Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

domingo, abril 08, 2007

Vendaval em Joinville e explosão de transformador

Um vendaval em 3 de abril de 2007, à noite, em Joinville, no Norte catarinense, causou a explosão e incêndio de um transformador da Celesc. O incêndio na subestação começou por volta das 21 horas.

Motivo
As causas do fogo não foram esclarecidas de imediato, mas suspeita-se que um raio tenha atingido o transformador.

Incêndio no transformador
O Corpo de Bombeiros Voluntários teve dificuldades para controlar as chamas, devido ao risco de explosão. As chamas atingiram mais de 20 metros. O fogo foi controlado por volta das 22h. Foram consumidos 20 mil litros de óleo dos equipamentos da subestação.

Duração do vendaval
Apenas 15 minutos

Rastro de destruição deixado pelo vendaval
Casas e galpões destelhados, placas de publicidade quebradas, árvores arrancadas pela raiz.

Velocidade do vento
O Ciram (Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina) registrou em Indaial rajadas de vento de 63 quilômetros por hora.
Mas o meteorologista Dirceu Severo, do Instituto de Pesquisas Ambientais da Furb, ressalta que em alguns pontos de Joinville, o vento pode ter atingido mais de 100 quilômetros por hora, já que as rajadas destruíram telhados e arrancaram árvores pela raiz.

Falta de energia
O chefe da divisão de operação e manutenção da Celesc, Vilbam Bittencourt, explicou que o transformador que explodiu abastece toda a região compreendida pelos bairros Vila Nova, América, Centro e também pelo município de Garuva. Como o incêndio alcançou grandes proporções, com chamas de mais de 20 metros de altura, a Celesc foi obrigada a cortar a energia em quase toda a cidade, afetando cerca de 80% do abastecimento de Joinville.

Motivo da explosão e incêndio no transformador
A causa provável pode ter sido provocado por um raio que atingiu o transformador ou por um curto-circuito numa das linhas da BR-101. A subestação da Celesc é ligada a outras duas subestações. Este é o motivo por ter ocorrido falta de energia elétrica também em Araquari, Balneário Barra do Sul e São Francisco do Sul, disse Vilbam Bittencourt .

Municípios afetados pela falta de energia
Em Joinville e região, duas subestações apresentaram problemas, deixando cerca de 170 mil pessoas sem energia elétrica, em cinco municípios.
Em Blumenau, 23 alimentadores que abastecem a rede de distribuição da Celesc não funcionaram, deixando cerca de 50 mil clientes sem energia.
Outros municípios afetados; Gaspar, Indaial, Timbó, Ascurra, Rodeio, Pomerode, Luís Alves, Massaranduba.

Restabelecimento de energia
Blumenau e Indaial foram as cidades que mais sofreram com a falta de energia elétrica na região.
Atuaram 115 profissionais, entre técnicos, engenheiros e outros funcionários para restabelecimento da energia elétrica. As equipes se revezarem à noite e de madrugada, com apoio de equipes vindas de Florianópolis e Itajaí.
Foram trocados 21 transformadores, 19 postes de iluminação, reparos em 111 cabos elétricos de alta e de baixa tensão. Ao todo, foram utilizados 44 veículos na operação. O restabelecimento de energia elétrica voltou ao normal na quarta-feira, 4 de abril.

Balanço dos danos
R$ 3 milhões são o prejuízo estimado pela Celesc com o vendaval.
O vendaval danificou 200 residências e prejudicou o abastecimento de energia e água e o sistema de transportes.

Vide foto dos danos materiais:
http://zonaderisco.nafoto.net/photo20070408155011.html

Fontes: Diário Catarinense e A Notícia, 3 e 4 de abril de 2007

Comentário
Pela Escala Modificada de Beaufort podemos ter uma idéia da velocidade teórica do vento ocorrido na região de Joinville. A escala varia de 0 a 12. Cada nível da escala existe uma faixa mínima e máxima da provável velocidade do vento e suas conseqüências (danos).

Escala – 10 - Vento muito forte, vendaval ou tempestade – velocidade - 88,0 - 102,0 – Conseqüências - Derruba árvores. Produz danos consideráveis em habitações mal construídas. Destelha muitas edificações

Escala – 11 -Vento tempestuoso, vendaval muito forte, ciclone extratropical – velocidade- 103,0 - 119,0 – Conseqüências - Arranca árvores. Provoca grande destruição. Derruba fiação elétrica. ACCA

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@11:24 AM