, Bem Paraná - 30 de junho de 2009

Comentário:
Como se forma a neblina?
A neblina é formada pela suspensão de minúsculas gotículas de água numa camada de ar próxima ao chão. Ou seja, a neblina nada mais é do que uma nuvem em contato com o solo. Esse fenômeno, também conhecido como nevoeiro, é mais comum em lugares frios, úmidos e elevados e ocorre devido à queda da temperatura e à conseqüente condensação do vapor d’água junto ao solo. A condensação, também chamada de liquefação, é a transformação da água em estado gasoso (vapor) para o líquido quando submetida a um resfriamento. O processo é parecido com o que rola nos automóveis no frio, quando a temperatura dentro do carro fica maior do que a externa. O vidro, em contato com o frio externo, permanece gelado. Quando o vapor suspenso no interior entra em contato com o pára-brisa, ele se condensa e embaça o vidro. Às vezes, a neblina é tão forte que até aeroportos precisam ser fechados, mas isso depende dos aparelhos de auxílio ao pouso e decolagem que cada aeroporto tem.

Situações mais comuns que dão origem a nevoeiros.
A neblina é resultado da combinação de vapor de água com queda de temperatura

Na serra
1. A água evaporada do mar, rios ou lagos transforma-se em vapor e, por ser mais leve do que o ar, é levada pelas massas de ar para as camadas mais elevadas da atmosfera
2. Se existe uma serra ou montanhas próximas, o vapor de água sofre um processo de condensação, com o resfriamento causado pela altitude, formando a neblina

Em rios e lagos

1. Durante o dia, o calor faz com que a água dos mananciais evapore, sendo que parte do vapor fica perto da superfície
2. Quando anoitece - ou quando a região é atingida por uma frente fria -, a temperatura cai, o vapor de água se resfria e condensa, ocasionando a neblina

Névoa, neblina ou nevoeiro, cerração?
Cerração e neblina são nomes populares para o nevoeiro. Névoa e nevoeiro são diferentes para os meteorologistas. Está na intensidade do fenômeno. Se a visibilidade horizontal no solo for inferior a 1 quilômetro é nevoeiro. Quando a visibilidade é superior a 1 quilômetro, estamos diante de uma névoa. A visibilidade horizontal é o quanto você consegue enxergar a olho nu. A névoa e o nevoeiro encobrem o céu por algum tempo e indicam que o ar está muito úmido. Fonte: Mundo Estranho.

Vídeo:
Mostra a imprudência de motoristas e ciclista. Excesso de velocidade, falta de iluminação de carro, manter distância inadequada e ciclista no meio da neblina.

Marcadores:

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@6:21 AM

0 comments