Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

sábado, agosto 05, 2006

Trabalhadora morre esmagada por empilhadeira

Um grave acidente de trabalho ocorrido na manhã de quarta-feira, 19 de julho de 2006, na empresa Cisframa Comercio e Industria de Madeiras, localizada às margens da BR-280, no bairro Campo D´Água Verde, Canoinhas/SC, causou a morte da trabalhadora Gilvana Fernandes, 26 anos.

Morte violenta
Ela foi esmagada por uma máquina empilhadeira de madeiras que pesava mais de oito toneladas. Segundo o Corpo de Bombeiros o acidente aconteceu por volta das 10h08min no interior da fábrica. Gilvana teria sido atropelada pela máquina, a qual passou com os rodados sobre o seu corpo causando-lhe fraturas expostas das pernas com exposição das víceras.

Emergência e Socorro
A vítima ainda foi socorrida com vida pelos Bombeiros, porém morreu ao dar entrada no Pronto Socorro Municipal. Gilvana era casada e tinha dois filhos.

Causa provável
Gilvana estava trabalhando próximo da empilhadeira, mas não teria percebido a aproximação da máquina de cinco toneladas e que no momento carregava cerca de três toneladas de madeira.
O operador da empilhadeira também não teria visto a mulher. A máquina a teria derrubado e posteriormente passado sobre os membros inferiores do seu corpo. O operador entrou em estado de choque logo após o acidente.

Inquérito
Segundo a Polícia Civil que abriu um inquérito para apurar as circunstâncias que causaram o acidente.

Fonte: Polícia Civil/Bombeiros – Canoinhas – 19 de Julho de 2006

Comentário
O operador não viu a trabalhadora e bem como ela não viu a empilhadeira.

Cenário do acidente – suposição
Supõe que a área do acidente não era demarcada, isto é, corredor próprio para movimentação das empilhadeiras.
1. Falta de uma faixa exclusiva para movimentação de veículos industriais
2. Semáforos de sinalização; evita acidentes no tráfego, entrada, saída e cruzamento de veículos, chama a atenção para os riscos de colisão, coordenam a passagem de veículos industriais, caminhões, pessoas
3. Empilhadeira – farol dianteiro para chamar a atenção de movimentação, sinalizador rotativo magnético para alertar a presença do veículo
4. Os veículos industriais, devem ter prioridade de movimentação nas áreas de movimentação. Os demais veículos não industriais, e pessoal devem ser conscientizados através de luzes de advertências e painéis de aviso.
Os acidentes com empilhadeiras nos USA perfazem aproximadamente 1% dos acidentes industriais, mas eles produzem danos terríveis em 10% das vítimas. As empilhadeiras causam quase 10.000 ferimentos ao ano.

Recomendações
Visibilidade
Por exemplo, considere como um item elevado para segurança, a utilização de “espelhos de segurança e de visibilidade” para melhorar a visibilidade do piso e cruzamento.
Corredores de tráfego
Crie corredores de tráfego e áreas isoladas que separam pessoas do trânsito industrial.Uma das maneiras mais fáceis para prevenir colisões de empilhadeiras é criando áreas especificas para circulação, onde é proibida a locomoção de pessoas.
Protegendo as instalações
Os balizadores verticais fixos podem proteger as portas da doca e outros equipamentos erigindo uma barreira vertical de aço sólida, que protege o limite de espaço de segurança.
Advertência sonora ou luminosa (alarmes)
18% dos acidentes de empilhadeira ocorrem quando um trabalhador caminhando ou outras pessoas são atingidas por uma empilhadeira, porque freqüentemente estão ocupados com outras tarefas e não inteiramente atenta com a proximidade de uma empilhadeira em operação. As empilhadeiras devem ser equipadas com alarmes automáticos, sinais que soam durante a operação, de modo que, aquelas pessoas que estão próximas sabem de sua posição.A melhoria do projeto do local de trabalho também reduziria drasticamente esta porcentagem.

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@1:35 PM