Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

sexta-feira, abril 14, 2006

Incêndio em tanque de álcool


Incêndio em tanque de álcool

Em 2 de outubro de 2001, às 9 h 30 min, um tanque com mais de 450 mil litros de álcool anidro da Usina Carolo, de Pontal, na região de Ribeirão Preto, explodiu. O incidente foi causado por um raio, que atingiu o tanque. Cerca de 200 pessoas estavam no local na hora do acidente. À noite, o fogo ainda não tinha sido controlado, apesar de ter chovido durante todo o dia. Havia o risco de ocorrer nova explosão.
CORPO DE BOMBEIROS
Bombeiros de Sertãozinho e Ribeirão Preto e caminhões-pipa das usinas da região auxiliaram no combate às chamas e no resfriamento de outros dois tanques. O Plano de Auxílio Mútuo a Emergências também foi acionado, convocando brigadas de incêndio de outras empresas da região. Cerca de cem homens, entre bombeiros e funcionários da empresa e de outras usinas, tentavam apagar as chamas e resfriar outros tanques. A preocupação era evitar que o fogo atingisse outros reservatórios de álcool, principalmente os de armazenamento, que possuem capacidade para 45 milhões de litros e que ficam a menos de cem metros do local da explosão.
FALTA DE ESPUMA ESPECIAL
Segundo o Corpo de Bombeiros, o fogo só seria contido com o uso de espuma especial, apropriada para chamas em produtos químicos. "Precisamos de 2.000 litros de extrato de espuma. Temos, até agora, 1.300, e estamos consultando outras usinas para conseguir o restante."
VÍTIMAS
Morreram, segundo a assessoria da usina, o funcionário Alex Rodrigues, 26, e Clayton Camargo, 23, técnico da empresa SGS do Brasil Ltda., de São Paulo.Camargo fazia a medição de um tanque quando sua vareta foi atingida pelo raio. Os dois corpos foram arremessados a uma distância de dez metros. Eles foram socorridos, mas chegaram sem vida ao hospital. O funcionário Alfredo Caires Neto, 35, quebrou uma perna, mas não corre perigo.
PÁRA-RAIOS
A usina informou que os pára-raios no local não foram suficientes para evitar a tragédia.Segundo o Elat (Grupo de Eletricidade Atmosférica) do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), as mortes poderiam ter sido evitadas com a consulta ao site, que indicava grande incidência de raios na região.
DURAÇÃO DO INCÊNDIO
Terminou às 7 horas, 03 de outubro, o incêndio no tanque de passagem que continha 450 mil litros de álcool anidro, da Usina Carolo, de Pontal. As chamas duraram por 21 horas, enquanto o álcool era consumido. HISTÓRICO DE ACIDENTE COM RAIO
FOGO DESTRÓI 4 MILHÕES DE LITROS DE ÁLCOOL NO INTERIOR
Em 14 de novembro de 1992, um incêndio provocado por um raio destruiu, um tanque de álcool da Destilaria Pitangueiras, em Pitangueiras, na região de Ribeirão Preto, com 4 milhões de litros de combustível. O fogo começou por volta das 21h, quando caía um temporal e um raio atingiu um dos oito reservatórios da destilaria.Prejuízo estimado : US$ 900.000,00
INCÊNDIO DESTRÓI TANQUE COM 5 MILHÕES DE LITROS DE ÁLCOOL
Em 12 de dezembro de 1989, às 22 h 30 min, na Usina Zanin, Araraquara, um raio atingiu um tanque que armazenava álcool e provocou incêndio. Na área do tanque atingido, existem outros tanques de álcool, dois vazios com menos de sua capacidade ocupada e outros dois cheios. Os tanques que corriam maior perigo de serem atingidos eram os semi-ocupados, porque formam gases que se expandem com o calor , aumentando o risco de explosão.Os bombeiros resfriavam ininterruptamente os tanques de álcool próximos ao incendiado.
CORPO DE BOMBEIROS : 30 caminhões bomba, 50 bombeiros do Corpo de Bombeiros de Araraquara, Ribeirão Preto e auxiliados por usineiros da região e técnicos da Copersucar.Abastecimento : falta de água para os caminhões
Estimativa dos prejuízos : US$ 1.321.000,00

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@12:06 PM