Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

sexta-feira, junho 30, 2006

Mangueiras de Incêndio

As mangueiras de incêndio devem atender a norma aplicável (NBR 11861 – Mangueira de Incêndio – Especificações).

CARACTERÍSTICAS E RECOMENDAÇÕES :
O tipo da mangueira deve estar marcado nas duas extremidades do duto flexível. Certifica-se de que o tipo de mangueira de incêndio é adequado ao local e as condições de aplicação, conforme a norma NBR 11861:
1. Mangueira Tipo 1 - Destina-se a edifícios de ocupação residencial. Pressão de trabalho máxima de 980 kPa (10 kgf/cm2).
2. Mangueira Tipo 2 - Destina-se a edifícios comerciais e industriais ou Corpo de Bombeiros. Pressão de trabalho máxima de 1.370 kPa (14 kgf/cm2).
3. Mangueira Tipo 3 - Destina-se a área naval e industrial ou Corpo de Bombeiros, onde é indispensável maior resistência à abrasão. Pressão de trabalho máxima de 1.470 kPa (15 kgf/cm2).
4. Mangueira Tipo 4 - Destina-se à área industrial, onde é desejável maior resistência à abrasão. Pressão de trabalho máxima de 1.370 kPa (14 kgf/cm2).
5. Mangueira Tipo 5 - Destina-se a área industrial, onde é desejável uma alta resistência à abrasão. Pressão de trabalho máxima de 1.370 kPa (14 kgf/cm2)
RECOMENDAÇÕES
· Verificar se a pressão na linha é compatível com a pressão de trabalho de mangueira.
· Seguir todas as instruções contidas na Norma NBR 12779 - MANGUEIRAS DE INCÊNDIO - INSPEÇÃO, MANUTENÇÃO E CUIDADOS.
· A mangueira de incêndio deve ser utilizada por pessoal treinado.
· Não arrastar a mangueira sem pressão. Isso causa furos no vinco.
· Não armazenar sob a ação direta dos raios solares e/ou vapores de produtos químicos agressivos.
· Não utilizar a mangueira para nenhum outro fim (lavagem de garagens, pátios etc.) que não seja o combate a incêndio.
· Para a sua maior segurança, não utilize as mangueiras das caixas/abrigos em treinamentos de brigadas, evitando danos e desgastes. As mangueiras utilizadas em treinamento de brigadas devem ser mantidas somente para este fim.
· Evitar a queda das uniões.
· Nunca guardar a mangueira molhada após a lavagem, uso ou ensaio hidrostático.
DURANTE O USO:
· Evitar a passagem da mangueira sobre cantos vivos, objetos cortante ou pontiagudos, que possam danificá-la.
· Não curvar acentuadamente a extremidade conectada com o hidrante. Isso pode causar o desempatamento da mangueira (união).
· Cuidado com golpes de aríete na linha causados por entrada de bomba ou fechamento abrupto de válvulas e esguicho, que pode romper uma mangueira.
INSPEÇÃO E MANUTENÇÃO
· Toda mangueira, quando em uso (em prontidão para combate a incêndio), deve ser inspecionada a cada 3 (três) meses e ensaiada hidrostaticamente a cada 12 (doze) meses, conforme a norma NBR 12779. Estes serviços devem ser realizados por profissional ou empresa especializada.
ATENÇÃO
O ensaio hidrostático em mangueira de incêndio deve ser executado utilizando-se equipamento apropriado, sendo totalmente desaconselhável o ensaio efetuado por meio da expedição de bomba da viatura, hidrante ou ar comprimido, a fim de evitar acidente.
· Para lavagem da mangueira, utilizar água potável, sabão neutro e escova macia.
· Secar a mangueira à sombra, utilizando um plano inclinado ou posicionando-a na vertical; nunca diretamente ao sol.
· Fazer a redobra dos vincos, conforme a Norma NBR 12779, item 5.2.5, com profissional ou empresa especializada.
· O usuário deve identificar individualmente as mangueiras sob sua responsabilidade e manter registros históricos de sua vida útil. Recomendamos o uso da Ficha de controle individual para Mangueira de Incêndio, conforme o Anexo A da Norma NBR 12779, para manutenção do presente Certificado de Garantia.
· Após o ensaio hidrostático, a mangueira deve retornar, preferencialmente, para o mesmo hidrante ou abrigo em que se encontrava antes do ensaio. Consultar a Norma NBR 12779 para formas de enrolamento.
Fonte: Bombeiros Emergência e ABIEX

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@1:31 PM