Zona de Risco

Acidentes, Desastres, Riscos, Ciência e Tecnologia

quinta-feira, abril 20, 2006

Cuidado: Bichos à solta nos ketchup's


Cuidado: Bichos à solta nos ketchup's

A Pro Teste analisou 16 marcas de ketchup no primeiro semestre de 2005. "Observamos uma série de irregularidades e resolvemos repetir o teste em outro lote, no início do segundo semestre, para verificar se o problema não era isolado." O novo teste apontou os mesmos resultados. "Isso mostra que não é um caso pontual e que pode haver problema de higiene", disse a coordenadora da área técnica de produtos da Pro Teste, Alessandra Macedo.
RESULTADOS DAS ANÁLISES:
As duas análises mostraram que os molhos das marcas; Extra, Great Value/Wal Mart, Predilecta, Scooby Doo/Carrefour e Tomatino continham pêlos de roedores, fragmentos de larvas e insetos, pedaço de pena de ave, ácaros e outros fragmentos.
O QUE FORAM ENCONTRADOS EM CADA MARCA:
-Extra
Um pêlo de roedor e duas cabeças de larvas em um frasco. Em outro, três ácaros, cinco fragmentos de insetos e 17 fragmentos de larvas.
- Great Value/Wal-Mart
Em um frasco, três fragmentos de insetos e um ácaro. Em outro, um pêlo de roedor e um ácaro. Num terceiro, mais dois ácaros, sete fragmentos de insetos e sete fragmentos de larvas.
- Predilecta
Uma bárbula (pedaço de pena) de ave e quatro fragmentos não identificados.
-Scooby-Doo/Carrefour
Em uma única embalagem havia dois pêlos de roedor e nove fragmentos de insetos.
-Tomatino
Em apenas 200g, havia quatro ácaros, um fragmento de inseto e três fragmentos de larvas.
PARA FABRICANTES, AS EXIGÊNCIAS SÃO CUMPRIDAS
Das cinco marcas reprovadas, quatro são produzidas pela Predilecta. São elas: Predilecta, Great Value/ Wal Mart, Scooby Doo/ Carrefour e Extra. O químico Antônio Carlos Tadiotti, um dos proprietários da Predilecta, diz que faz testes periódicos e que os produtos estão de acordo com a legislação brasileira. Ele encaminhou para a reportagem laudos de agosto do Instituto de Tecnologia de Alimentos (ligado ao governo estadual), que mostram que não há problemas nos molhos.
O QUE DIZ A LEGISLAÇÃO FEDERAL:
Só são considerados impróprios para o consumo alimentos contendo vetores, isto é, possíveis transmissores de doenças.
Os fragmentos de insetos e de larvas encontrados não representam, segundo a legislação em vigor, riscos à saúde do consumidor. Por lei, representam ameaça à saúde pública, apenas, os pêlos de roedor, os ácaros e o pedaço de pena de ave
O QUE DIZ A PRO TESTE:
A Pro Teste discorda dessa portaria, já que ela não abrange tudo o que pode pôr em risco a saúde do consumidor. Fragmentos de insetos e larvas não devem fazer parte de alimentos, ainda que uma portaria diga que eles não causam mal à saúde.
LAUDOS NÃO OFICIAIS:
Os laudos da Pro Teste não são considerados oficiais e, por isso, a entidade não pode obrigar as empresas a retirarem seus produtos do mercado. A associação encaminhou o resultado para a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), para o Ministério Público Federal, para o Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor e às Vigilâncias Sanitárias de Goiás e de São Paulo.Ficou claro que o problema está no controle de qualidade do fabricante, o que pode ser resolvido se as empresas cumprirem com as Boas Práticas de Fabricação.
Fonte: Pro Teste, Folha de São Paulo, 6 de dezembro de 2005

Print Friendly and PDF

posted by ACCA@7:00 AM